Colunistas

Belém: a capital do Pará vai te surpreender!

Por Marcello Oliveira

Quando alguém me pergunta sobre uma capital brasileira que me surpreendeu positivamente eu penso imediatamente em duas: Belém e João Pessoa. A capital paraibana será tema em outra oportunidade, pois hoje vamos destrinchar as maravilhas da capital do Pará.

Belém é uma das cidades de cultura mais preciosa do Brasil. A partir de agora eu vou listar alguns motivos para que você conheça a região nas suas próximas férias ou num feriado prolongado.

O estado do Pará abriga uma considerável parte da floresta amazônica, bem como os imponentes rios Amazonas, Tapajós, Xingu e Tocantins. Belém, a capital do estado, é uma cidade fascinante. Da chegada dos portugueses nos séculos XVI e XVII ao ciclo da borracha dos séculos XIX e XX, a cidade conta a história do Brasil. Hoje, há uma animada e rica mistura de atividades, mercados, restaurantes, museus e jardins para descobrir durante a visita a Belém.

Mercado Ver-o-Peso

Se você quiser ter uma ideia real dos hábitos, cultura e estilo de vida de uma cidade, passe um tempo com os vendedores do mercado local e descubra seus produtos. No mercado Ver-o-Peso de Belém, isso é nítido. Localizado no cais da baía do Guajará, o Mercado Ver-o-Peso data de 1625 e é considerado o maior mercado a céu aberto da América Latina. É um enorme complexo composto por um mercado de peixes, açougue, barracas de artesanato, frutas e vegetais, especiarias e ervas exóticas e antiguidades. Os visitantes podem passar horas examinando os itens à venda e vão querer voltar mais, fato!

Belém: a capital do Pará vai te surpreender

Famosas garrafinhas coloridas do Ver-o-Peso: aqui tem solução para tudo!

Vá até lá para almoçar no fim de semana e sente-se em um dos inúmeros quiosques de comida. Para um dos melhores pedaços de peixe frito da cidade, visite o Box da Lúcia e peça o peixe, acompanhado de uma deliciosa tigela de açaí descascado e uma garrafa gelada de cerveja da Tijuca. Essa foi a minha pedida logo no primeiro dia na cidade, mas não espere o açaí ‘docinho’ como temos no Sudeste não.Em Belém se come o açaí raiz, o mais natural e bruto possível, o verdadeiro, sem adicionais. O açaí real pode ser consumido com farofa, com arroz e com peixe, sem julgamentos. Alternativamente, para algo que os turistas não costumam ver, desça ao mercado nas primeiras horas da manhã e pegue os barcos que desembarcam, cheios de frutos do mar frescos, além de açaí recém colhido. Os trabalhos começam bem cedo no Ver-o-Peso (algumas barracas já estão montadas antes das 4h), então não esqueça de colocar o alarme ou pedir o serviço de despertar no hotel.

Theatro da Paz

Belém foi uma das cidades centrais durante o boom da borracha no Brasil na virada do século XIX. Na época, os EUA e a Europa estavam se industrializando em ritmo frenético, e a borracha era uma mercadoria valiosa na fabricação de carros e outras máquinas. E até a década de 1910, a borracha era cultivada apenas na Amazônia. Belém tornou-se a porta de entrada para a Amazônia para os comerciantes de borracha e foi uma das primeiras cidades brasileiras a se modernizar. Famílias europeias ricas inundaram Belém e transformaram a cidade com arquitetura ornamentada e de inspiração europeia, ganhando na época o apelido de Paris das Américas. O maior símbolo da riqueza da borracha de Belém foi o Theatro da Paz (escrito na ocasião assim mesmo, com ‘h’), um luxuoso teatro neoclássico construído na década de 1870. Com seus pisos de mármore, afrescos dramáticos e lustres imaculados, caminhar pelo Theatro da Paz hoje dá uma impressão real e glamourosa de como era Belém naquela época. O interior está muito bem preservado, e os visitantes podem ver o caminho pavimentado a ouro que leva diretamente da entrada até o camarote do imperador, construído especialmente para Pedro II. As visitas guiadas são oferecidas todos os dias da semana das 9h às 17h e das 9h às 12h nos finais de semana. As visitas custam apenas R$ 6 e a entrada é gratuita às quartas-feiras. O teatro ainda recebe espetáculos, principalmente óperas e concertos, com ingressos à venda nas bilheterias.

Complexo Feliz Lusitania

A uma curta caminhada do Mercado Ver-o-Peso, no centro histórico de Belém, com suas ruas estreitas e arquitetura colonial, está o Complexo Feliz Lusitânia, um conjunto de importantes edifícios históricos que contam a história da cidade bem antes do ciclo da borracha. O mais marcante é o Forte do Presepio, um forte de 400 anos que dá para a baía do Guajará. Hoje abriga um pequeno e fascinante museu que mostra a colonização do norte do Brasil. O Feliz Lusitania também é composto pela Casa das Onze Janelas, uma mansão ornamentada e museu de arte, o Museu de Arte Sacra, em estilo renascentista tardio, e a impressionante Catedral.

Estação das Docas

Um contraponto muito interessante ao movimentado Mercado Ver-o-Peso é a bela Estação das Docas, um calçadão elegante e sofisticado. Com bares, restaurantes, sorveterias, butiques e música ao vivo. É o centro de entretenimento da Belém do século XXI. Bem cuidadas e iluminadas, as docas são o local ideal para passar um final de tarde, vendo o sol se pôr sobre a baía enquanto saboreia a excelente cerveja artesanal local no Amazon Beer, ou prova o melhor da culinária do norte brasileiro no Lá em Casa.

Belém: a capital do Pará vai te surpreender

Amazon Beer é um dos bares mais disputados da capital

Quer saber como é a interação da gastronomia paraense com a italiana? Então vá ao Capone Trattoria. Foi lá que eu experimentei a inesquecível massa ao pesto com filé de filhote grelhado. Filhote é um enorme peixe de água doce qu se parece um bagre. É o peixe mais saboroso que já experimentei até hoje, com uma carne extremamente densa, macia e suculenta, que se desfaz ao menor toque do garfo. Essa é minha melhor dica gastronômica de Belém.

Massa ao pesto com filhote grelhado: melhor dica gastronômica de Belém

A Estação das Docas também é o ponto de partida para diversos passeios de barco pela baía do Guajará.

Restaurantes típicos locais

A comida paraense está entre as melhores de todo o continente. Com uma incrível variedade de peixes de água salgada e doce e os ingredientes mais exóticos, quase impossíveis de encontrar em outros lugares do país (mas que são básicos no norte). Quem conhece, leva a culinária paraense muito a sério. Enquanto o padrão de comida em toda Belém é alto – restaurantes baratos vendem excelentes pedaços de pirarucu, ou tigelas de manitoba. Se você quer uma experiência gastronômica verdadeiramente única na vida, reserve uma mesa para jantar no Remanso do Bosque, um dos melhores restaurantes de Belém. A comida do Remanso do Bosque é realmente espetacular. Há uma grande variedade de entradas e sobremesas criativas que usam ingredientes amazônicos para dar um toque especial aos clássicos da alta cozinha. E para os pratos principais, embora haja várias opções no cardápio, lembre se que o filhote grelhado é o único que você não pode deixar de experimentar.

Círio de Nazaré e Basílica de Nazaré

Se você tiver a sorte de visitar Belém em outubro, você testemunhará o incrível festival religioso da cidade conhecido como Círio de Nazaré, a maior festa religiosa não apenas do Brasil, mas sim do mundo. O círio normalmente consiste em uma grande procissão da cidade velha até a impressionante Basílica de Nazaré, carregando uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré que foi encontrada perto da igreja em 1700 e que se acredita ter realizado milagres.

Belém: a capital do Pará vai te surpreender

Círio de Nazaré é a maior festa religiosa do mundo. Foto: Estação das Docas

A cidade inteira fica paralisada com festas e desfiles que ocupam vários quarteirão das ruas e avenidas da cidade, sem falar na procissão que acontece de barco pelo rio. Uma festa popular muito bonita e cheia de emoções.

Missa na bela Basílica de Nazaré

Mosqueiro

Se tiver mais dias em Belém, não deixe de visitar as lindas praias de água de Mosqueiro, uma ilha que fica distante cerca de uma hora de carro de Belém. São 17 km de costa com praias de água doce com areia clara e até mesmo ondas, como no mar.

Belém: a capital do Pará vai te surpreender

Se tiver um tempinho, estique sua viagem até Mosqueiro. Foto: Mosqueiro Oficial

De carro, o acesso a partir do centro de Belém é pela BR-010 / BR-316 e depois a PA-391. A estrada é boa e no meio do caminho você tem a oportunidade de comprar enormes camarões frescos diretamente com os pescadores que vendem os pescados do dia na própria rodovia e com preços bem convidativos.

Venda de camarões frescos já é tradição na rodovia que liga Belém a Mosqueiro