Blog 123

MANAUS, O DESTINO QUE É A CARA DO BRASIL

Manaus

Qual a primeira imagem que lhe vem à cabeça quando você escuta a palavra “Manaus”? Se for apenas selva e índios, fique logo sabendo: você precisa expandir seus horizontes agora mesmo. A capital do Amazonas é um espetáculo 365 dias por ano! Além, claro, de todo o encanto que a região amazônica oferece – e que é um cartão-postal brasileiro para o mundo todo – Manaus tem belíssimas praias fluviais, muita cultura e história, uma arquitetura de cair o queixo e uma gastronomia regional inesquecível. Bora conhecer tudo isso? Então embarque com a 123Milhas neste roteirão rumo a Manaus, o destino que é a cara do Brasil!

Teatro Amazonas

Ponto alto da cidade, o Teatro Amazonas é uma joia erguida pelo homem e possui um estilo único chamado “marajoara”, com sua cúpula trazendo as cores e padrões brasileiros. Inaugurado em 1896, foi construído durante o chamado ciclo da borracha, época  em que a região amazônica vivia o auge da exportação de látex para a Europa.

Ele foi construído como opção de cultura e lazer para os industriais e as companhias estrangeiras que passavam pela cidade e projetado por arquitetos franceses e de outras partes da Europa. Toda a decoração e pintura do teatro também foram feitas por especialistas “importados”, por isso a arquitetura é tão detalhada, fina e pomposa, contrastando com a rusticidade da floresta amazônica. 

É aconselhável fazer uma visita guiada ao teatro e entender tudo que ali ocorreu. A atividade mostra de onde veio cada um dos materiais usados para a construção do local e quem ali já se apresentou. Totalmente imperdível

Teatro Amazonas.

Praia da Ponta Negra

Ponta Negra é uma praia fluvial, claro, às margens do Rio Negro, no bairro mais rico de Manaus. Fica a uma hora de ônibus do centro da cidade. Obras de revitalização da orla foram feitas recentemente e um calçadão foi construído com vários mirantes, assim como um anfiteatro e vários quiosques ao longo de sua extensão. Lá ficam os mais luxuosos hotéis e as residências mais luxuosas da cidade.

Praia da Ponta Negra.

Catedral Metropolitana de Manaus

A construção da Matriz foi a primeira grande obra arquitetônica de Manaus, viabilizada por missionários carmelitas. Os materiais utilizados na igreja foram importados da Europa, principalmente de Portugal. Não deixe de visitar o Museu, que guarda, entre outras relíquias, a cadeira utilizada pelo papa João Paulo II em 1980 durante uma visita à cidade.

Catedral Metropolitana de Manaus

Mercado Municipal

Inspirado na estrutura da galeria Vittorio Emanuelle II, de Milão, o famoso Mercado Municipal Adolpho Lisboa foi construído durante o período mais próspero do ciclo da borracha e até hoje é um dos mais importantes centros de comercialização de produtos locais.

Lá você encontra produtos artesanais, enfeites para a casa, peças de vestuário, bebidas, quitutes da gastronomia local, plantas, sementes, pescados, entre outras coisas. Cada ala possui suas cores e cheiros característicos. Se você quiser experimentar o X-Caboclinho, este é o lugar certo.

Mercado Municipal de Manaus

Museu da Amazônia (MUSA)

Diferente de museus históricos, a ideia do MUSA é fazer você experimentar um pouco da vida animal, desfrutando da diversidade biológica, social e cultural que a natureza tem a oferecer, seja no modo de reprodução ou sobrevivência.

Ali é possível encontrar viveiros de bromélias e orquídeas, aquários, laboratórios de insetos, borboletas e serpentes. Dica: a vista da torre é incrível em qualquer horário, mas, às seis da manhã, com o sol nascendo, é memorável.

Passeios imperdíveis nos arredores de Manaus

Agora que você já conhece as principais atrações de Manaus, é hora de ir além e entrar na selva. Todos estes passeios que cito aqui foram feitos com assistência da Iguana Turismo, que nos buscou no hostel e nos levou de volta. Entre em contato com eles e faça um orçamento.

Encontro das águas dos rios Negro e Solimões

O encontro das águas dos rios Negro e Solimões é um fenômeno natural belíssimo! Elas correm por mais de seis quilômetros em paralelo antes de formarem o grandioso Rio Amazonas.

Os barqueiros fazem questão de parar no ponto em que o rio Negro – com suas águas escuras – e o rio Solimões – com suas águas barrentas –  estão lado a lado para que os guias possam contar casos e passar informações científicas das águas que não se misturam.

Encontro das águas dos rios Negro e Solimões

Parque Janauari

O Parque Ecológico do Janauari fica em uma área de proteção ambiental e atrai turistas curiosos para ver pessoalmente as vitórias-régias, símbolos da Amazônia e protagonistas de algumas lendas brasileiras. Também não dá para deixar de ver a gigantesca sumaúma, árvore que pode chegar a 70 metros de altura!

Vitória-régia, planta que é símbolo da Amazônia.

Visita à aldeia indígena

Estando em Manaus é possível visitar a aldeia dos Dessana, na Reserva do Tupé. Para chegar lá procure uma agência de turismo local ou pegue um barco na Marina do Davi. Nesse último caso, informe-se antes junto à Acamdaf (a associação dos barqueiros) sobre as saídas.

Aldeia Dessana, nos arredores de Manaus.

Culinária manauara

Totalmente única e surpreendente, a gastronomia do Amazonas instiga não só o paladar dos visitantes. Olfato, tato e visão também são chamados a participar do processo de apreciação da gastronomia local.

instiga não só o paladar dos visitantes. Olfato, tato e visão também são chamados a participar do processo de apreciação da gastronomia local.

Entre as estrelas da região, reinam absolutos os pratos com pescados, como o tacacá, feito com tucupi, goma de farinha de mandioca, folhas de jambu e camarão. O local mais famoso para apreciar a iguaria é a barraca da Gisela, que fica em frente ao Teatro Amazonas. Costela de tambaqui e moqueca de pirarucu também são pratos famosos – e deliciosos!

Sucos e sorvetes de frutas típicas são diversos e maravilhosos. Dizem que os sabores mais apreciados pelos turistas são cupuaçu, taperebá (também conhecido como cajá), tucumã e buriti.

Impossível, por fim, falar sobre a culinária manauara sem mencionar o fruto que é hoje praticamente um embaixador da cultura amazônica: o açaí. Em Manaus, é comum apreciá-lo tanto salgado (sim! com farinha, camarão seco e, às vezes, com peixe) como doce.

Mas, desde já, saiba que o açaí doce de Manaus nada se parece com o açaí pasteurizado consumido nas demais regiões do país. Geralmente adoçado com açúcar (e não com xarope de guaraná), é servido com farinha de tapioca, que também nada lembra a chamada de goma de tapioca conhecida no sudeste. É uma experiência de (re)descoberta de sabores que vale muito a pena!

Açaí da Amazônia

E então, pronto(a) para desbravar Manaus e surpreender-se com suas cores e sabores? Encontre seus voos aqui!

Gostou? Compartilhe:

Comentários