Colunistas

Praga: a belezinha do Leste Europeu

Por Raphael Ursino

Uma das cidades mais bonitas do mundo, onde o carisma encantador de seus habitantes deixa qualquer turista se sentindo em casa. Isso sem falar do elevado padrão cultural da população. Vem com a gente, que hoje o nosso destino é Praga: a belezinha do Leste Europeu, a capital da República Tcheca.

Esse lugar é parada obrigatória para qualquer um que esteja viajando pelo país. A impressão que se tem é que a cidade foi desenhada à mão, com todos os seus contornos marcantes da arquitetura gótica e barroca, o que fez com que ela se tornasse Patrimônio da UNESCO. Nada mais justo.

Praga é marcada pela arquitetura gótica e barroca.

Praga está na minha lista das cinco cidades mais maravilhosas do mundo, dentre os 34 países que já visitei. Percebemos isso só de caminhar pelas ruas de pedra na orla do rio Vltava, em direção à belíssima e famosa ponte Charles.

 

Charles Bridge (Ponte Carlos)

Construída em 1357, foi a única ponte da cidade durante quase 500 anos. É enfeitada por 30 estátuas de diversos santos. A mais famosa é a de São João, que, segundo as crenças populares, traz sorte a todos que a tocam.

Ao longo dos seus 515 metros de comprimento por 10 metros de largura, artesãos, vendedores ambulantes e artistas de rua dividem espaço com moradores e turistas. Entre uma foto e outra, que tal procurar por algum souvenir?

Saindo da Charles Bridge fomos conhecer o coração da cidade, a praça velha, onde ficam várias igrejas e casas centenárias. O destaque é para o relógio astronômico, que mostra a hora, dia, mês, posição da Terra, fases da lua e a estação do ano.

O relógio astronômico mostra a hora, dia, mês, posição da Terra, fases da lua e a estação do ano.

Centenas de pessoas se aglomeram de hora em hora, entre 9h e 21h, para assistir aos 12 apóstolos saírem de dentro do relógio, como cuco, enquanto outras quatro miniestátuas que simbolizam a vaidade, a avareza, a morte e a invasão pagã mexem a cabeça. É uma atração superinteressante da praça, e o melhor, de graça.

Aglomeração (pré-pandemia) na Charles Bridge.

 

Bairro Judaico

Praga vivenciou fatos marcantes da história mundial, como guerras, protestos, rebeliões e diversos outros eventos durante o comunismo, mas, mesmo assim, permaneceu intacta. É possível ver de perto parte dessa história no bairro judaico, construído no século XIII e que se encontra muito bem preservado até hoje. Quatro sinagogas, um museu e o cemitério são as principais atrações da região.

 

Menino Jesus de Praga na Igreja de Nossa Senhora Vitoriosa

Você já ouviu falar do Menino Jesus de Praga? A imagem de 48 centímetros feita de cera e madeira, famosa por realizar milagres, está exposta na Igreja de Nossa Senhora Vitoriosa.

Um fato curioso é que a imagem possui uma coleção de roupas. O quê? Roupa para imagem? Sim, as pequenas vestimentas foram doadas por governos do mundo inteiro, permitindo que o figurino do menino Jesus seja trocado de tempos em tempos.

A imagem do Menino Jesus de Praga é famosa mundialmente por ter diversas roupas.

Na igreja me deparei com outra surpresa. Uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida, a padroeira do Brasil. Ela foi colocada lá pelo arcebispo da cidade, a pedido do embaixador do Brasil em Praga.

Fiquei bastante surpreso por ver uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, em Praga.

 

Castelo de Praga

Sem dúvida, a melhor atração da cidade, na minha opinião, é o Castelo de Praga, uma verdadeira viagem aos tempos da Idade Média.

Construído durante o século IX, no alto de uma colina, na margem esquerda do rio Vltava, onde a cidade foi fundada, o castelo, na verdade, é um complexo formado por um palácio, um mosteiro, três igrejas, estábulos reais e um grande jardim.

Ele ocupa uma área superior a 72 mil metros quadrados e está no Guinnes Book como o maior castelo do mundo. Antigamente, era habitado pelos reis da Boêmia, mas desde 1918 passou a ser a sede do governo tcheco.

Mas a edificação não é bem um castelo nos moldes clássicos que nós conhecemos. Visto de fora, a última coisa que imaginamos é que lá dentro possa, de fato, existir um castelo.

Sendo assim, confesso que no início fiquei meio desanimado de entrar, pensando que não encontraria nada além de exposições pessoais de antigos moradores e algumas pinturas. Ledo engano, meus amigos! Logo na entrada, no pátio principal, fui surpreendido pela tradicional troca da guarda, ao som da sinfonia “Minha Pátria”, tocada por soldados do exército.

O ritual é realizado todos os dias, de hora em hora, mas a cerimônia mais pomposa acontece ao meio-dia, quando os guardas usam trajes especiais e fazem também a troca da bandeira. Só ali eu já pude ter uma pequena prévia da riqueza cultural que me esperava portões adentro.

A troca da guarda no Castelo de Praga é realizada todos os dias, de hora em hora.

Ao final da apresentação, entramos na Catedral de São Vito, um dos pontos mais importantes de todo o conjunto arquitetônico do castelo. Isso porque até o ano de 1836 todos os reis eram coroados ali e muitos membros da família real foram também cremados no local. Os restos mortais permanecem lá até hoje.

As joias da realeza também estão guardadas na catedral, e os visitantes podem ver bem de perto uma coroa com algumas pedras preciosas. É incrível!

Joias da realeza expostas aos visitantes.

Seguindo pelas galerias internas, deparamos com uma vasta coleção de armaduras e suas afiadas lanças, objetos de tortura, correntes, armamento e outros instrumentos de batalha, além de cômodos com móveis seculares e quadros que retratam o cotidiano da época. Me senti dentro de um filme épico, como Ben-Hur e Gladiador.

Coleção de armaduras e lanças em exposição.

Saindo da catedral e continuando a caminhada pelo pátio, chegamos à Viela Dourada, um conjunto de casinhas coloridas que serviam como abrigo para os servos do castelo. Alguns séculos depois, no número 22, morou o grande gênio da literatura tcheca e um dos maiores escritores do mundo, Franz Kafka (1883-1924). Hoje em dia, as casas funcionam como livrarias e pequenas lojinhas.

Casa em que morou o grande gênio da literatura tcheca e um dos maiores escritores do mundo, Franz Kafka.

Como se não bastasse, o castelo ainda reservaria uma surpresa pra lá de aterrorizante. A tenebrosa Torre Dalibor, que era, nada mais, nada menos, uma prisão. Naquele momento eu não sabia dessa informação, até me deparar com uma escada.

Descemos até o fim e avistamos uma pequena porta preta, de aço, entreaberta. Ao entrarmos, demos de cara com o calabouço e vários instrumentos de tortura. Acreditem, o local é muito assustador.

A porta secular que antecede o calabouço do castelo.

Lembram quando eu disse que o Castelo de Praga não parecia um castelo? Pois é, esqueça as impressões iniciais, ele é sim, um verdadeiro castelo medieval, com tudo que se tem direito.

O Castelo de Praga é um verdadeiro castelo medieval, com tudo que se tem direito.

Ainda extasiado com toda a riqueza, beleza e diversidade de atrações, saí de lá e continuei andando pelos becos de Praga, pensando: e agora, o que mais poderá me surpreender nesta incrível cidade?

 

A noite de Praga

Pois bem, se você ainda tiver pernas, que tal conhecer um pouco da noite de Praga? A cidade é bastante eclética e oferece atrações que vão desde óperas até o rock, passando pelo jazz e a música eletrônica.

Caso escolha ir a uma boate, você provavelmente verá alguém segurando uma grande garrafa verde e vai se perguntar: “o que é isso?”. Bom, dentre as diversas bebidas tchecas existe a becherovka, um licor amargo produzido através da combinação de 32 ervas, como o anis e a canela.

Quer um conselho? Nunca tente acompanhar um tcheco na bebida, caso não queira sair carregado da balada. E um detalhe, o seu amigo tcheco sairá andando normalmente depois de passar a noite inteira regada à bebedeira com o tal líquido da garrafa verde. Afinal, eles são bastante resistentes ao álcool, e dividem essa fama com os alemães.

E foi assim que terminamos a nossa viagem por Praga, um lugar incrível e encantador, com bons preços para turistas, grande variedade de museus e uma paisagem surpreendente em cada esquina, além da sua vida noturna bastante diversa e agitada. Tudo isso mesclado ao charme e beleza que a cidade soube manter desde o início da sua história.