Lugares para conhecer

O que fazer no Parque Estadual Terra Ronca: dicas de ecoturismo

Se você gosta de turismo na natureza, o Parque Estadual Terra Ronca, em São Domingos, no estado de Goiás, é o seu próximo destino. São mais de 300 cavernas e grutas em 57 mil hectares de vegetação preservada, além de vários rios, cachoeiras e trilhas. Descubra o que fazer no Parque Estadual Terra Ronca: dicas de ecoturismo.

A primeira curiosidade desse destino já aparece no nome. “Terra Ronca” vem do barulho que os rios fazem dentro das cavernas e revelam um mundo a ser explorado pelos seus visitantes. A principal gruta leva o nome do parque e é cortada por um rio que, segundo a população da região, as águas têm poderes terapêuticos.

O termo "Terra Ronca" faz referência ao barulho dos rios dentro das cavernas

O termo “Terra Ronca” faz referência ao barulho dos rios dentro das cavernas

Sem contar que o complexo de cavernas e grutas têm mais de 600 milhões de anos. É uma das experiências de aventuras mais fascinantes no Brasil!

 

Festa do Bom Jesus da Lapa

A Festa do Bom Jesus da Lapa acontece na primeira semana de agosto, todos os anos. O diferencial dessa festividade é que algumas atividades são feitas na entrada ou dentro da gruta de Terra Ronca.

Montados em cavalos, os fiéis seguem pelas ruas de São Domingos até a gruta, onde são instaladas barraquinhas com comidas típicas e lembrancinhas. No interior de Terra Ronca são celebrados alguns eventos religiosos, como missas, promessas, devoções, etc.

Essa romaria reúne tradições católicas e culturais dos moradores. A festa chama a atenção e o clima bem diferente do habitual faz do evento muito atrativo. É uma boa oportunidade para conhecer melhor a cidade.

 

Caverna São Bernardo

A Caverna São Bernardo tem um dos trajetos mais desafiadores do parque. A entrada é em uma descida bastante íngreme e grande parte da trilha acontece por dentro do rio. É isso mesmo: você precisa nadar ou caminhar com água até o umbigo para entrar nela.

O acesso é feito por uma depressão formada depois do desmoronamento do teto de uma caverna. No interior há uma cachoeira e grandes salões cobertos por formações rochosas espetaculares, ao longo de mais de 4 km de extensão. É um dos pontos mais bonitos do complexo.

 

Caverna São Vicente

Essa gruta é para quem gosta de adrenalina! Para chegar na caverna São Vicente é necessário descer 40 metros no rapel. O lugar é um mistura de diversas cachoeiras, formadas pelo rio São Vicente, vegetação e rochas que parecem à parte do restante do planeta. Tudo isso ao longo de 13 km de extensão que encantam todos os visitantes.

Faça rapel para entrar na caverna São Vicente! Créditos: Yel Nunes

Faça rapel para entrar na caverna São Vicente! Créditos: Yel Nunes

 

Lapa da Bezerra

Quem fica mais de dois dias no parque ou gosta de percorrer roteiros menos tradicionais, a dica é incluir a gruta Lapa do Bezerra no percurso. Com cerca de 8 km de extensão, os visitantes a elegeram como uma das cavernas mais incríveis e ornamentadas do parque. Ela conta com salões lindos como o da Floresta Branca, com espeleotemas mais claros e o dos Sinos. Vale a visita.

 

Cachoeiras

Além das cavernas, as cachoeiras são grandes atrativos do Parque Estadual Terra Ronca. Coloque roupa de banho e toalha na sua mochila, pois certamente você fará pausas no passeio para se refrescar.

A cachoeira São Bernardo é uma das mais famosas.

A cachoeira São Bernardo é uma das mais famosas.

As cachoeiras mais procuradas pelos visitantes são as de São Bernardo e Palmeiras. Ambas são de fácil acesso após caminhada por trilhas curtas. A dica é aproveitar as quedas d’água depois de conhecer as cavernas, assim você pode relaxar.

 

Não viaje sem saber

Antes de entrar no mundo subterrâneo impressionante e misterioso do Parque Estadual de Terra Ronca, existem alguns pontos importantes sobre o destino que você precisa saber para facilitar sua viagem.

O primeiro deles é a obrigatoriedade de contratar um guia credenciado. As trilhas são difíceis e o sinal de telefone é fraco na região, então nem pense em ir sozinho. O guia é essencial para que o caminho seja feito em segurança. Ele saberá indicar os melhores trajetos e ainda fornecerá equipamentos necessários, como capacetes com lanterna.

Não faça as trilhas sem um guia credenciado.

Não faça as trilhas sem um guia credenciado.

Para evitar imprevistos, agende o passeio com o guia antes de chegar ao destino. Várias agências de turismo na região oferecem o serviço. Outra dica é pedir indicações de guias no local onde ficará hospedado.

Roupas e sapatos adequados, garrafa d`água e lanches são itens obrigatórios no passeio. A estrutura do parque é bem rústica, portanto, você não encontrará quiosques para comprar comida e bebida. Leve saco de lixo e traga todos os resíduos gerados de volta para que o parque continue limpo e bem preservado.

Outra recomendação valiosa é levar dinheiro em espécie, pois muitos estabelecimentos comerciais na região não aceitam cartão de crédito e débito como forma de pagamento.

Quer conhecer mais o destino? Confira quais são os pratos típicos e os melhores restaurantes de Terra Ronca!