Colunistas

Bora conhecer a capital do tango?

Por Raphael Ursino

Há muito tempo eu queria visitar Buenos Aires para conhecer o La Bambonera, experimentar a comida e entender melhor a cultura dos nossos hermanos. Foi então que minha esposa e eu decidimos escolher a capital argentina para ser o nosso primeiro destino internacional juntos. A viagem de quatro dias foi muito prazerosa e cheia de boas surpresas. Bora conhecer a capital do tango? 

Escolhemos um hotel bem no centro, próximo aos principais pontos turísticos. Aliás, essa é uma ótima dica para quem gosta de explorar novos lugares a pé, como é o nosso caso. 

Como chegamos à cidade num sábado à noite, resolvemos descansar para estar com energia total no outro dia, já que a viagem nos reservaria muitas caminhadas.   

Bairro de San Telmo 

No primeiro dia, logo pela manhã, saímos do hotel e fomos direto para San Telmo, um dos mais tradicionais bairros de Buenos Aires, e que ainda preserva suas ruas de pedra, as casas coloniais e possui um ar bastante boêmio, com diversos bares e restaurantes, onde é muito comum as atrações de tango. 

O lugar também é bastante conhecido pela feirinha de antiguidades que acontece todos os domingos, das 10h às 16h. Demos sorte de estarmos na cidade bem neste dia, pois a feira é imperdível, já que mostra muito da cultura argentina, espalhada pelas diversas barracas que vendem bijuterias, roupas, calçados, artesanato, pinturas, souvenirs e muito mais. Isso sem falar que o lugar é superanimado, com música ao vivo e diversos artistas de rua. O melhor programa para um domingo de manhã. 

Mafalda e seus amigos 

É lá que fica a escultura da Mafalda, personagem do cartunista Quino, e que morou a poucos metros dali. É quase impossível ver o banquinho da Mafalda vazio, pois ele é bastante disputado para fotos. 

Escultura da Mafalda em San Telmo

Escultura da Mafalda em San Telmo

Mercado de San Telmo

Após garantirmos a nossa, seguimos e chegamos ao Mercado de San Telmo, que, de tão importante para a cultura e a história do país, foi declarado Patrimônio Histórico Nacional. Lá você encontra desde temperos até antiguidades, passando por brinquedos, utensílios para casa e muito mais. Vale muito uma visita para conhecer a riqueza da cultura argentina. 

Casa Mínima

A poucos metros dali, vimos um lugar bem curioso do bairro, a Casa mínima. Com apenas 2,5 metros de largura e 13 metros de profundidade, é caracterizada como a menor ou mais estreita casa da cidade. 

Show de tango

Após explorar bastante a região, decidimos parar para comer em um restaurante. Enquanto aguardávamos o atendimento, fomos surpreendidos com um show de tango. Pedimos cerveja, uns petiscos e ficamos ali curtindo um casal dançando o ritmo mais famoso do país.

Os shows de tango são frequentes nos restaurantes de Buenos Aires

Os shows de tango são frequentes nos restaurantes de Buenos Aires

Puerto Madero  

Após o show, fomos para a região de Puerto Madero que, diferentemente da tradicional San Telmo, é um dos lugares mais novos e modernos de Buenos Aires, às margens do Rio da Prata. Lá existem muitos escritórios de grandes empresas, hotéis de luxo, bares e restaurantes, dentre outros atrativos turísticos. 

Um deles é a Puente de la Mujer (Ponte da Mulher). Com design inspirado em um casal dançando tango, a ponte foi projetada com capacidade de fazer um giro de 90 graus para a passagem dos navios.

A Puente de la Mujer possui um design que lembra um casal dançando tango

A Puente de la Mujer possui um design que lembra um casal dançando tango

Navio de guerra 

Difícil passar por Puerto Madero sem avistar o Navio e Museu “Fragata Sarmiento”, que funcionou durante muito tempo como o navio escola da Argentina, utilizado para instrução e treinamento de aspirantes a oficiais da marinha. Esta embarcação realizou 39 viagens pelo mundo e hoje funciona como um museu. Por fora, um lindo navio e por dentro, incríveis instalações que remetem aos antigos navios de guerra.  

O Fragata Sarmiento realizou 39 viagens pelo mundo e hoje funciona como um museu

O Fragata Sarmiento realizou 39 viagens pelo mundo e hoje funciona como um museu

Nosso primeiro dia em Buenos Aires terminou com algumas taças de vinho em um restaurante da região.  

La Bambonera 

No segundo dia, fomos para o bairro de La Boca, famoso por abrigar o La Bambonera, estádio do Boca Juniors, o time mais popular da Argentina. Para quem é fã de futebol, assim como eu, não pode deixar de conhecer as dependências internas desse estádio. 

Estádio La Bambonera

Estádio La Bambonera

O estádio conta um pouco da história do Boca Juniors, com exposição de taças, camisas, estátuas, e homenagens aos maiores gênios do futebol mundial, Pelé e Maradona. O tour também dá acesso às arquibancadas e às proximidades do gramado, o que nos permite sentir um pouco a pressão que os adversários sentem da torcida do Boca Juniors, devido à proximidade com o campo.

O La Bambonera é um verdadeiro caldeirão

O La Bambonera é um verdadeiro caldeirão

Em frente ao estádio existe uma loja do clube, com vários artigos esportivos, camisas, souvenirs, bandeiras e muito mais. Na porta da loja, você pode tirar fotos com alguns ídolos do futebol argentino, como Messi, Tevez, Maradona, Palermo e Riquelme. 

Caminito 

A rua mais famosa do bairro de La Boca é o Caminito, com suas casinhas típicas coloridas (Coventillos) que chamam bastante atenção. Segundo a história, as casas eram residência dos imigrantes italianos que, devido às condições precárias, pintavam as casas com restos de tintas das oficinas do porto. Hoje em dia, muitas delas funcionam como charmosas lojinhas de souvenirs.

Ah, na entrada do Caminito ficam sempre algumas ciganas se oferecendo para ler o seu futuro nas mãos. Quer um conselho? Fuja delas. 

Aproveitamos para tomar um vinho em um bar com a fachada toda decorada e algumas esculturas na sacada. Ficamos um tempo ali saboreando nosso vinho e observando o movimento da região. 

Casinhas coloridas do Caminito

Casinhas coloridas do Caminito

Depois de várias fotos no bairro de La Boca, seguimos para a Recoleta. 

Bairro da Recoleta

Este é um charmoso bairro de Buenos Aires. É onde fica o Cemitério da Recoleta, que também é atração turística da cidade, já que muitas pessoas visitam, diariamente, o túmulo da Evita Perón. Ela foi uma atriz, primeira-dama e líder política, casada com presidente argentino Juan Domingo Perón. Sua história foi retratada no filme Evita, de 1996, estrelado por Madonna e Antonio Banderas. 

Túmulo de Evita Peron no Cemitério da Recoleta

Túmulo de Evita Peron no Cemitério da Recoleta

Mas nem só de Evita vive o bairro da Recoleta. Saindo do cemitério, avistamos a Freddo, uma deliciosa gelateria argentina, que também tem lojas no Brasil. Eu já a mencionei antes, na minha coluna sobre Colônia do Sacramento, no Uruguai. 

Como o calor estava bem forte, decidimos entrar e nos refrescar um pouco com o delicioso gelato de doce de leite.  

Floralis Generica 

Pertinho dali, na Plaza das Nações, existe uma enorme flor de aço e alumínio, chamada Floralis Generica. Ela abre e fecha suas pétalas dependendo da hora do dia. Não deixe de fazer uma foto no local, pois o monumento é muito bonito. Bem ao lado fica o imponente edifício da Faculdade de Direito de Buenos Aires. 

A Floralis Generica abre e fecha suas pétalas de acordo com a hora do dia

A Floralis Generica abre e fecha suas pétalas de acordo com a hora do dia

Hard Rock Café 

Seguimos caminhando pela avenida Av. Pres. Figueroa Alcorta, que é toda arborizada e cheia de parques, até chegarmos ao Hard Rock Cafe. Este bar existe em diversas partes do mundo, e é conhecido pela decoração com instrumentos musicais, peças de roupas e demais objetos de grandes nomes do rock mundial. Minha esposa tomou um vinho e eu tomei uma cerveja. 

Hard Rock Cafe Buenos Aires

Hard Rock Cafe Buenos Aires

Casa Rosada 

No terceiro dia, fomos visitar um dos principais cartões postais de Buenos Aires, a Casa Rosada, sede do governo argentino, e que fica na Plaza de Mayo (Praça de Maio). No local existem diversos prédios, como a sede do Banco de La Nación Argentina e a Catedral da cidade. Na praça, inclusive, também acontecem várias manifestações políticas e culturais. 

Sede do governo argentino, a Casa Rosada é o principal cartão postal de Buenos Aires

Sede do governo argentino, a Casa Rosada é o principal cartão postal de Buenos Aires

Catedral Metropolitana de Buenos Aires e o Papa Francisco 

Na Plaza Mayo também fica a Catedral Metropolitana de Buenos Aires, declarada Patrimônio Histórico Nacional.  

A Catedral Metropolitana é o antigo lar do Papa Francisco na Argentina, onde passou cerca de 15 anos celebrando missas, quando Jorge Bergoglio foi arcebispo de Buenos Aires. 

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Por dentro, a igreja é linda. Quem a visita pode ver um pequeno museu chamado “O Cardeal Jorge Mario Bergoglio”, com diversos objetos do Papa. Lá também fica o mausoléu do General San Martin, que lutou pela independência da Argentina.

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Obelisco 

O Obelisco de Buenos Aires é um importante monumento histórico da cidade, com 67,5 metros de altura. Ele foi erguido no cruzamento de duas das principais avenidas, a 9 de Júlio e a Corrientes, em comemoração ao quarto centenário da fundação de Buenos Aires. 

O Obelisco é um importante monumento histórico da cidade e tem 67,5 metros de altura.

O Obelisco é um importante monumento histórico da cidade e tem 67,5 metros de altura.

Teatro Colon 

Pertinho do obelisco, fica o teatro Colon, um dos edifícios mais bonitos que eu já vi. Também pudera, né. Ele é um dos teatros líricos mais importantes do mundo, devido ao seu tamanho, valor artístico da arquitetura e a qualidade da acústica do seu interior. O Teatro Colón é um dos símbolos da cultura de Buenos Aires.  

O Teatro Colon é um dos principais teatros do mundo

O Teatro Colon é um dos principais teatros do mundo

Zoológico e Souvenirs

No último dia de viagem por Buenos Aires demos uma volta pela cidade para comprar souvenirs e os famosos alfajores argentinos. Deu tempo de conhecer também o zoológico da cidade de Lujan, localizado a cerca de 70km da capital argentina. Ele é famoso por permitir que os visitantes entrem nas jaulas dos animais, alimentem ursos e muito mais. Mas eu vou contar a minha experiência em outra coluna, combinado?