Lugares para conhecer

O que fazer em Campo Grande?

Arborizada e cercada pela diversidade da flora e da região central do Brasil, a capital do Mato Grosso do Sul é uma cidade ideal para passeios com o objetivo de se conectar com a natureza. Veja agora as visitas que não podem faltar na sua viagem a Campo Grande:

 

Parque das Nações Indígenas

O Parque das Nações Indígenas é um passeio indispensável para quem visita Campo Grande, e é bom gastar o dia inteiro conhecendo todos os cantinhos desse espaço. O local é um dos maiores parques urbanos do Brasil.

Com área de quase 120 hectares, o parque fica localizado às margens de um lago formado pelas águas do córrego Prosa. Dispõe de ampla infraestrutura de lazer com quadras de esportes, pista de skate, patins e bicicleta, sanitários, lanchonetes, pista para caminhada de 4 km, além de diversos parquinhos infantis.

Lago do Parque das Nações Indígenas com o Monumento ao Cavaleiro Guaicuru ao fundo

Além disso, dentro do parque existem muitos outros pontos turísticos de Campo Grande no Mato Grosso do Sul. Os museus MARCO – Museu da Arte Contemporânea – e Museu da Cultura Dom Bosco realizam exposições permanentes e temporárias sobre diversos assuntos, de pinturas e fotografias a artesanato indígena, e ainda uma vasta coleção de animais do Pantanal empalhados. Vale a pena a visita.

O MARCO funciona de terça a domingo. Já o Museu da Cultura Dom Bosco às terças, quartas e quintas, com necessidade de fazer agendamento prévio pelo site.

O Museu das Culturas Dom Bosco destaca-se pela exposição de milhares de peças indígenas

Passeando pelo parque, você ainda vai se deparar com muitos monumentos que homenageiam a cultura e as raízes do povo de Campo Grande. É o caso do Monumento ao Índio e do Monumento ao Cavaleiro Guaicuru

O Monumento ao Cavaleiro Guaicuru é tombado como Patrimônio Histórico do Mato Grosso do Sul

Não se espante se nessa caminhada você também encontrar com algumas famílias de capivara. Esses roedores, que amam ambientes aquáticos, são um dos animais típicos do Pantanal e fazem do local o seu habitat, convivendo pacificamente com os visitantes.

 

Usina do Ceroula

Esse paraíso cheio de cachoeiras e quedas d’água fica bem pertinho da cidade, a menos de 15 km de seu centro. A área de 18 hectares pertencia à primeira usina hidrelétrica que alimentou Campo Grande, entre 1923 e 1970. Atualmente, a Usina do Ceroula é um destino muito frequentado por moradores e turistas para se refrescarem no calor e manterem contato com a natureza.

Além de mergulhar nas cachoeiras – são cinco no total –, os visitantes podem praticar atividades como hiking, trilhas e rapel. Existem algumas ruínas de antigas construções possíveis de ser observadas durante o passeio.

As trilhas das cachoeiras da Usina fazem parte de um passeio que reúne natureza e história

É possível chegar até o espaço de carro, em uma viagem de cerca de 30 minutos. Há um estacionamento em propriedade privada bem perto da entrada. 

 

Morro do Ernesto

O Morro do Ernesto fica bem perto do complexo da Usina do Ceroula, a pouco mais de 20 km do centro de Campo Grande. A trilha de subida pode ser um pouco intensa, mas indo com calma dá para chegar lá. São cerca de 6 km de estrada de chão no meio da mata, e a ida a pé leva uma hora.

Além dos amantes de trilhas, praticantes de ciclismo e até mesmo de parapente encontram no morro o local ideal para as suas atividades. Ele fica aberto nos sábados, domingos e feriados, das 6h às 17h. O preço da entrada é de R$ 20 por pessoa.

Uma dica é aproveitar o dia nas cachoeiras e realizar o percurso mais para o fim da tarde, a fim de contemplar o pôr do sol lá do alto. A proximidade do céu e os diversos tons de verde que você vai observar formam juntos uma bela paisagem. 

Contemplar o pôr do sol do Morro do Ernesto é uma das atividades favoritas dos visitantes

 

Passeios perto de Campo Grande

A capital costuma ser o primeiro destino de muitos visitantes que vão começar uma jornada de turismo ecológico pela região. Afinal de contas, a cidade tem o principal aeroporto do Mato Grosso do Sul, estado que serve como porta de entrada para o Pantanal e ainda abriga uma das cidades mais visitadas para ecoturismo na região: Bonito. Veja as nossas dicas para conhecê-las durante sua viagem a Campo Grande

 

Pantanal

O Pantanal é um bioma gigantesco, com cerca de 250 mil quilômetros quadrados de extensão. Ocupa o noroeste do Mato Grosso do Sul, o sul do Mato Grosso, além de partes da Bolívia e do Paraguai. 

É uma espécie de savana alagada, que reúne uma fauna extremamente diversa. A onça-pintada, o jacaré-do-pantanal, o macaco-prego, além de aves como os tuiuiús e a arara-azul, fazem parte da biodiversidade local. 

As terras molhadas do Pantanal são o lar das onças-pintadas

Existem várias pequenas cidades que servem como polo de ecoturismo no Pantanal do Mato Grosso do Sul, e algumas delas ficam bem próximas da capital Campo Grande. 

Aquidauana, por exemplo, fica a 140 km da capital, e dá para chegar lá com cerca de 2 horas de carro. É um dos destinos dos pescadores e também de ecoturismo. Miranda, igualmente,  fica próxima da capital, a 208 km (aproximadamente 2h40 de carro) e é outro importante destino de visitação turística. Coxim, um pouco mais afastada, a 255 km de Campo Grande (3h e meia de carro), é um dos maiores polos de ecoturismo do Pantanal. São mais de 400 ranchos de pesca, e a gastronomia à base de peixes é uma atração à parte.

O Rio Aquidauana é um destino de turistas e pescadores no Pantanal

Nesses lugares, é possível realizar safáris para observação de pássaros e animais silvestres, passeios de barco, pescaria e muitas outras atividades. Se quiser cumprir essa rota de ecoturismo, programe-se com antecedência e deixe o tour agendado. 

 

Bonito

Conhecida como “a capital brasileira do ecoturismo”, Bonito atrai muitos visitantes, principalmente por suas belezas naturais. A cidade fica a oeste de Campo Grande, a 300 km da metrópole. 

O lugar fica perto do Pantanal, mas não conserva as características desse bioma. Na verdade, você vai encontrar por lá flora e fauna típicas do Cerrado e da Mata Atlântica brasileira. A cidade oferece mais de 50 passeios bem pertinho da natureza. 

As águas ora azul-turquesa ora esverdeadas de Bonito formam cenários exuberantes

Entre cavernas, cachoeiras, flutuação e mergulhos de cilindro e snorkel, são muitas aventuras que você vai encontrar nesse destino. Nós até preparamos um roteiro para turismo ecológico em Bonito, recheado de dicas, que você pode acessar aqui.

Uma particularidade do município é que a maioria das atrações está em propriedades privadas em sua zona rural. Por isso é necessário comprar ingressos para visitar os pontos turísticos. Os valores para adultos costumam ficar entre R$ 50 e R$ 300 cada passeio. 

Como são muitas as atrações e as opções de passeio que você vai encontrar em Bonito, pode ser que não valha muito a pena ir de bate-volta (ainda mais considerando que são mais de 3 horas e meia de viagem de carro). Programe-se para tentar ficar pelo menos 2 ou 3 dias no local. 

Passeios de barco, mergulho, trilhas, grutas e cachoeiras são algumas das opções de passeios em Bonito

Buscando ter força para encarar esse tanto de atividades, você vai precisar se alimentar bem. Mas isso não será problema. A culinária da “Cidade Morena” também é um atrativo singular, com influência de todas as partes do mundo. 

Clique aqui para conferir as nossas dicas com os melhores restaurantes em Campo Grande