Guia turístico

Bate e volta de São Paulo: conheça o circuito das frutas na zona rural do estado

Morangos, uvas, pêssegos, goiabas, figos… melhor do que se deliciar com essas iguarias é comer todas elas colhidas direto do pé. Não é preciso ir longe para ter essa oportunidade. Bate e volta de São Paulo: conheça o circuito das frutas na zona rural do estado. Você já tinha ouvido falar?

A região rural no entorno da grande metrópole paulista tem plantações das mais variadas frutas e verduras que fazem sucesso, não apenas nas exportações como também na visitação turística. O circuito é responsável por aproximadamente 40% da produção nacional de frutas de mesa e se tornou também um pólo de turismo. Sítios, fazendas e plantações recebem os visitantes com experiências únicas que incluem tours guiados, colheitas, festas e muito mais. 

Conheça a seguir essa rota deliciosa.

Plantações e áreas verdes a perder de vista integram a paisagem das cidades do Circuito das Frutas – a que você está vendo, é de Louveira

 

Onde fica o circuito das frutas de São Paulo

Dez municípios próximos à capital paulista integram o circuito das frutas e todos eles podem ser visitados em esquema de bate-volta para quem vive ou está hospedado em São Paulo. O mais distante da metrópole, Indaiatuba, fica a 110 quilômetros do centro urbano, trajeto que pode ser cumprido em 1h30 de carro, pela Rodovia dos Bandeirantes, ou em cerca de 3h de ônibus. 

As demais cidades que compõem o roteiro ficam no máximo a 90 quilômetros uma da outra. Isso favorece a realização de visitas a dois ou mais municípios em um único dia. 

Apesar de serem muito próximos da capital paulista, os municípios ficam ainda mais perto de Campinas. Por isso, se você estiver saindo de outros estados do Brasil para conhecer essa rota, vale procurar por voos com destino ao aeroporto de Viracopos e se hospedar por lá também. A 123milhas têm excelentes opções de hotéis, passagens e pacotes. 

Veja quais cidades fazem parte do circuito das frutas de São Paulo: Atibaia, Indaiatuba, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, Morungaba, Valinhos e Vinhedo. 

Descubra a seguir o que fazer em cada uma delas e qual a melhor época para visitá-las.

 

Atibaia

Cercada pelas belezas da Serra da Mantiqueira, a estância de Atibaia se destaca pelas plantações de morangos e flores. É a principal produtora da fruta no estado de São Paulo, além de ser responsável, sozinha, por 20% da produção de flores do país. 

Por isso, um atrativo muito explorado pelos turistas é o esquema “Colha e Pague” do Orquidário Takebayashi. O complexo possui uma estufa de orquídeas e outras quatro de morangos. Os visitantes colhem os produtos, pesam todos em uma balança e pagam o correspondente. As excursões ao espaço têm um valor de R$ 5 e contam com o brinde de uma muda de orquídea. As visitas precisam ser agendadas e ocorrem todos os dias, das 9h às 17h. 

 

Escolha os morangos mais suculentos nas plantações do Orquidário Takebayshi

Outro ponto de interesse do turismo rural em Atibaia é a Fazenda Paraíso. Uma ampla área verde com diversas atrações entre trilhas, pedalinhos, playground, fazendinha, piscina para crianças, pesca no lago e redário. Marcando uma visita com antecedência também é possível fazer um tour guiado pela fazenda e alambique. O espaço serve café da manhã colonial e almoço, a preço fixo de cerca de R$ 50 e R$ 90 reais, respectivamente.

Cartão-postal da cidade, o Monumento Natural da Pedra Grande é um lugar que você precisa conhecer quando for a Atibaia. Com 650 metros de altura e cerca de 1.400 de altitude, a montanha fica na Serra do Itapetinga. É muito procurada para prática de voo de asa-delta, paraglider e parapente. 

É possível chegar ao topo por meio de trilhas ou de carro, embora seja preciso atravessar uma estrada um pouco precária. Mas o trajeto vale a pena: a vista lá de cima é impressionante, você se sente flutuando no topo das nuvens que cercam a paisagem.

Do cume da Pedra Grande ainda é possível ter uma vista panorâmica de Atibaia

Se quer aproveitar o melhor do turismo rural em Atibaia, visite a cidade durante uma das duas festas mais famosas no município. Nos meses de junho e julho é realizada a tradicional Festa do Morango. Em setembro, a Festa das Flores celebra  a entrada da primavera.

Atibaia fica a 67 quilômetros de São Paulo e o trajeto pode ser feito de carro em menos de 1h30 pela BR 381. Ônibus intermunicipais também são uma opção. Já Campinas está a 64 km da região.

 

Indaiatuba

Também chamada de Cidade do Sol, Indaiatuba é uma grande produtora de uvas de mesa. O município, que fica a menos de 30 km de Campinas, dispõe de mais de 200 propriedades dedicadas à fruta. As acerolas orgânicas também tem destaque nas plantações.

Parreirais integram o cenário rural de Indaiatuba

O Sítio São José é um ponto turístico onde é possível conhecer mais sobre o circuito das frutas na região. A fazenda oferece visitas às plantações de fruta e ao orquidário. Também são realizados passeios a cavalo por lá. Quitutes caseiros feitos com produtos cultivados na propriedade podem ser degustados e comprados no armazém. A casa ainda oferece almoço aos finais de semana, das 11h às 15h.

Grandes festas ocorrem na região, durante todo ano. Em abril, é realizada a Festa das Frutas e Hortaliças. Em julho, a Festa das Nações Unidas reúne, no centro da cidade, barracas de comidas típicas da culinária italiana, japonesa, alemã, suíça, nordestina e africana. Por fim, em agosto, acontece a Festa da Tradição da Colônia Suíça, organizada pelos moradores da comunidade suíça que marcam presença por lá, principalmente no bairro Helvetia.

O Parque Ecológico de Indaiatuba é construído à beira de um córrego que corta a cidade. São 15 km de pistas de caminhadas e ciclovias, além de bosques, lagos e jardins. Campos de futebol, vôlei, pista de bicicross e de skate profissionais e uma raia de remo olímpico são outros atrativos para os praticantes de esportes. O local é sede também de vários eventos esportivos e culturais, como o Carnaval de Rua e a Corrida Cidade de Indaiatuba.

Toda a estrutura do Parque Ecológico fica rodeada por muita área verde

Saindo de São Paulo, o acesso à cidade é feito pela Rodovia dos Bandeirantes, em cerca de 105 km. Se você estiver indo de outros estados, uma boa opção é pegar um voo para Campinas, que fica a 28 km do município e tem duração aproximada de 40 minutos de carro ou 1 hora de ônibus.

 

Itatiba

No relevo acidentado de Itatiba, cidade que ganhou o apelido de Princesa da Colina, a fruta que se destaca é o caqui. Em abril é realizada a tradicional Festa do Caqui, que em 2022 bateu recordes e atraiu mais de 51 mil turistas para o local. 

As plantações de caqui prosperam na zona rural de Itatiba

Durante a celebração, os visitantes podem comprar e degustar licores, sucos, compotas e geléias feitos com a fruta. Também são organizados passeios rurais por algumas fazendas da região, onde é possível conhecer de perto a produção de caquis. Uma delas é o Sítio São José, que recebe visitas em suas plantações de caqui, uva, morango e outras delícias durante todo ano.

Se você for visitar a cidade fora da época da colheita dos caquis, também pode encontrar algumas frutas frescas no Mercadão. Outra dica com data flexível é o passeio na Adega Rosso Naturale, uma produtora de vinhos artesanais que também funciona como restaurante, especializado em carnes, peixes e queijos defumados.

Mais um ponto turístico imperdível em Itatiba: o Zooparque. O espaço foi o primeiro zoológico temático do Brasil e o maior estabelecimento privado do tipo no país. São milhares de animais vivendo em grandes recintos que recriam seus respectivos habitats naturais. O ambiente ainda dispõe de trilhas temáticas, museu, jardim sensorial, loja de souvenirs e um centro de pesquisa e preservação animal.

Os rinocerontes são alguns dos animais abrigados pelo Zooparque de Itatiba

Junho e outubro também podem ser meses interessantes para viajar até a cidade. São quando ocorrem, respectivamente, a Festa de São Pedro e a Festa de San Genaro, esta última dedicada à cultura italiana, muito presente no local. 

Itatiba fica a 80 km da capital paulista. O trajeto pode ser feito de carro pela rodovia dos Bandeirantes ou até mesmo de ônibus. A viagem leva menos de 1h20.

 

Itupeva

A 70 km da capital de São Paulo, a cidade de Itupeva é repleta de atrativos para os turistas. No circuito das frutas, ela se destaca pela produção de uvas. Inclusive, é em homenagem à iguaria que acontece a principal celebração da região: a Expo Uva. Durante o evento, realizado tradicionalmente em dezembro, são premiados os melhores exemplares da fruta dos produtores locais.

As uvas do tipo Niagara se destacam nas plantações de Itupeva

Quem deseja conhecer pontos de turismo rural no município pode visitar o Sítio Sassafraz. A grande fazenda produz, além das uvas (que podem ser encontradas nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro, junho e julho) diversas outras frutas e legumes orgânicos, disponíveis para os clientes de segunda a domingo no sistema “colha e pague”. Você escolhe o produto direto do pé, pesa e paga o valor correspondente.

Além disso, aos finais de semana, o complexo oferece outras atividades, como o passeio de trem, o passeio a cavalo para crianças (ambos por R$ 10) e os pacotes de ração por R$ 5 para alimentar os animais da fazendinha. O armazém e o café da manhã colonial são outros lugares onde é possível provar algumas das delícias produzidas na região.

E onde tem uva boa, a gente pode imaginar, também tem vinho do bom. Se essa é sua praia, aproveite para degustar a bebida na butique Bramasole. A vinícola artesanal oferece vinhos e espumantes de inverno, feitos com as uvas syrah e cabernet franc que crescem na região. Abre aos sábados e aos domingos, das 11h às 17h.

Além de conhecer os parreirais, é possível degustar os vinhos produzidos pela Bramasole ao lado da plantação

Mas os atrativos turísticos da região não param aí. Itupeva abriga dois dos maiores parques de diversão do Brasil: o Wet’n’Wild, com 25 tobogãs, rampas molhadas e afins, e o Hopi Hari, dono da única montanha-russa de lançamento do país. Para completar, o maior centro de compras do estado também fica por ali: o Outlet Premium. 

Todas essas atrações ficam na Rodovia dos Bandeirantes, usada para chegar até a cidade saindo da capital paulista. São pouco mais de 70 km de estrada, percorridos em cerca de 1h de carro.

 

Jarinu

Pitoresca e bucólica, a pequena cidade de Jarinu, com menos de 30 mil habitantes, também integra o circuito das frutas de São Paulo. Seu clima ameno, com temperaturas sempre entre 18°C e 28°C, favorece o cultivo de pêssegos, ameixas e morangos e uvas

Extensas plantações na zona rural de Jarinu

Assim, as melhores épocas para visitar a cidade são durante junho e julho, quando ao lado de sua vizinha Atibaia, o município sedia a Festa do Morango. E também em dezembro, época da colheita de pêssegos e ameixas.

Saindo um pouco da produção frutífera – mais ainda voltado ao turismo rural – o cultivo de cogumelos também destaca-se na região. A poucos quilômetros do centro da cidade é possível visitar fazendas dedicadas à atividade. No showroom da empresa Cogumelos Mazzei, por exemplo, os visitantes podem saber mais sobre os cogumelos, conferir o cultivo desses fungos e comprar estes e outros produtos locais.

As adegas e cachaçarias são outro atrativo para os turistas em Jarinu. No centro da cidade é possível conhecer o tradicional Alambique Zanoni, em operação desde 1943. Lá são vendidas cachaças artesanais, licores de 16 sabores diferentes e frutas secas de produção própria. Se estiver buscando uma experiência mais campestre, vá até o Alambique Ferrara, que fica dentro do Sítio São Pedro, uma grande área verde onde também são produzidos vinhos, licores e queijos artesanais.

Aproveite a paisagem bucólica do Alambique Ferrara

A cerca de 70 km de São Paulo, Jarinu é vizinha de Atibaia, separadas por menos de 30 km. Pode ser uma boa ideia visitar ambas em uma mesma viagem. Não existem ônibus intermunicipais com destino à Jarinu saindo da capital, mas é possível ir de carro pela Rodovia dos Bandeirantes, BR 381 ou Rodovia Edgard Máximo Zambotto, e o trajeto dura menos de 1h30.

 

Jundiaí

A maior cidade que integra o circuito das frutas de São Paulo é Jundiaí. Com mais de 400 mil habitantes, o município é também o que tem mais festas relacionadas à produção rural em seu calendário. E por falar em produção, a que ganha destaque na cidade é a da uva e do vinho. São muitas celebrações dedicadas à atividade: a Festa da Uva e Expo Vinho, realizadas em janeiro, e a Festa do Vinho Artesanal, em agosto.  

Os concursos de produtoras locais fazem parte das comemorações da Festa da Uva em Jundiaí

Dentre os passeios rurais mais famosos da cidade, estão as visitas às adegas tradicionais. São cerca de 20 produtores de vinho na cidade. Uma das mais tradicionais e conhecidas é a Villa Brunholi. Além de adega, o espaço dispõe de um restaurante, minifazenda e um museu. 

Outra sugestão interessante para quem quer percorrer o circuito do vinho é a Adega e Cervejaria Galvão. O espaço é familiar e aconchegante: são várias casinhas conectadas que abrigam uma adega, um restaurante e a residência dos proprietários, em meio a muito verde e plantações de videiras. 

Em ambos estabelecimentos, as visitas ocorrem de terça a domingo, a partir das 9h.

Se quiser aproveitar a escapada para entrar ainda mais em contato com a natureza, você pode conhecer algum dos 6 parques da cidade. Dentre eles, destacam-se o Jardim Botânico, que possui várias áreas temáticas, orquidário, viveiros e estufas, e o Parque da Cidade, que tem 500 mil metros quadrados e muitas áreas para fazer piquenique e caminhadas ecológicas.

Diversos tipos de plantas dão vida ao paisagismo do Jardim Botânico

As heranças culturais de Portugal e da Itália são muito fortes em Jundiaí, e também costumam ser celebradas no calendário da cidade. A Festa Italiana ocorre entre maio e junho, e em agosto é realizada a Festa Portuguesa.

De todas as cidades que integram a rota das frutas, Jundiaí é a mais próxima de São Paulo, há menos de 60 km da capital – menos de 1 hora de carro pela rodovia dos bandeirantes. Outro jeito interessante de chegar ao município é de trem. Em janeiro de 2022, o Expresso Turístico da CPTM retomou as viagens a bordo de uma locomotiva da década de 50, que parte todos os sábados, da Estação da Luz, em São Paulo.

O passeio dura 1h30 e é de bate-volta. O embarque ocorre às 8h30 da manhã e o retorno fica marcado para às 16h30 do mesmo dia. Ida e volta saem por R$ 50 por pessoa.

 

Louveira

Louveira fica bem no meio do caminho entre as cidades de Itatiba, Itupeva, Jundiaí, Vinhedo e Jarinu. Por conta disso, o município pode se encaixar em diferentes roteiros pelo Circuito das Frutas. Também é produtor de variadas delícias, entre uva, caqui, pêssego, figo, ameixa e morango. 

Para provar um vinho local e conhecer algumas das plantações da região, o tour pela Vinícola Micheletto, no Sítio Santa Rita, é uma boa pedida. O espaço organiza visitas guiadas pelos parreirais e degustações de seus produtos. Há opções de roteiros convencionais, pedagógicos, técnicos e para a melhor idade. Essas devem ser agendadas com antecedência, mas o armazém que vende os produtos da casa fica aberto diariamente.

A imponente casa que abriga a Vinícola Micheletto se destaca entre os parreirais

Em maio, Louveira recebe a Festa da Uva, afinal de contas, a colheita dessas frutas por lá ocorre no inverno. No mês seguinte, em junho, é a vez da Festa de Santo Antônio, co-padroeiro da cidade. O evento ocorre desde 1933, e é repleto de comidas nordestinas, mineiras e caipiras. 

Outra celebração tradicional do município é a Festa de Nossa Senhora da Abadia, organizada pela Vinícola Micheletto. A tradição vem de 1920, quando uma imagem da santa foi encontrada na fazenda. Em sua homenagem foi construída, na década de 50, a Capela Nossa Senhora da Abadia no centro da cidade.

A cor vibrante da Capela Nossa Senhora da Abadia chama atenção no centro de Louveira

Louveira fica a 70 km de São Paulo e pode ser acessada em 1 hora de carro, pela Rodovia dos Bandeirantes. É mais próxima ainda de Campinas, há menos de 30 km da cidade e cerca de 30 minutos de viagem pela BR – 050.

 

Morungaba

A menor de todas as cidades que integram o Circuito das Frutas de São Paulo, Morungaba possui apenas 12 mil habitantes, e fica aos pés da Serra das Cabras. A entrada para a cidade é de encher os olhos, pois é preciso passar por um túnel de bambus bem imponente.

Bambuzal em formato de túnel no acesso ao município de Morungaba

Na região, a fruta mais cultivada é o maracujá, mas o local também se destaca pelas plantações de uva, figo, laranja e pêssego. Outro motivo pelo qual a cidade é bem famosa são os doces artesanais, feitos com as frutas frescas da região. Eles são exportados para diversas regiões do estado.

Para degustá-los, dê uma passada na confeitaria e fábrica Doces David, no centro. Você vai encontrar geléias, compotas, doces cremosos e em barras, sorvetes artesanais, salgados, frutas cristalizadas e muito mais.

Se quiser curtir um clima de roça e fazer uma boa refeição, pode conhecer a  Stefano’s Fazenda. Com buffet de comida caipira, o espaço também abriga criações de animais e as crianças podem fazer passeios a cavalo.

Outra opção de lazer em áreas verdes na região é o Parque Ecológico Pedro Mineiro. Cercado pela serra, o espaço dispõe de 26 hectares de belezas naturais com flora nativa, quedas d’água, mananciais, lago e uma bela ponte pênsil.

O Parque Ecológico Pedro Mineiro fica entre os morros da Serra das Cabras

Como não há nenhuma festa típica no calendário da cidade, você pode visitá-la em qualquer época do ano. Mas lembre-se de que o verão, entre os meses de dezembro e março, é a época em que mais chove por lá. Também vale a pena aliar a viagem ao município com a ida a outra cidade do circuito. Itatiba, por exemplo, fica a apenas 20 km.

Morungaba fica a cerca de 100 km de São Paulo. É possível chegar até lá pela de carro pela Rodovia dos Bandeirantes ou por meio de ônibus intermunicipais. Saindo de Campinas são 42 km de estrada, pela Rodovia Dom Pedro I.

 

Valinhos 

Quase 80% da produção de figo que chega na mesa dos brasileiros vem de Valinhos. Por isso, a fruta é uma das principais atrações da cidade e recebe uma festa própria: a Festa do Figo, realizada tradicionalmente em janeiro. No mesmo mês, o local promove outro festejo importante: a Expo Goiaba, dessa vez em homenagem à segunda fruta de maior destaque na região. 

Se você quiser conhecer mais sobre o cultivo dessas e de outras delícias, uma dica de turismo rural na cidade é a Adega Tio Mário, localizada na Chácara da Boa Esperança. Apesar do nome, o espaço não é dedicado apenas aos parreirais, a Adega também tem plantações de figo e goiaba. Os visitantes podem conhecer de perto as lavouras e aprender mais sobre a produção das frutas, do plantio à colheita. As visitas guiadas devem ser agendadas e o local funciona de terça à domingo em horário comercial. 

Diversidade de plantações na fazenda da Adega Tio Mário

Outro atrativo para os turistas na região é o Observatório Abrahão de Moraes. Comandado pela USP, o local dispõe de telescópios e instrumentos para a observação do céu. As visitas são gratuitas e devem ser realizadas com agendamento prévio.

Nos dias úteis, o público é atendido das 8h às 17h, com visita aos instrumentos, palestra sobre astronomia, exibição de imagens e observação do Sol. Já à noite, os encontros ocorrem apenas aos finais de semana em que a lua está em sua fase crescente. Então, é realizado o evento “Noite com as Estrelas”, onde são feitas observações com os telescópios Prometeu e Asterix. Nestes dias, também há atendimento diurno, mediante agendamento.

Telescópios de ponta fazem parte do acervo do Observatório Abrahão de Moraes

Valinhos é a cidade do circuito das frutas que fica mais perto de Campinas, a apenas 9 km do grande centro urbano. São menos de 20 minutos de carro, pela Rodovia Francisco Von Zuben, quase o mesmo tempo se você decidir ir de ônibus. Se estiver saindo de outros estados, tente pegar um voo para o aeroporto de Viracopos, muito próximo deste pólo turístico.

Se estiver na capital paulista, a viagem dura pouco menos de 1h30 de carro, pela Rodovia dos Bandeirantes. Também é possível fazer o trajeto de ônibus.

 

Vinhedo

O próprio nome já entrega: Vinhedo é famosa pelos… vinhos! E também, claro, pela produção de uvas. No mês de fevereiro, o município promove a Festa da Uva e do Vinho. E áreas de degustação de produtoras locais se espalham pelas ruas da cidade. Se você é fã da bebida, clique aqui para conferir outros destinos de enoturismo no Brasil.

Para conhecer melhor o cultivo da planta e o processo de fabricação dos rótulos, você pode fazer um tour pelos vinhedos da região. A Adega da Família Ferragut, por exemplo, oferece visitas guiadas pelos mais de cinco mil pés de uva de sua fazenda e ensina os processos de produção do vinho e do suco. 

Com clima intimista, a visitação é feita mediante agendamento, e conta ainda com degustação personalizada, em que os clientes escolhem as bebidas que serão harmonizadas com patês, antepastos, doces ou geleias, todos artesanais. O local abre diariamente, de segunda a sábado das 9h às 17h, e aos domingos até às 13h.

Degustações e visitas às plantações fazem parte das atividades guiadas pela Adega da Família Ferragut

A tradição da viticultura em Vinhedo foi herdada dos imigrantes italianos, cujos costumes têm influência até hoje na cidade. Por isso, muitos pontos turísticos do município celebram essa presença. 

É o caso do Portal do Imigrante, localizado na principal estrada de acesso à cidade, e do imponente Memorial do Imigrante, que conta com seis edifícios construídos no estilo romano. O local abre de segunda a sexta, das 9h às 17h.

O prédio que abriga o Memorial do Imigrante faz alusão a Veneto, região localizada no nordeste da Itália

Outro local onde a cultura italiana está fortemente presente é no restaurante e adega da Família Azzolin. Eles são responsáveis por preparar massas caseiras e produzir o próprio vinho. É possível fazer degustações simples, com seis rótulos da casa, e tem outras mais elaboradas com bebidas importadas. E ainda se come super bem.

Vinhedo é vizinha de Valinhos, e também fica bem perto de Campinas, a cerca de 20 km da cidade, trajeto que pode ser feito pela BR 050, de carro ou ônibus. Saindo de São Paulo, o percurso tem aproximadamente 80 km e também pode ser cumprido pela 050 de carro.

Muitas delícias estão à sua espera e a 123milhas vai facilitar este encontro. Com ofertas de até 50% em hotéis, passagens aéreas e pacotes, você pode economizar enquanto viaja. Partiu?