Blog 123

VAI PARA A NOVA ZELÂNDIA? CONHEÇA O LAGO NGAKORO!

Para quantas praias você já sonhou ir só esse ano, de tão lindas são as paisagens que as representam? Mas o que talvez você não saiba (ainda!) é que, para além das águas salgadas dos mares paradisíacos, existem reservatórios de água doce que, mais do que serem confortáveis e refrescantes, merecem a nossa máxima atenção.

Exemplos disso não faltam: já até falamos sobre um rio muito especial da Colômbia, Caño Cristales, que tem nada menos do que cinco cores em suas águas. O espetáculo é completamente natural, resultado da reprodução de algas que acabam colorindo o ambiente.

E, agora, vamos te dar mais uma boa razão para conhecer o máximo possível das águas do planeta que habitamos: o Lago Ngakoro, emoldurado por uma das mais lindas paisagens do mundo, no coração da Nova Zelândia.

Lago Ngakoro, a Piscina do Diabo

O Lago Ngakoro – que significa “louco”, no dialeto maori – é um verdadeiro espetáculo da natureza. Criado a partir de erupções vulcânicas, próximo ao vulcão Okataina, o lago ganhou uma tonalidade única de verde, graças ao teor de óxidos de enxofre e ferro presentes em suas águas.

piscina-diabo

Justamente pelo excesso de enxofre, foi apelidado de “piscina do diabo”, apesar de sua tonalidade verde esmeralda ser um tanto… angelical. Esse reduto de intensa beleza faz parte do complexo geotérmico Wai-O-Tapu, que fica no extremo sul do Vulcão Okataina. Então já dá pra saber que, apesar de ter um nome pouco atraente (ou exatamente o contrário, para quem gosta de aventuras!), visitar o lago Ngakoro vai ser um plus na sua viagem à Nova Zelândia.

Ah, e como está em uma área de vulcões, o lago tem águas termais e está bem próximo de gêiseres formados pelas erupções das lavas. Isso mostra que, assim como em outros pontos de território neozelandês, o contato com a natureza é profundo e não se resume a chegar ao lago, tirar fotos e ir embora. Dá pra aproveitar muito mais dos cenários e ver, de perto, o que a natureza realmente é capaz de criar.

Qual é a melhor época do ano para visitar o Lago Ngakoro?

O lago, bem como o parque Wai-O-Tapu, não apresenta muita diferenciação durante o ano, já que sua tonalidade depende mais da concentração de enxofre (que é uniforme) do que das condições climáticas das estações.

ngakoro

Por outro lado, a Nova Zelândia tem dezenas de outras coisas legais para serem vistas que, a partir de suas particularidades, podem ser mais atraentes no verão ou no inverno.
Assim, a melhor época para visitar um ou todos os pontos turísticos naturais do país vai depender, basicamente, da preferência de cada turista por viajar em determinada estação – e, também, do seu planejamento de passeio em cada uma delas.

O ideal, mesmo, é ir para a Nova Zelândia para ficar um ano, no mínimo, porque são muitas as belezas a conhecer e as aventuras que nos deixariam mais felizes. Já que muitos de nós não tem como se dedicar a esse sabático, tente uma estadia de pelo menos 15 dias – um deles reservado a ver bem de pertinho o Lago Ngakoro.

Como viajar para a Nova Zelândia?

A melhor forma é de avião, já que um cruzeiro poderia demorar meses! Mas, por ficar literalmente do outro lado do mundo, o mais indicado é programar essa viagem com bastaaaaante antecedência.
Fizemos uma simulação de voo saindo de São Paulo em direção a Wellington, capital da Nova Zelândia, para junho do ano que vem, e voltando quinze dias depois. As passagens da 123Milhas, mais baratas, custam cerca de R$9.500 com taxas.

O voo também pode ser bem longo, com muitas escalas. Na nossa simulação, ele parava em Londres (Inglaterra) e Sidney (Austrália) antes de chegar à Nova Zelândia – e isso significa que quem estiver viajando com crianças muito pequenas ou idosos deve redobrar a atenção para os cuidados durante o voo.

Contudo, mesmo não sendo um investimento dos mais baratos, essa é uma viagem que vale muito a pena, e o Lago Ngakoro é apenas o primeiro motivo de muitos para você comprar essa ideia.

Se precisar de mais algum estímulo para tomar de vez essa decisão, ligue a TV: filmes como a trilogia de O Senhor dos Anéis e O Hobbit tiveram o país como plano de fundo, que também foi cenário para As Crônicas de Nárnia e X-Men Origens: Wolverine.

Resumindo:

não é só a piscina do diabo que pode encher seus olhos de alegria se você animar a cruzar o mundo dentro de um avião, só para ser surpreendido pelas belezas do planeta – que, ainda bem, tem 70% de águas maravilhosas em sua composição.

Gostou? Compartilhe:

Comentários