Amapá

Escolha um destino:

Conheça o estado do Amapá

Localizado no extremo Norte do Brasil, o Amapá guarda a área de Floresta Amazônica mais preservada do país. Por isso, o ecoturismo no estado é muito procurado, assim como as excursões que exploram as peculiaridades do território, cortado pela linha do Equador, em seus dois hemisférios. 

O Amapá faz divisa ao norte com a Guiana Francesa, a leste com o oceano Atlântico, ao sul e oeste com o Pará e a nordeste com o Suriname. O estado é formado por 16 cidades, entre elas a capital, Macapá, Oiapoque, município mais ao norte do país, Pedra Branca, Laranjal do Jari e outras. 

Antes de partir rumo a este destino, conheça o estado do Amapá: história, turismo e mais

 

Você vai ler sobre

Estado do Amapá

O nome “Amapá” vem do amapazeiro, árvore frutífera da região. Porém, existe uma lenda que diz que, na verdade, essa denominação tem a ver com o clima local, já que em tupi Amapá significa “o lugar da chuva”. 

Isso porque o clima predominante na área é o equatorial, caracterizado por altas temperaturas e muita umidade. De fato, as chuvas são bem marcantes por lá. Aliás, é comum ver as pessoas agendando encontros e compromissos para “depois da chuva”. 

A população do estado é relativamente pequena, são em média 862 mil habitantes, sendo que o maior número está concentrado em Macapá, capital do Amapá

Os deslocamentos ocorrem por rodovias e por grandes rios da região, importantes economicamente devido à prática da pesca. A economia do Amapá também está voltada para práticas de extrativismo vegetal e mineral.  

O estado tem uma manifestação cultural chamada Marabaixo, que remonta à época das mortes dos africanos em navios negreiros e é muito presente entre as comunidades afro-brasileiras do Amapá. 

Para descobrir mais sobre a história do Amapá, continue acompanhando o artigo e conheça a estrutura do estado. 

Turismo Estado do Amapá

Conheça o estado do Amapá com o Conexão123

Capital do Amapá: Macapá

Macapá, capital do Amapá, foi o primeiro município a ser criado no estado. Possui um território de cerca de 6,5 mil km² e abriga grande parte da população da região, com média de 450 mil habitantes concentrados na área urbana. 

Localizada na região Sudeste do estado, é a única capital brasileira cortada pela Linha do Equador, traço imaginário que divide o planeta em dois hemisférios: sul e norte. 

O turismo do Amapá é rico e variado, além disso o município de Macapá apresenta as melhores condições para hospedagem, com diversos hotéis e pousadas. Lá também estão concentrados grandes cartões-postais da cidade, como o Marco Zero do Equador, local onde foi construído um obelisco para facilitar a observação do Equinócio. 

Outro importante ponto turístico da região é a Fortaleza de São José de Macapá, construída em 1782 para proteger a área de invasões. Já a Vila do Curiaú, a 8 km do centro da cidade, conta com belas paisagens naturais, fauna e flora preservadas, e revela a história de remanescentes quilombolas.

Cidades do Amapá

O Amapá é dividido em 16 municípios: Calçoene, Cutias, Ferreira Gomes, Itaubal, Laranjal do Jari, Macapá, Mazagao, Oiapoque, Pedra Branca do Amapari, Porto Grande, Pracuuba, Santana, Serra do Navio, Tartarugalzinho e Vitória do Jari e também Amapá.

Eles são separados em duas grandes regiões geográficas intermediárias, chamadas também de mesorregiões, sendo elas Macapá e Oiapoque/Porto Grande.

Cada uma dessas mesorregiões é fracionada em outras microrregiões - as regiões geográficas imediatas, que são Macapá e Laranjal do Jari, e Oiapoque e Porto Grande.

Segundo estado menos populoso do Brasil, logo depois de Roraima, as cidades do Amapá, somadas, possuem uma população de cerca de 880 mil habitantes, de acordo com dados estimados pelo IBGE, o que resulta em uma baixa densidade demográfica. São em média menos de 5 pessoas por km². 

Conheça o estado do Amapá: História, Turismo e Mais | Cidade de Oiapoque | Conexão123

Oiapoque é uma das cidades mais visitadas do Amapá

História do estado do Amapá

Os primeiros roteiros de colonização no Amapá estão datados em 1499, época em que o europeu Vicente Yáñez Pinzón navegou pelas águas da bacia Amazônica. 

No entanto, o território amapaense já era habitado por nativos de múltiplas etnias, como: palikur, maracá-cunani e tucuju. Conforme acordo diplomático entre Portugal e Espanha, o território do Amapá passou a pertencer aos espanhóis, em razão do Tratado de Tordesilhas, assinado em 1494.

Porém, em 1637, a mesma zona foi doada para Bento Maciel Parente, explorador português. Apesar da posse portuguesa, o território sofreu diversas invasões de ingleses, holandeses, franceses e espanhóis. 

O conflito entre nações, assim como o estabelecimento de fronteiras internacionais, foi solucionado por meio do Tratado de Utrecht, que certificou a posse dos portugueses na região amapaense. 

Em 1822, o Amapá passou a integrar o Pará. Anos mais tarde, em aproximadamente 1850, a área tornou-se alvo de disputas territoriais entre a França e o governo brasileiro. O conflito se acirrou ainda mais na segunda metade do século XIX.

Somente décadas depois, em 13 de setembro de 1943, de acordo com o Decreto-lei n° 5.812, foi criado o território federal do Amapá, com administração conjunta do governo federal e do estado do Pará. Apenas, com a Constituição de 1988 foi instaurado o estado do Amapá.

Definida através de uma comitiva comandada pelo Anníbal Barcellos (Decreto nº 4, de 30 de janeiro de 1984), a bandeira do Amapá conta com as seguintes cores e seus respectivos significados: 

  • Azul: justiça e o céu amapaense
  • Verde: floresta nativa preservada, esperança, futuro, amor, liberdade e abundância
  • Amarelo: união e as riquezas do subsolo
  • Branco: pureza, paz, segurança e a comunhão entre os habitantes
  • Preto: respeito à vida e dedicação aos que lutaram no passado para o crescimento da região

Geografia do estado do Amapá

Situado na região Norte do Brasil, o Amapá faz divisa com o estado do Pará e  está localizado na fronteira com a Guiana Francesa e o Suriname, além de ser banhado a leste pelo Oceano Atlântico.

A Linha do Equador corta o estado ao sul, passando por Macapá. O Marco Zero, monumento construído na capital, representa o paralelo de latitude de 0º. 

O relevo plano predomina no Amapá, especialmente ao longo do litoral. Porém, no interior do estado, formações de planalto, com a presença de serras e montes, criam um cenário encantador.

As duas principais serras do Amapá são a Serra Lombarda e a Serra do Tumucumaque, com cerca de 700 m de altura, que abriga o Parque Indígena do Tumucumaque, importante área de preservação ambiental na região.

Conheça o estado do Amapá: História, Turismo e Mais | Serra do Tumucumaque | Conexão123

A Serra do Tumucumaque compõe o cenário de montes do interior do Amapá

O clima do local é quente e úmido, fazendo com que a vegetação de floresta equatorial, como a Floresta Amazônica, que ocupa 70% do território amapaense, prevaleça. Os manguezais surgem na zona litorânea e servem de sustento às famílias da região.

A rede hidrográfica do Amapá é formada por rios que, aliás, possuem vasta importância econômica para a região, destacando-se o Amazonas e Oiapoque, os maiores do estado. 

Cultura do estado do Amapá

A cultura do estado do Amapá é muito rica e diversificada. Tradições, lendas, crenças e costumes típicos da região servem como base para o desenvolvimento de danças, arte e gastronomia. 

Por possuir influências indígenas e africanas, são realizadas, durante o ano, manifestações que colaboram com a preservação da herança dos povos que ali viveram. 

O Marabaixo, dança realizada em várias comemorações e em diversas partes do estado, foi herdado dos africanos e detém uma coreografia que simula os passos das pessoas escravizadas, que tinham seus membros presos por correntes e cadeados. O caminhar é marcado por tambores chamados de “caixa” e o canto homenageia a luta e relembra o lamento daqueles que viviam na senzala.

Conheça o estado do Amapá: História, Turismo e Mais | Marabaixo | Conexão123

O Marabaixo é uma das principais manifestações culturais do Amapá

Festas populares brasileiras, conhecidas no Brasil e no mundo, também fazem a alegria dos povos amapaenses, entre elas: Boi-Bumbá, Festa do Divino Espírito Santo, Círio de Nazaré e a Festa de São Thiago. 

Economia do estado do Amapá

A economia do estado do Amapá é formada por três setores: primário, secundário e terciário. No setor primário, as principais atividades desenvolvidas são as extrativistas. O extrativismo vegetal é liderado pelo açaí, seguido da castanha-do-pará, carvão vegetal e madeira. 

O extrativismo mineral é comandado pelo ouro, em Calçoene, que se destaca também no campo de exportações, assim como minério de ferro e manganês, na Serra do Navio. 

Já o setor secundário, que participa com pouco mais de 10% na economia do estado, conta com pequenas indústrias voltadas para transformação de produtos vegetais e minerais extraídos na região. 

Comércios, serviços e bens são os segmentos que mais se destacam na economia do Amapá, contribuindo para grande parte da geração de renda e emprego no estado. 

Na agricultura, o cultivo de arroz e mandioca, e a criação de bovinos, na pecuária, são voltados, em sua maioria, para a subsistência, assim como a pesca, atividade amplamente desenvolvida pela população do Amapá.

Arrume suas malas e conheça as maravilhas do Amapá de perto! A 123milhas oferece as melhores condições para você conhecer o mundo todo. Os serviços de passagem aérea, hospedagem, aluguel de carros e até seguro-viagem servem para deixar o seu passeio ainda mais perfeito.

RESERVAR

RESPOSTAS123

Uma viagem para o Amapá pode custar em média R$ 5 mil, dependendo da sua hospedagem, passagem aérea e manutenção, como alimentação e emergências.

Os pontos turísticos do Amapá, como o Marco Zero e a Fortaleza de São José de Macapá, além do ecoturismo, são algumas atrações que você pode conhecer no estado.

Em razão do clima úmido e quente, o Amapá é um destino que pode ser visitado em qualquer época do ano.