Lifestyle

Destinos para mulheres aventureiras

Trilhas, paisagens, cachoeiras, áreas verdes, sons da natureza ou novas experiências. Os atrativos do turismo de aventura são extensos. Viajando sozinha ou acompanhada, há várias possibilidades para explorar. No post de hoje do especial “Viajar é pra todas”, conheça alguns destinos para mulheres aventureiras e descubra como aproveitar melhor cada lugar.

O mochilão é um ótimo tipo de turismo de aventura

O mochilão é um ótimo tipo de turismo de aventura

 

Roteiros para aventureiras

As opções de destinos naturais no Brasil são diversas e incluem passeios direcionados a todos os tipos de turistas. Para onde viajar a fim de curtir a natureza? A lista é variada. Praias, piscinas naturais, águas termais, cachoeiras, florestas, mirantes. Em todo o país, você encontrará algum lugar para renovar as energias.

Se você gosta de suar a camisa, de estar cercada pela vegetação e de respirar ar puro, as trilhas são ótimas indicações para turismo. No Brasil, há três parques enormes e indicados às fãs de trekking: Chapada dos Veadeiros, Chapada Diamantina e Chapada dos Guimarães.

Pesquise e conheça bem o lugar antes de viajar

Pesquise e conheça bem o lugar antes de viajar

 

Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros fica em Goiás, no coração do Cerrado brasileiro. Encontra-se a 230 km de Brasília (DF) e é um dos passeios queridinhos dos brasilienses. O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros tem cerca de 240.611 hectares de mata preservada e abrange oito cidades, mas sua principal entrada é na Vila de São Jorge. O ingresso custa R$ 18 por pessoa, e não é obrigatório contratar um guia credenciado – porém, caso você não tenha o hábito de fazer esses passeios, essa é uma boa recomendação.

As trilhas da Chapada dos Veadeiros são muito populares

As trilhas da Chapada dos Veadeiros são muito populares

quatro opções de trilhas oficiais e bem sinalizadas. Os visitantes não devem explorar outros percursos, visto serem grandes as chances de ficarem perdidos. E como viajar é pra todas, há trajetos de diferentes níveis que agradam tanto as iniciantes quanto as mulheres acostumadas com aventuras.

A Trilha da Seriema é a mais fácil e pode ser feita até por crianças, idosos e pessoas que não tenham o hábito de fazer exercício físico. São apenas 800 metros planos, com duração estimada de 1h30. Ao final, você encontra o córrego Preguiça, onde é possível nadar.

A opção moderada é a Trilha dos Cânions e a Cachoeira dos Cariocas. São 11 km de ida e volta e o passeio tem duração de 4h a 8h, dependendo do tempo que você permanecer nos atrativos. Apesar de ser longo, boa parte do percurso é em área plana. Você pode fazer pausas para se refrescar nas quedas d’água e nos poços.

Também, num percurso de 11 km, há estas trilhas: dos Saltos, Carrossel e Corredeiras. O trajeto, porém, tem maior exigência física pelas subidas e descidas. O ponto mais alto é o Mirante do Salto do Rio Preto, de onde é possível ver uma queda d’água de 120 metros. As Corredeiras do Rio Preto são conhecidas pelas hidromassagens naturais.

A mais difícil é a travessia das Sete Quedas, que tem 23,5 km e deve ser feita entre dois ou três dias. Há uma área de acampamento para passar a noite, sendo necessário fazer a reserva com antecedência no site. A época propícia é somente no período da seca, de junho a novembro. Exige-se do visitante bastante esforço físico, mas as paisagens e as cachoeiras compensam todo o caminho.

Aproveite para nadar nas cachoeiras após as trilhas

Aproveite para nadar nas cachoeiras após as trilhas

Com exceção da travessia das Setes Quedas, que possibilita pernoite, as trilhas podem ser feitas no horário de funcionamento do Parque, das 8h às 18h. É bom planejar bem o programa para conseguir fazer tudo com tranquilidade.

Além do Parque, a região da Chapada dos Veadeiros oferece outros destinos na natureza. No município de Alto Paraíso de Goiás, bem pertinho da Vila de São Jorge, você encontra várias trilhas e poços com águas cristalinas. A Catarata dos Couros, as cachoeiras Loquinhas e dos Cristais, além do Poço Encantado, são algumas indicações.

Outro ponto famoso é a Cachoeira Santa Bárbara, cartão-postal da Chapada. Fica a 27 km do centro de Cavalcante e a 120 km de Alto Paraíso de Goiás. Aproveite para também conhecer a Cachoeira da Capivara e a Cachoeira de Candaru. As três podem ser visitadas no mesmo dia.

A Cachoeira de Santa Bárbara é o cartão-postal da Chapada dos Veadeiros

A Cachoeira de Santa Bárbara é o cartão-postal da Chapada dos Veadeiros

Saiba tudo sobre as quedas d’água da Chapada dos Veadeiros e conheça todas as atrações naturais do Cerrado.

 

Chapada Diamantina

Um dos destinos aventureiros na Bahia é a Chapada Diamantina, localizada no centro do estado. A região tem 41.751 quilômetros quadrados e abrange 24 municípios.

Muitas turistas vão até lá para fazer a trilha no Vale do Pati. São cinco dias de aventura, percorrendo entre 15 km e 20 km em cada um deles. Começa em Mucugê e vai até o Vale do Capão, ficando a cada dia em uma cidade. As paradas são feitas nas casas de moradores da região, que oferecem banho, refeições e hospedagem. Ao longo do caminho, as trilheiras passam por lugares espetaculares como Mirante do Pati, Cachoeira do Funil, Morro do Castelo, Rio do Cachoeirão. A experiência é denominada “Fazer o Pati””

Diversas pessoas se reúnem para “fazer o Pati”

Diversas pessoas se reúnem para “fazer o Pati”

Se você quer uma trilha que exija menos esforço físico e com apenas um dia de duração, a dica é o trajeto das Águas Claras, saindo do Vale do Capão até o Morro do Pai Inácio – um dos cartões-postais da região. O trajeto tem 18 km, mas é majoritariamente plano. Não deixe de subir no Mirante do Morro, que chega a 1.150 metros de altitude. A vista é de tirar o fôlego! Funciona todos os dias, das 9h às 17h, e custa R$ 12 por pessoa.

Aproveite bastante a vista do Morro do Pai Inácio

Aproveite bastante a vista do Morro do Pai Inácio

Quem gosta de tirolesa deve ir ao Poço do Diabo, no município de Lençóis. A entrada custa R$ 10 e dá acesso ao Rio Mucugezinho e a vários poços e quedas d’água. O valor da tirolesa é de R$ 40 por pessoa e garante bastante adrenalina!

Saiba mais sobre onde ir e o que fazer na Chapada Diamantina.

 

Chapada dos Guimarães

Também no Cerrado, um dos melhores destinos de natureza no Brasil é a Chapada dos Guimarães, localizada a 70 km de Cuiabá, capital de Mato Grosso. O Parque Nacional tem 32.630 hectares de área preservada com rios, cachoeiras, fauna e flora.

O acesso ao Parque é gratuito, mas certas atrações – Morro de São Jerônimo, Cidade de Pedra e Vale do Rio Claro – exigem a contratação de um guia credenciado. Confira aqui a lista dos profissionais.

Aproveite as quedas d'água da Chapada dos Guimarães

Aproveite as quedas d’água da Chapada dos Guimarães

Um passeio famoso é o Circuito das Cachoeiras, onde você encontrará seis quedas d’água: 7 de Setembro, Pulo, Degraus, Prainha, Andorinhas e Independência, não sendo permitido entrar na última. O percurso tem 6 km e é tranquilo de ser realizado.

A Cachoeira Véu da Noiva é parada obrigatória na Chapada, em razão de a queda d’água ter 86 metros de altura e muita vegetação ao redor. Não é permitido nadar no local, mas você pode observar a vista do mirante. Um dos charmes são as araras que voam ao redor da cachoeira.

Veja do mirante a Cachoeira Véu da Noiva

Veja do mirante a Cachoeira Véu da Noiva

Quem quer uma caminhada mais puxada deve ir ao Morro de São Jerônimo, com 800 metros de altitude. A trilha dura cerca de 5 horas e exige bom preparo físico pelos aclives, declives e por uma pequena escalada.

O Parque abre, diariamente, das 9h às 17h. Para visitar, é necessário fazer o agendamento prévio no site.

 

Viagens para todas

Você pode viajar sozinha, acompanhada ou fazer amigas pelo caminho. Não há uma maneira certa de conhecer os destinos e se conectar com a natureza. Para a designer Angélica Lourenço, todas as formas de viagens são válidas, e a escolha depende do que ela prefere no momento.

Sua grande aventura foi um mochilão pela América Latina, onde conheceu várias mulheres que também viajavam sozinhas. Inicialmente, ela faria o passeio com duas amigas, que acabaram desistindo. Angélica decidiu ir mesmo assim e passou a pesquisar mais informações sobre os lugares e “viagens solo”, mas percebeu que havia pouco conteúdo em português sobre o assunto. Assim, surgiu o documentário Solo Trip for Nosotras, com experiências de diferentes mulheres que percorriam o continente com uma mochila nas costas e muita coragem.

Angélica Lourenço em sua viagem pela América Latina

Angélica Lourenço em sua viagem pela América Latina

Ela conta que, apesar de muitas vezes viajar sozinha, sempre está acompanhada por outras pessoas que conhece pelo caminho. Quando foi visitar a Chapada dos Veadeiros, Angélica não tinha nenhuma companhia e perguntou ao dono do hostel onde ela estava hospedada o que poderia fazer. Ele sugeriu que ela fosse à entrada do Parque, pois certamente encontraria várias pessoas que tinham os mesmos planos que ela.

Pela sua experiência, Angélica percebeu que é possível ficar sozinha ou se reunir com outros viajantes pelo caminho, dependendo do que você pretende fazer. O importante é não deixar o medo vencer.

Sua maior dica para “viagem solo” é levantar bastante dados sobre o local, pegando informações tanto na internet quanto de pessoas que moram no lugar ou lá estiveram lá. Ela também afirma que é importante ouvir a experiência do outro, mas não usar isso como fator determinante para o que fará, ou não, no lugar.

Confira o documentário Solo Trip for Nosotras.

 

Principais cuidados

Não deixe que o medo te impeça de viajar

Não deixe que o medo te impeça de viajar

Para as mulheres que planejam viajar sozinhas, as dicas essenciais são:

  • Informe-se muito sobre o lugar.
  • Compartilhe o itinerário com familiares e amigos para que todos saibam onde você está. Lembre-se de manter contato com as pessoas para mandar notícias e avisar caso ocorra algo.
  • Converse com outras mulheres que já viajaram ao lugar.
  • Escolha acomodações com boa avaliação e localização.
  • Evite desembarcar à noite.
  • Todo cuidado é pouco. Preste atenção onde você está, saia sempre com telefone e documentos e evite ficar sozinha em lugares isolados.
Use roupas e sapatos adequados para fazer trilhas

Use roupas e sapatos adequados para fazer trilhas

Os principais cuidados para viagens de aventura incluem:

  • Use roupas e sapatos apropriados. Lembre-se de levar em consideração o clima do local e optar por tecidos que sequem rapidamente.
  • Leve água e alimentos energéticos e saudáveis. Inclua na sua mochila um kit de primeiros socorros, capa de chuva, lanterna, mapa, bússola, canivete, apito, papel higiênico e saco de lixo. Se for acampar, inclua uma barraca, saco de dormir, isolante térmico, roupas extras, repelente e fogareiro.
  • Caso você faça uso de algum medicamento diário, não se esqueça de colocá-lo na bagagem.
  • Lembre-se de manter a hidratação e usar protetor solar. Leve comida e água extra para garantir que ficará abastecida.
  • Tenha certeza do condicionamento físico e da saúde necessários para quem vai fazer a viagem e se você está apta para tal.
    Faça trilhas já mapeadas e deixe as pessoas cientes de onde você se encontra.
Você pode viajar sozinha ou em grupo

Você pode viajar sozinha ou em grupo

A experiência de uma viagem na natureza é incrível e proporciona o contato com a fauna e a flora, a possibilidade de ouvir sons diferentes do que na cidade, respirar o ar puro e ainda conectar-se consigo mesma.

Quer mais dicas de viagem? Confira destinos brasileiros com natureza exuberante e lugares nacionais e internacionais para turismo de aventura.