Lugares para conhecer

Bioma pampa: lugares para conhecer

Em 17 de dezembro comemoramos o Dia Nacional do Bioma Pampa, um dos ecossistemas de áreas de campo em clima temperado mais importantes do mundo. 

Para celebrar o Pampa, conheça, com o Conexão123, toda a biodiversidade que ele abriga. Vamos lá?

Você vai ler sobre 

O que é bioma pampa?

O Dia Nacional do Bioma Pampa é comemorado em 17 de dezembro, uma homagem ao nascimento do ambientalista José Antônio Lutzenberger. Ele foi um agrônomo, escritor, filósofo, paisagista e ambientalista brasileiro, nascido em Porto Alegre, que participou ativamente na luta pela preservação ambiental.

Antes de começar a falar sobre as unidades de conservação, precisamos entender o que é bioma pampa e por que ele é tão importante.

O termo pampa, que significa planície, tem origem na quíchua, importante família de línguas indígenas da América do Sul. Remete a uma das características desse bioma, o seu relevo pouco acidentado. 

Uma imensidade de campos limpos, com gramíneas, poucos arbustos e árvores formam uma paisagem singela, mas que enche os olhos. Apesar de o pampa ser associado principalmente aos campos, ele é formado por vários ecossistemas, que abrigam cerca de três mil espécies de plantas. 

No que diz respeito à fauna, o bioma já foi abrigo de grandes herbívoros, como cavalos, lhamas e até preguiças-gigantes. Atualmente, ele conta com cerca de 480 espécies de aves, entre elas, ema, perdiz, quero-quero, joão-de-barro, beija-flor-de-barba-azul, pica-pau-chorão e caboclinho-de-barriga-verde. E mais de 100 espécies de mamíferos, entre elas, cervo-do-pantanal, tatu-mulita, graxaim e veado-campeiro.

Bioma pampa: lugares para conhecer | Tuco-tuco | Conexão123

Há também espécies exclusivas do bioma pampa, como o tuco-tuco | Foto: Divulgação

A região é predominantemente subtropical, e sua temperatura varia entre 18 ºC e 20 ºC, mas há uma amplitude térmica acentuada durante o ano. Os verões são muito quentes, e os invernos tendem a ser muito frios devido ao avanço da massa polar atlântica. Ainda na estação fria, pode haver a ocorrência de geada e até mesmo neve em algumas localidades.

O solo do bioma pampa, fértil em sua maior parte, é bastante utilizado para a agropecuária: desde a colonização ibérica, a pecuária extensiva sobre os campos nativos é a principal atividade econômica da região.

Por sorte, em vez de prejudicar a vegetação, a presença do gado permitiu a conservação do bioma: a pastagem é benéfica para a manutenção das principais espécies de gramíneas e leguminosas. Parece um jeito perfeito de unir atividades humanas e conservação da natureza, certo?

Das principais características do bioma pampa, podemos destacar:

  • Hidrografia 

Existe uma grande disponibilidade hídrica na região por onde o pampa se estende, o que se deve à presença de uma densa rede de drenagem, diversos lagos e reservas subterrâneas de água. O bioma abriga as águas compreendidas no bioma fazendo parte de duas importantes bacias hidrográficas: a bacia do Uruguai e a bacia do Atlântico Sul.

  • Relevo 

O pampa recobre terrenos, em sua maioria, planos ou suavemente ondulados que caracterizam, ao menos, quatro domínios geomorfológicos distintos do relevo: planalto da campanha, depressão central, planalto rio-grandense-do-sul e planície costeira.

  • Vegetação 

A vegetação é predominantemente campestre, formada por plantas herbáceas, incluindo as gramíneas, e espécies arbustivas. Em algumas áreas é possível identificar a presença de matas ciliares, algumas árvores decíduas e formações pioneiras, embora em menor quantidade.

Segundo o IBGE, a flora do pampa reúne 1.623 espécies diferentes de plantas, incluindo aquelas endêmicas, ou seja, típicas do bioma, como o nhavandaí e o algarrobo. 

Mas onde está localizado o bioma pampa? No Brasil, encontra-se no estado do Rio Grande do Sul, ocupando uma área de 176.496 km², correspondendo a cerca de 2% do território nacional. No entanto, ele não é restrito ao nosso país — estende-se pelo Uruguai, Paraguai e Argentina.

Importância e conservação do bioma pampa

Talvez quem olhe para o pampa não encontre uma fauna exuberante como a da Amazônia, ou uma floresta de tirar o fôlego como as da mata atlântica. À primeira vista, o bioma parece bem mais simples do que os outros, mas isso não quer dizer que ele seja menos importante.

Como falamos anteriormente, o pampa é um bioma que contém grande biodiversidade, apresentando inúmeras espécies endêmicas, sendo assim importante fonte de variabilidade genética. Além disso, a biodiversidade é responsável por inúmeros serviços ecossistêmicos, como:

  • Estocagem de carbono
  • Purificação das águas
  • Controle de pragas agrícolas
  • Controle da erosão do solo
  • Reposição de sua fertilidade 

Embora seja de muita importância para todos os seres vivos, biomas como o pampa são os mais ameaçados e menos protegidos do planeta. Isso se deve ao fato de serem os que apresentam características que lhes conferem uma boa produtividade e favorecem a ocupação humana. 

Bioma pampa: lugares para conhecer | Solo do bioma pampa | Conexão123

O pampa é formado por regiões de relevo suave ondulado cobertas por uma vegetação de gramíneas

No Brasil, grande parte do pampa foi alterada, substituída por lavouras de milho, soja, arroz e trigo. Muitas áreas já foram afetadas de tal modo que não podem mais ser utilizadas, pois apresentam baixa produtividade, devido ao manejo insustentável, ou estão degradadas, por causa do sobrepastoreio.

O resultado é o desaparecimento de espécies nativas, aumento do processo de arenização do solo, bem como a invasão de espécies que levam ao desequilíbrio do ecossistema. 

Lugares para conhecer o melhor do bioma pampa 

Não existe ainda um parque nacional totalmente dedicado a esse bioma. Por isso, hoje o Conexão123 traz algumas opções de unidades de conservação onde é possível encontrar o Pampa e conhecer melhor a sua biodiversidade. Partiu? 

Lugares para conhecer o pampa: Área de Proteção Ambiental de Ibirapuitã (RS)

A Área de Proteção Ambiental do Ibirapuitã situa-se no estado do Rio Grande do Sul, abrangendo quatro municípios: Alegrete, Quaraí, Rosário do Sul e Santana do Livramento. Ela é uma unidade de conservação que protege uma porção significativa do pampa, com seus 316 mil hectares.

Entre as principais atrações, estão o Cerro do Tarumã, com 308 metros de altitude; o Morro das Caveiras, com registros fósseis e artefatos de populações indígenas; e a Lagoa do Parové.

A área apresenta formações campestres e florestais de clima temperado, distintas de outras existentes no Brasil. Além disso, abriga 11 espécies de mamíferos raros ou ameaçados de extinção e 22 espécies de aves nesta mesma situação. 

Não há portaria nem cobrança de ingressos.

Endereço: Rua Treze de Maio, 410 – Sala 702 – Centro, Sant’Ana do Livramento

Lugares para conhecer o pampa: Parque Estadual do Espinilho (RS)

Localizado na Barra do Quaraí, o Parque Estadual do Espinilho engloba áreas importantes para a conservação do ecossistema, incluindo parte do curso do arroio Quaraí-Chico, até a sua foz com o rio Uruguai. O parque é importante para a conservação da formação vegetal única que só ocorre na região. A fauna e a flora destacam-se como atração. Para admirá-las, atividades como a observação de aves são amplamente praticadas no local. 

Bioma pampa: lugares para conhecer | Parque Estadual do Espinilho | Conexão123

O Parque Estadual do Espinilho está aberto à visitação com agendamento

O Parque Estadual do Espinilho é uma importante reserva ecológica do Espinilho, uma árvore de pequeno porte e tronco com espinhos. Caracterizada por ser vegetação arbórea baixa, permitindo o crescimento de gramíneas, ela se enquadra na classificação do IBGE como savana-estépica. 

Endereço: Barra do Quaraí

Lugares para conhecer o pampa: Parque Estadual de Itapuã (RS)

Localizado no município de Viamão, próximo a Porto Alegre, o Parque Estadual de Itapuã abriga a biodiversidade e os sítios arqueológicos da região. Entre as atrações principais estão o Farol de Itapuã, o lago Guaíba e a laguna dos Patos. O local é muito utilizado para trilhas e descanso. 

Bioma pampa: lugares para conhecer | Farol de Itapuã | Conexão123

Farol de Itapuã – Parque Estadual de Itapuã – Rio Grande do Sul

O parque, administrado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Infraestrutura, tem como principal característica a preservação da flora e da fauna do bioma pampa em seus 5.566 hectares. Itapuã é repleto de histórias, a começar pelo Farol de Itapuã, cuja construção é datada de 1860.

Há, ainda, marcas da Revolução Farroupilha em pontos como o Morro da Fortaleza, a Ferraria dos Farrapos e a Ilha do Junco. A geografia recortada da costa, as águas doces, calmas e limpas são mais alguns atrativos que enchem os olhos dos frequentadores.

O acesso dos visitantes está limitado à Praia das Pombas; nas demais, a Praia da Pedreira e a Praia de Fora, o plano de manejo do parque não permite visitações. Animais domésticos, esportes com bola e náuticos, além do ciclismo na praia, também estão vetados. 

São três trilhas abertas ao público: a da Onça, saindo da Praia das Pombas, costeando o Guaíba pela mata ciliar, a da Visão, que sobe o Morro do Campista até a Pedra da Visão, e a da Fortaleza, com pontos históricos, a exemplo da Vila dos Pescadores e as trincheiras da Revolução Farroupilha. 

Endereço: Estrada Dona Maria Leopoldina Cirne, s/n, Viamão

Visitantes: limitados a 210 pessoas por dia ou 60% da capacidade total.

Ingresso: R$ 20,45 por pessoa, somente em dinheiro. As entradas são vendidas das 9h ao 12h, e das 13h às 17h. Não há venda antecipada.

Horário de funcionamento: de quarta a domingo, das 9 às 19h.

Lugares para conhecer o pampa: Argentina

Quem pensa na Patagônia argentina imagina logo os glaciares de El Calafate ou os lagos de azul profundo nos arredores de Bariloche. Mas bem no centro do país e nem tão distante de Buenos Aires, está La Pampa, também parte da região.

São extensas planícies com reservas naturais povoadas por animais selvagens. Há fazendas históricas, vilarejos peculiares, lugares famosos por suas águas termais e até, quem diria, uma cidade-fantasma em ruínas que, ainda que localizada na província de Buenos Aires, pode muito bem ser visitada a partir de Santa Rosa, a capital de La Pampa. 

A poucos quilômetros de Santa Rosa está localizada a reserva Provincial Parque Luro, que protege uma das poucas florestas de Prosopis caldenia do país, a árvore-emblema das pampas. É conhecida por sua população de veados-vermelhos, uma espécie introduzida em várias regiões do mundo e que faz parte do patrimônio cultural de La Pampa.

O Parque Luro foi declarado como área protegida sem uso produtivo e patrimônio natural, histórico e cultural, em 30 de maio de 1996 e em 25 de julho de 1997, respectivamente. 

Lar de uma mistura de espécies nativas e introduzidas, bem como de mais de 150 espécies de pássaros, essa reserva de 76 km² é um local agradável para passar algumas horas. Uma das maiores atrações do parque, no entanto, é a temporada de acasalamento do veado-vermelho. Em março e abril, os machos bramam para atrair as fêmeas, enquanto competem entre si. 

Endereço: Toay, La Pampa

Gostou das nossas dicas de lugares para conhecer o melhor do bioma pampa? Conte com a 123milhas na hora de realizar seu sonho. Acreditamos que viajar é pra todos e temos por missão oferecer aos nossos clientes os melhores preços em passagens, pacotes de viagem, seguro-viagem e aluguel de carros.