Colunistas

Bares de Buenos Aires: conheça os bodegones da Argentina!

Por Nenel Neto

Os bodegones estão para a Argentina como os botecos para o Brasil.

Reconhecidos por suas porções caprichadas, são os lugares certos para comer e beber muito bem a preços bastante em conta.

Estes bares estão sempre abertos para satisfazer os famintos boêmios de uma das cidades mais fantásticas do planeta: Buenos Aires.

Na verdade, os bodegones também fazem as vezes de restaurantes, com ambientes simples e decorações despretensiosas. Muitos deles estão cravados em charmosas esquinas.

Os garçons costumam ser experientes e as influências da cozinha giram em torno das gastronomias argentina, italiana, espanhola e alemã. Tudo com toque bem caseiro.

A seguir, apresento a você três dos meus bodegones preferidos.

1 – Varela Varelita
O tradicional bairro Palermo vem passando por modernizações e perdendo muito do seu encanto original.

É por isso que Varela Varelita se torna mais especial a cada dia.

Na movimentada esquina de Scalabrini Ortíz e Paraguai, este bodegón tem uma atmosfera espetacular, com gente de verdade e muita história, afinal, ele está lá desde 1950.

Antro de boêmios, intelectuais e da vizinhança em geral, o bar não mudou muito desde o seu início.

Para beliscar, boas opções são as picadas montadas com presunto, salaminho, queijo e bife à milanesa em quadradinhos, ideal para “palitar” enquanto se bebe uma dose de Cinzano com muito gelo.

A verdade é que, depois de entrar em Varela Varelita será difícil sair de lá, pois é um ambiente muitíssimo agradável.

Endereço: Raúl Scalabrini Ortíz, 2102 – Palermo.
Instagram: @varela.varelita.oficial

2 – Club Eros
Antigamente, era nos clubes sociais, de bairro, que a vida acontecia.

Nestes locais aconteciam atividades esportivas, reuniões da comunidade e, claro, encontros regados a boa comida.

Alguns bairros de Buenos Aires ainda mantêm esta tradição.

Ainda em Palermo, e não tão longe do Varela Varelita, o Club Eros se mantém firme e forte.

Ao passar nas proximidades, os cheiros de carne grelhada e de molho de tomate caseiro deixam desnorteado quem está com fome.

É lá que se encontra um dos melhores bifes de chorizo do bairro. A opção “a cavalo” é uma pedida certeira. Nela, o caprichado pedaço de carne é coberto por dois ovos com as gemas lindamente moles e escoltado por batata frita de verdade, lavada e cortada ali mesmo antes de ir ao encontro do óleo quente.

Tudo é preparado por don Oscar Juarez, um homem que se orgulha de cozinhar para o seu povo, como ele mesmo me afirmou quando estive neste restaurante que nos remete aos tempos passados, quando tudo era mais devagar.

As milanesas e os pratos com massa também têm grande saída.

Vá e desfrute de um antigo e importante clube social da cidade. A quadra de futebol de salão fica, inclusive, ao lado do restaurante.

Endereço: Uriarte 1609 – Palermo.
Instagram: @club.eros.palermo

3 – Don Ignacio
Ao lado do asado (churrasco) e da empanada, a milanesa é o prato nacional da Argentina.

No país, há inúmeras variações feitas em cima do bife à milanesa básico. Dois exemplos clássicos são milanesa a cavalo, coberta por dois ovos, e à napolitana, com cobertura de molho de tomate, presunto e queijo muçarela.

Em Don Ignacio, encontram-se estas e outras duas dezenas de opções de milanesas.

Fora da rota turística, no bairro de Almagro, o pequeno bodegón tem à frente Norberto Meza, um fã de rock n’ roll que decorou o seu restaurante com objetos que lembram o estilo musical mais popular do Ocidente.

No cardápio, apenas empanada frita de carne, tortilha de batata e mais de 25 opções de milanesas, que podem ser de boi ou de frango.

A campeã de vendas é a milanesa Don Ignacio, cujo bife de boi empanado é coberto por muçarela, presunto, cebola e dois ovos fritos.

O corte da carne não é tão fino, como é comum encontrar em Buenos Aires, nem grosso, o que pode dificultar a mordida. A espessura é perfeita, e o corte utilizado é o chã de dentro, também conhecido como coxão mole.

É delicioso, calórico e espetacular. O empanamento é perfeito e a fritura é sequinha.

O comensal tem direito a escolher entre batatas fritas ou purê para acompanhar a carne.

Entre as opções do prato principal, chamam atenção a milanesa romana, com molho de tomate, muçarela, presunto, azeitona, alho e orégano, e a coberta por queijo roquefort. A milanesa Acapulco, por exemplo, tem abacaxi na composição. Enfim, tem para todos os gostos.

A casa é pequena e lota rapidamente, portanto, chegue cedo para comer a melhor milanesa da sua vida.

Endereço: Av. Rivadavia 3439 – Almagro.
Instragram: @donignac