Colunistas

Stuttgart, a cidade dos automóveis

Por Raphael Ursino

Como a Alemanha é um país que sempre nos reserva belas surpresas, ao visitar Stuttgart, a cidade dos automóveis, não foi diferente. Localizada a cerca de 630 km da capital Berlim, Stuttgart é um destino com várias opções turísticas, além de estar localizada perto da fronteira com a França, Suíça e Áustria, o que facilita muito a ida nestes países.

O lugar tem muitos vinhedos, palácios, uma capela, zoológico, parque e um charmoso centro histórico com edificações centenárias.

Stuttgart é o berço das empresas Mercedes-Benz e Porsche. E o que me levou até a cidade foi a curiosidade de conhecer o Museu da Mercedes Benz, uma das empresas pioneiras no automobilismo. Dê o play e confira!

História, tecnologia e cultura em um só lugar

Esta é uma atração para os apaixonados por automóveis…e para os não apaixonados, também! Isso porque não é preciso ser nenhum entendedor de carros, motores e de todo o universo automobilístico para se encantar com este riquíssimo museu.

A cidade dos automóveis: Fachada do Museu da Mercedes-Benz

Fachada do Museu da Mercedes-Benz

O lugar conta, não só a história dos automóveis, mas também faz um paralelo com o cenário mundial de cada época, além de possuir lojas, restaurantes e exposições permanentes e temporárias.

Mercedes-Benz e o primeiro automóvel da história

A título de curiosidade, a Mercedes-Benz foi fundada em 1926, através da fusão entre a Benz & Cia (de Karl Benz) e da Daimler-Mercedes. Carl Benz e Gottlieb Daimler são reconhecidos como os inventores do automóvel.

O Benz-Patent Motorwagen é considerado pelos especialistas como o primeiro carro do mundo, e tinha um motor monocilíndrico de quatro tempos e 954 cilindradas. Ele foi patenteado em 1886 por Karl Benz.

A cidade dos automóveis: O Benz-Patent Motorwagen é considerado pelos especialistas como o primeiro carro do mundo, e tinha um motor monocilíndrico de quatro tempos e 954 cilindradas.

O Benz-Patent Motorwagen é considerado pelos especialistas como o primeiro carro do mundo, e tinha um motor monocilíndrico de quatro tempos e 954 cilindradas.

Conhecendo o Museu da Mercedes-Benz

Logo de cara o museu, localizado em Stuttgart, a cidade dos automóveis, já impressiona pela sua arquitetura supermoderna. O interessante é que os nove andares se conectam através de um espiral, onde os visitantes vão descendo nível por nível para observar as verdadeiras obras de arte sobre rodas. Diga-se de passagem, este museu é bastante acessível para pessoas com mobilidade reduzida.

O museu possui carros antigos e também os supermodernos

O museu possui carros antigos e também os supermodernos

Ao entrar no prédio fui direto para o último andar, de onde peguei um elevador diferente dos padrões que estamos acostumados. Ele tem a forma de uma cápsula futurista e dá a ideia de uma viagem no tempo.

Um contramotor Mercedes-Benz 5PS de 1899

Um contramotor Mercedes-Benz 5PS de 1899

Já no topo do prédio, a história do automóvel começa a ser contada em ordem cronológica, através dos carros e a sua relação com cada período da história durante os 130 anos desde a invenção do primeiro automóvel, em 1886.

Coleção de uniformes e troféus conquistados pelas equipes de esportistas da Mercedes-Benz

Coleção de uniformes e troféus conquistados pelas equipes de esportistas da Mercedes-Benz

Ao longo do percurso, existem 160 veículos e 1500 peças. São motores, miniaturas, capacetes, tudo separado por seções, como a galeria dos automóveis a diesel e àqueles equipados com compressor a ar. Tem também os carros do período pós-guerra, como o 300 SL, conhecido como “Asa de Gaivota”, que era um dos carros mais caros do mundo, além de vários outros.

Mercedes-Benz 300 SL, conhecido como “Asa de Gaivota”.

Mercedes-Benz 300 SL, conhecido como “Asa de Gaivota”.

Paixão por velocidade

Uma seção que enche os olhos dos amantes de velocidade é a dos “Silver Arrow”, os modelos prateados de carros de corrida da Mercedes, que começaram a ser fabricados em 1934. Tem também carros de fórmula 1 e caminhões.

Os Silver Arrows, os modelos prateados de carros de corrida da Mercedes, começaram a ser fabricados em 1934.

Os Silver Arrows, os modelos prateados de carros de corrida da Mercedes, começaram a ser fabricados em 1934.

Partiu viajar?

A “Gallery of Voyagers” é composta por veículos de viagens, como os ônibus. Em alguns deles, a gente pode até entrar e tirar foto lá dentro. Fiquei apaixonado pelo modelo mais antigo da frota, um ônibus londrino de dois andares do ano de 1904.

A cidade dos automóveis: Este modelo fazia parte da frota dos ônibus londrinos de dois andares do ano de 1904

Este modelo fazia parte da frota dos ônibus londrinos de dois andares do ano de 1904

 

Mercedes-Benz 0 2600 Touring Coach, de 1940

Mercedes-Benz 0 2600 Touring Coach, de 1940

Veículos comerciais

Os “Carriers”, ou veículos comerciais também fazem parte do acervo. Podemos ver cegonhas, caminhões de transporte e reboque, ambulâncias e muito mais.

Mercedes Benz transportador de carros de corrida, de 1954 -1955

Mercedes Benz transportador de carros de corrida, de 1954 -1955

A seção que eu mais gostei foi a ala de celebridades, com destaque para o Classe M de 1997 usado no filme Jurassic Park.

Uma atração que vale a viagem

Como eu disse anteriormente, o que me levou a Stuttgart, a cidade dos automóveis, foi a minha curiosidade de conhecer o Museu da Mercedes-Benz. E sabe de uma coisa? Valeu muito a pena, pois o passeio é uma verdadeira aula de história, tecnologia, comportamento e cultura. Então, a dica que eu deixo é: visite o Museu da Mercedes-Benz!