Lugares para conhecer

Melhores pontos turísticos de Porto Velho

A natureza exuberante que cerca a capital de Rondônia, no Norte do Brasil, rende muitos programas incríveis. Separamos os melhores pontos turísticos de Porto Velho que você precisa incluir no roteiro da sua viagem. Confira!

 

Passeio de Barco pelo Rio Madeira

Que tal percorrer um dos principais rios da Amazônia? Um dos programas essenciais para conhecer a floresta ao redor do município é o passeio de barco pelo Rio Madeira em Porto Velho. A atração é disponibilizada diariamente por diversas embarcações que ficam às margens do curso d’água, em frente ao Museu Ferroviário.

Os barcos têm saída diária nos dias úteis e, aos fins de semana, os horários são de hora em hora

O percurso dura cerca de 1 hora e vai até a ponte que liga Rondônia ao Amazonas, retornando até próximo a uma das usinas hidrelétricas do município. Durante a viagem, você pode se sentar às mesas e consumir bebidas e comidas típicas, vendidas no restaurante das embarcações.

O ingresso normalmente custa em torno de R$ 25 por pessoa. Muitos barqueiros não aceitam cartão, então é bom conferir com eles antes. Outra dica excelente é a de fazer o passeio por volta das 17h30 para curtir o pôr do sol no rio. A paisagem é fantástica, com um misto de cores no céu que parecem de fantasia.

O crepúsculo no Rio Madeira exibe cores impressionantes, por isso é a melhor hora do dia para realizar a viagem de barco

Quando for passear de barco em Porto Velho, lembre-se de conferir também a pequena Feirinha de Artesanato e Produtos Típicos, montada na mesma área. A Feira do Sol do Madeira ocorre em um dos galpões da Praça Madeira Mamoré, de segunda a sexta, das 8h às 17h. Nos sábados, domingos e feriados, elas duram um pouquinho mais, seguindo até às 19h.

 

Passeio de Litorina pela Ferrovia Madeira-Mamoré

Próximo à região onde são oferecidos os passeios de barco, está uma das principais atrações históricas de Porto Velho: o complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. O local foi de extrema importância para a fundação da cidade, que só começou a ser povoada com a construção da ferrovia, em 1907.

Além da exposição da antiga locomotiva e de alguns vagões da época, ao ar livre mesmo, a Praça Madeira-Mamoré abriga o Museu Ferroviário ou Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. O centro conta a história conturbada dessa construção, que, apesar de ter sido muito importante para o desenvolvimento da região, infelizmente custou a vida de muitos trabalhadores.

Vista aérea do complexo que reúne o museu e as exposições abertas da Ferrovia Madeira-Mamoré, às margens do Rio Madeira

A ferrovia foi resultado de uma obra complexa de engenharia. Doenças endêmicas, como a malária e a febre amarela, mataram muitos operários durante o processo. A construção chegou a ser apelidada de “Ferrovia do Diabo”. Boa parte dessa história é contada no museu. Mas atenção: por alguns anos, ele foi fechado para obras de revitalização. Quando estiver na cidade, certifique-se de que ele já foi reaberto.

Para mergulhar a fundo na memória da ferrovia, que está desativada desde os anos 1950, você também pode passear de Litorina em Porto Velho, isto é, um pequeno vagão movido a diesel. Com capacidade de até 15 passageiros, ele foi usado na ferrovia para transportar principalmente engenheiros, médicos, feitores e, claro, o salário dos funcionários na época.

São pouco mais de 2 km de passeio, em um trajeto feito em 20 minutos, no qual o percurso é cercado pela Floresta Amazônica e passa pelo famoso Casarão dos Ingleses. A estação para subir no veículo fica no final da Estrada do Santo Antônio, ao lado do Memorial Rondon e da Capela de Santo Antônio. A atração funciona de terça a sexta, das 14h às 17h, e, aos fins de semana e feriados, das 9h às 17h30.

Depois de 24 anos sem funcionar, a Litorina foi reinaugurada para passeios turísticos em 2019

 

Banhos nos balneários de Porto Velho

No verão amazônico, que ocorre entre os meses de julho e dezembro, as temperaturas são altas em Porto Velho, chegando a bater 40º C. A estiagem de chuvas também favorece o surgimento de “praias” nas beiras dos rios da floresta. É pra lá que os moradores e os turistas vão para se refrescar.refrescarem.

Os chamados Balneários de Porto Velho estão por toda parte. De acordo com um mapeamento da Secretaria de Turismo, a capital conta com 17 balneários espalhados pela região. Alguns deles têm estrutura com restaurantes, pousadas e áreas de lazer.

Conheça aqui alguns dos melhores balneários de Porto Velho e saiba como chegar até eles.

 

Balneário Taboca

Localizado em área ampla e arborizada, o Balneário Taboca tem um igarapé de água corrente e límpida. Oferece espaço para redário (local onde se penduram redes), áreas para a prática de futebol e vôlei, além de estrutura de bar e restaurante. 

A entrada é gratuita, e o espaço funciona de terça a domingo. O Taboca fica no Km 22 da BR-364, no sentido Guajará-Mirim, onde há uma estrada de acesso conhecida como “Linha 22”. A partir desse local, o motorista ainda precisa percorrer mais 4 km para chegar ao local. São cerca de 30 minutos, se você estiver de carro.

Os balneários são pequenas “prainhas” formadas na beira dos rios com a estiagem das chuvas

 

Balneário Rio das Garças 

Bem perto do Taboca, no Km 22 da BR-364, está o Balneário do Rio Das Garças. O nome do local homenageia o rio que atravessa o espaço. Com um ambiente agradável e ampla área verde, no estabelecimento há pontos para acampamento com iluminação noturna, restaurante com pratos regionais, bar e área para a prática de futebol e vôlei. 

O local está aberto todos os dias, inclusive nos feriados, das 7h às 18h. Fica a uma rota de cerca de 30 minutos do centro, se você for de carro.

Alguns balneários são excelentes para a prática de esportes aquáticos

 

Balneário Cachoeirinha

Uma das características do rio que atravessa o local é uma corrente que forma pequenas cachoeiras, o que inspirou o nome do balneário. O ambiente tem playground, área para a prática de esportes, estrutura de acampamento e restaurante com comidas regionais.

Um dos próximos do centro da cidade, o Balneário Cachoeirinha fica no Km 17 da BR-364, também no sentido Guajará-Mirim, totalizando cerca de 20 minutos de carro. A estrada de acesso ao estabelecimento está à esquerda do motorista. Depois de pegar a rota, são mais 3 km até o espaço, que cobra entrada por veículo. O estabelecimento abre, de segunda a domingo e também nos feriados, das 7h às 18h.

Além da cachoeira revigorante, o Balneário tem um espaço mais calmo para o banho

 

Balneário Água Gelada

O nome do estabelecimento é uma homenagem ao igarapé que atravessa o local. Assim, já dá para adivinhar como é a temperatura do banho por lá, né? Esse balneário também dispõe de área para camping e campo de futebol, além de um restaurante que serve comida regional, como galinha caipira e peixes.

O Balneário Água Gelada está aberto todos os dias, e é cobrada uma taxa de entrada de R$ 10 por pessoa acima de 12 anos. Funciona das 7h às 18h. Está situado no Km 42 da BR-364, sentido Guajará-Mirim, onde há uma estrada de acesso, na qual o motorista deve seguir por mais 3 km. São pouco mais de 30 minutos de carro.

Um deck de madeira e redes parcialmente submersas fazem parte da estrutura do Água Gelada

 

Memorial Rondon

Você sabe quem foi o Marechal Rondon? Conhecido por desbravar grande parte da região da Bacia Amazônica e do Estado Mato Grosso, o explorador ficou famoso por seu apoio às populações indígenas brasileiras. Por isso, foi chamado também de “Marechal da Paz”. Caso você esteja notando alguma semelhança nos nomes, sim, o Estado de Rondônia recebeu a alcunha em homenagem ao militar.

No Memorial Rondon você vai conhecer um pouco da história da região. Inaugurado em 2015, o espaço tem seis ambientes, sendo quatro salões de exposições, uma réplica da Estação Telegráfica de José Bonifácio e uma Oca. A visita dura cerca de 40 minutos.

Posteriormente ao tour, também é possível conhecer a Capela de Santo Antônio e observar a vista do mirante para o Rio Madeira. O museu fica bem às margens do curso d’água, um pouco mais afastado do centro da cidade, na Estrada de Santo Antônio, número 4.863. O local funciona de terça a domingo, das 10h às 16h, com entrada gratuita.

O Memorial Rondon dispõe de 400 peças, um filme de seis minutos e um aparelho de telégrafo secular para a apreciação dos visitantes

 

Catedral Sagrado Coração de Jesus

A Catedral Sagrado Coração de Jesus é patrimônio histórico de Porto Velho. Começou a ser construída em 1917, mas só foi finalizada inteiramente em 1958, em razão de dificuldades para conseguir material. Sua arquitetura é mista, e, se por fora se destaca o estilo romano, por dentro é possível observar muitos elementos góticos.

A Catedral pode ser visitada, todos os dias, a partir das 8h da manhã. As celebrações religiosas ocorrem às segundas, terças, quintas e sextas, às 18h15; aos sábados, às 19h; e, aos domingos, em quatro horários: 6h30, 8h, 18h e 20h.

A principal catedral da cidade está localizada na Praça Padre João Nicoletti

 

Palácio Getúlio Vargas

Quando o Palácio Getúlio Vargas foi inaugurado, em 1954, a região ainda não era considerada um estado do Brasil. O local foi a sede do governo do território até 2015, e da sacada desse edifício, em 1982, foi feito o anúncio da instalação do Estado de Rondônia.

Hoje, o palácio abriga o Museu da Memória Rondoniense. O local preserva um acervo com obras de artes, jornais e documentos antigos e ainda mantém uma sala de pesquisas. Ótimo para conhecer mais a história de Rondônia. Suas escadarias também costumam receber alguns eventos oficiais da cidade.

Fechado para reforma e revitalização, o Museu tem previsão de reabertura ao público ainda no primeiro trimestre de 2022. Quando visitar Porto Velho, confira se esse ponto turístico já foi reaberto. O endereço é: rua Dom Pedro II, 608, no centro.

Com estilo neocolonial, o Palácio Getúlio Vargas se destaca diante de quem caminha pelas ruas de Porto Velho

Para fazer todos os passeios você pode alugar um carro em Porto Velho. E clique aqui para saber o preço da passagem para Porto Velho. A 123milhas te mostra ótimas opções!

E espere só até conhecer a diversidade da gastronomia em Porto Velho! Os ingredientes fresquinhos da Floresta Amazônica se transformam em pratos deliciosos que você tem que comer quando estiver na cidade!