Todos

Onde ir na Chapada Diamantina

Trilhas, tirolesa, cachoeira, grutas com pinturas rupestres, cânions, degustação de cachaças e diversas outras atrações. Passeios para todos os gostos na Chapada Diamantina é o que não faltam nesse paraíso do ecoturismo, que não deixa ninguém de fora dos passeios. Venha com a 123Milhas descobrir mais sobre seu próximo destino e onde ir na Chapada Diamantina.

 

Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina é uma região baiana formada por 24 municípios. A área chama a atenção pelas belezas naturais como cachoeiras, piscinas naturais, paredões rochosos, vales e fauna diversa. Salvador está a 394 km de distância e Vitória da Conquista fica a 328 km.

As cidades com mais atividades turísticas para receber visitantes são Mucugê, Andaraí, Ibicoara, Palmeiras, Rio de Contas e as vilas de Igatu e Vale do Capão, cada uma com atrações únicas. 

Sem dúvida, Lençóis é a cidade que conta com melhor infraestrutura próxima do Parque Nacional da Chapada Diamantina, com vários hotéis e restaurantes excelentes. A atmosfera da pequena cidade é bastante festeira e multicultural, arrastando muitos turistas que também querem acesso fácil para os atrativos naturais da região. 

Para quem gosta de aventura

O turismo de aventura é superfamoso na Chapada. A trilha no Vale do Pati é conhecida como uma das mais bonitas do Brasil e atrai pessoas de diversas partes do país e do mundo. “Fazer o Pati” é o termo usado para essa experiência tão desafiadora e envolvente. 

O trajeto começa em Mucugê e vai até o Vale do Capão. É necessário ter bom preparo físico para percorrer as trilhas, pois a duração média da caminhada é de cinco dias ao longo de 15 km e 20 km em cada um dos destinos. Não é para qualquer um!  

A trilha do Pati é considerada uma das mais bonitas do Brasil.

Ao longo da caminhada os turistas passam pelo Mirante do Pati, Cachoeira do Funil, Morro do Castelo, Rio do Cachoeirão e outros locais espetaculares. As paradas acontecem nas casas de moradores das regiões, que abrem as portas para refeições, banhos e hospedagens. As diárias com café da manhã e jantar custam, em média, R$ 100. 

Os turistas se hospedam nas casas dos moradores durante o Pati.

É recomendável fazer o Pati com um guia porque o trajeto é bem complexo. O risco de se perder no caminho é real. 

Para quem busca uma trilha mais tranquila e com apenas um dia de duração, a dica é fazer o trajeto das Águas Claras, saindo do Vale do Capão em direção ao Morro do Pai Inácio. São 18 km e com muitos trechos planos, então não precisa ter uma grande experiência com trilhas para fazer o percurso. 

Uma opção com bastante adrenalina é a tirolesa no Poço do Diabo, no município de Lençóis. A trilha até o local dura apenas 15 minutos e é bem tranquila. A entrada custa R$10 e dá direito ao acesso do rio Mucugezinho e várias quedas d’água, inclusive a do Poço do Diabo. Para fazer a tirolesa é necessário pagar R$ 40. Ótima atividade para quem quer sentir um friozinho na barriga! 

 

Para quem gosta de natureza

Se você também é do time do ecoturismo, mas prefere atividades mais leves, há diversas opções na Chapada Diamantina. O Poço Azul é um passeio bem popular e garante o mergulho em águas cristalinas dentro de uma caverna! A entrada custa R$ 40 e acompanha equipamentos para flutuação na água. Funciona diariamente, das 8h às 17h, mas a dica é ir entre 12h e 13h. É quando o visual fica ainda mais bonito! 

Não deixe de ir ao Poço Azul.

Outro programa imperdível é a Cachoeira do Riachinho, que fica na estrada que liga a Vila do Capão ao município de Palmeira. A trilha dura aproximadamente 15 minutos e é bem fácil de fazer. A queda d’água de 12 metros de altura é muito bonita! Aproveite para nadar no poço e curtir a mata ao redor. 

O acesso à Cachoeira do Riachinho custa R$ 12. Crianças menores de 10 anos e idosos acima de 60 são isentos e há opção de meia-entrada para estudantes. 

 

Para quem gosta de história

Que tal ver pinturas rupestres? Na Serra do Gentio, em Piatã, você encontra desenhos entre 10 e 12 mil anos de idade, feitos no período paleolítico. A visita é gratuita, porém muitas pessoas contratam guias para ter explicações detalhadas sobre as pinturas durante o passeio.

Outra opção é a Serra das Paridas, em Lençóis, um complexo com 18 sítios arqueológicos repletos de desenhos. Essa atração fica em uma propriedade privada, portanto, é paga. É obrigatório contratar um guia local para visitá-la. O ingresso custa R$ 30 e o valor do guia é, em média, R$ 150 para grupos de até quatro pessoas.

Veja pinturas rupestres na Serra das Paridas.

 

Para quem gosta de gastronomia

Você sabia que a região da Chapada Diamantina é uma grande produtora de cachaça? Uma das mais tradicionais é a de Abaíra, que segue a mesma receita há mais de 200 anos! Esse produto possui o Selo de Indicação Geográfica, que confere distinção aos similares do mercado devido ao seu local de origem. 

A Chapada Diamantina é uma grande produtora de cachaça.

Outras cidades com larga produção de cachaça na Chapada são Lençóis, Rio de Contas, Livramento de Nossa Senhora e Paramirim. Não deixe de tomar algumas boas doses!

Quer saber mais sobre o que fazer na Chapada Diamantina? Confira aqui quais lugares não devem faltar no seu roteiro!