Blog 123

SÃO PAULO (SP): APAIXONE-SE PELA PAULICEIA DESVAIRADA

No Brasil, não há melhor representação visual para a palavra megalópole do que a vista aérea da cidade de São Paulo. Sobrevoando a capital paulista, o horizonte pode parecer, a um primeiro olhar, frio e sisudo. Mas é como lembra-nos o ditado: quem vê cara não vê coração. No solo, o coração de São Paulo é quente e pulsa a mil, inspirado por infinitos sons, sabores e cores. A “Pauliceia Desvairada” é uma festa incansável aos sentidos!

Para que você possa aproveitar ao máximo sua visita a São Paulo, a 123Milhas preparou um roteirão contemplando os principais lugares, gostos e  encantos que fazem a fama de Sampa. Vem com a gente!

São Paulo é uma das maiores e mais globalizadas cidades do mundo e o principal centro financeiro da América do Sul, exercendo significativa influência nacional e internacional nos segmentos econômico, cultural e político. A cidade, que possui o 10º maior PIB do planeta, tem aproximadamente 15 milhões de habitantes e milhares de atrativos para os mais diferentes perfis e bolsos. São desde passeios clássicos, como teatros, monumentos, parques e museus, a atrações cotidianas e banais como tomar ou café na esquina da Avenida Ipiranga com a Avenida São João, imortalizada na música “Sampa”, de Caetano Veloso, andar de bicicleta na Avenida Paulista ou ler um livro em um dos parques da cidade.

Bora, então, passear por São Paulo?

Avenida Paulista

A principal avenida de São Paulo tem quase três quilômetros de extensão e uma imensurável importância para a vida dos paulistanos e dos brasileiros em geral. O coração  financeiro do país é também o endereço de inúmeras atrações capazes de manter o turista entretido por vários dias. A avenida que nunca dorme é cenário dos maiores arranha-céus da cidade, de sedes brasileiras de quase todos os bancos do mundo e palco de manifestações políticas e sociais, shows, maratonas e um dos pontos mais seguros para um passeio a pé em São Paulo.

Não há um só quarteirão da Paulista que não guarde inúmeras surpresas. Artistas de rua, artesanatos diversos, espaço aberto para lazer aos domingos, shoppings, comércios para todos os gostos, restaurantes, cafés e bares. A variedade de espaços culturais também impressiona. São muitos museus, teatros e livrarias – destaque para a colossal Livraria Cultura, dentro do Conjunto Nacional. E se você quiser estender o passeio até mais tarde, não deixe de experimentar a frenética vida noturna da Paulista (é só virar a esquina da Rua Augusta). Comece – ou termine – a madrugada (re)carregando as energias na famosa padaria Bella Paulista. O estabelecimento 24 horas até vende pão! Um local que é a cara da cosmopolita São Paulo.

MASP

Uma viagem à capital paulista nunca será completa sem uma visita ao MASP, o Museu de Arte de São Paulo. Além de ter um dos acervos mais importantes do Hemisfério Sul, o próprio edifício do MASP é uma obra de arte, um dos cartões postais da “terra da garoa”. Conhecê-lo, mesmo que por fora, é um dos programas imperdíveis na cidade.

Inaugurado em 1947 por Assis Chateaubriand,o MASP tem um acervo impressionante com mais de 10 mil obras de artistas brasileiros e estrangeiros, que datam desde o século XIX até os dias de hoje. São dois andares elevados, um térreo (onde fica o vão livre) e mais 2 subsolos de pura arte e cultura.

Parque Ibirapuera

Principal área verde de São Paulo, o Parque Ibirapuera possui 1,6 km², um verdadeiro oásis no coração da capital que tem os maiores índices de poluição do Brasil. Famoso por ser um dos cenários preferidos pelos paulistanos para a prática de atividades físicas ao ar livre e por ser palco para shows diversos, o Ibirapuera é também a casa da famosa Bienal Internacional de Arte de São Paulo, que acontece no Pavilhão Ciccillo Matarazzo.

Bixiga

O mais tradicional bairro de colonização italiana de São Paulo é uma festa só. Entre cantinas e festivais gastronômicos, a culinária típica da Itália, claro, é a grande atração turística do local. No calendário do local, a data mais importante é a festa de Nossa Senhora Achiropita, que acontece nos fins de semana de agosto. Impossível visitar o bairro sem posar para uma foto na famosa Vila Itororó, composta por um casarão de quatro andares e por 27 casas ao redor, que constituíram a primeira vila de São Paulo.

Vila Madalena

Conhecido reduto boêmio da capital paulista, a “Vila Mada” – como é carinhosamente chamada – é um bairro de aura jovem e fervilhante. A pegada alternativa que inspira a região está estampada pelos grafites que colorem os muros do bairro. O mais emblemático é o chamado “Beco do Batman”, uma travessa que recebeu esse nome devido a um grafite do personagem homônimo da DC Comics há muitos anos, e acabou por se tornar um ponto de turismo devido a dezenas de grafites pintados em seus muros. O local conta até mesmo com visitas guiadas com direito a sessões fotográficas profissionais..

Mercadão

O Mercado Municipal de São Paulo – ou simplesmente Mercadão – fica no centro histórico da cidade e foi inaugurado em 1933 para ser um entreposto comercial de atacado e varejo, especializado na comercialização de frutas, verduras, cereais, carnes, temperos e outros produtos alimentícios. Hoje o belíssimo prédio mantém essa função, mas também destaca-se como polo cultural, gastronômico e turístico. Dica: jamais visite o Mercadão sem deliciar-se com o mais famoso pão com mortadela do Brasil. Inigualável.

Liberdade

Conhecido como o maior reduto da comunidade japonesa da cidade de São Paulo, o bairro da Liberdade é história e tradição. Muito de sua arquitetura e traços remetem à colonização nipônica, que escolheu a capital paulista como o endereço da maior concentração de japoneses do mundo fora do Japão. Comércios, restaurantes, mercados e até bancos te fazem lembrar a todo momento que você está em um pedacinho do Japão em pleno centro de Sampa. Não raro, você vai cruzar com pessoas falando japonês pelas ruas e lojas. Fique atento ao calendário dos diversos festivais da cultura japonesa que acontecem ao longo do ano. São encantadores.

25 de março

Céu e inferno em um mesmo lugar. Céu para os amantes das compras a preços bastante acessíveis. Inferno para quem tem pânico de ruas cheias, lojas cheias, corredores cheios… A 25 de março é sinônimo de pechincha, comércio popular e maratona de compras! Vá com um calçado confortável e muita disposição para andar muito e carregar muitas sacolas. Praticamente uma experiência antropológica!

Oscar Freire

Uma das oito ruas mais luxuosas do mundo e a segunda rua mais luxuosa do continente americano. Esta é a rua Oscar Freire, um dos endereços mais badalados da capital paulista. Um passeio à pé por ela é um mergulho no luxo e na imponência das grifes. Ela e suas ruas adjacentes também abrigam diversos restaurantes, bares e docerias renomados – e caros, logicamente. As ruas também contam com obras de grafite do renomado artista Kobra.

Cultura e gastronomia

São Paulo é, antes de mais nada, a capital brasileira do teatro e da boa mesa. São mais de 80 casas de teatro – muitas delas de nível internacional – e algumas delas preparadas para montagens da Broadway que vêm ao Brasil para serem encenadas exclusivamente em na capital paulista.

Quando o assunto é comida, então, os números são astronômicos. São mais de 15 mil restaurantes capazes de agradar e surpreender a todos os paladares, sem falar nos mais de 20 mil bares, sempre com bons petiscos e cerveja gelada. E o que dizer da culinária de rua, tão famosa nas feiras? A pergunta certa na capital paulista não é “onde comer?”, mas sim “o que comer?”.

E, especificamente, quando o assunto são as redondas mais amadas do mundo, São Paulo faz, claro, bonito no cenário mundial. A capital paulista só perde para Nova York em consumo de pizzas em todo o globo. Mais de meio milhão de unidades são vendidas por dia em São Paulo.

Um texto só, mesmo sendo um roteirão, é muito pouco para explorar a magnitude de São Paulo. Uma visita só, é muito pouco para explorar o universo da “pauliceia desvairada” que ostenta 465 anos com muita jovialidade. Então, volte muitas e muitas vezes. São Paulo renasce a cada visita, a cada olhar.

Gostou? Compartilhe:

Comentários