Lugares para conhecer

O que fazer na Serra do Cipó: roteiro pelas melhores cachoeiras, grutas e trilhas

Com incontáveis cachoeiras e um parque nacional dos mais ricos em biodiversidade do mundo, a Serra do Cipó é um destino de muitas atividades ao ar livre em Minas Gerais. O lugar fica no município de Santana do Riacho e ainda tem sua zona urbana recortada pela Estrada Real e o caminho dos diamantes. Conheça já o que fazer na Serra do Cipó!

O distrito de Serra do Cipó é divisor natural das bacias dos rios Doce e São Francisco. Desse modo, o local tem grande importância sobre o balanço das águas do estado. Uma das vantagens disso são as formações de nascentes que resultam em inúmeras cascatas, corredeiras e poços para banho na região.

Ainda, a maioria dos percursos para contemplar as belezas ou praticar esportes radicais na Serra do Cipó é feito utilizando-se bicicletas. Mas se você é daqueles que preferem uma boa caminhada, o lugar também tem trilhas espetaculares por grutas e cavernas ancestrais. Bora descobrir o que fazer na Serra do Cipó!?

 

Cachoeiras da Serra do Cipó

 

Cachoeira Congonhas de Cima

Além das famosas Véu da Noiva e Cachoeira Grande, a Cachoeira Congonhas de Cima tem uma das maiores quedas d’água na Serra do Cipó, com cerca de 30 metros de altura. Por lá, o interessante é a realização de atividade de rapel (descida de paredões) e banho no extenso poço local.

Na Cachoeira Congonhas de Cima ainda há partes com pinturas rupestres preservadas! O acesso até lá não é dos mais fáceis, mas com a ajuda de um GPS ou guia da região você consegue chegar.

O lugar tem entrada pela MG-10 e fica dentro da área do Parque Nacional da Serra do Cipó. O recomendado é também conhecer as cachoeiras Congonhas do Meio e de Baixo. Elas ficam juntas, na mesma região, e formam o chamado complexo Cachoeira Congonhas.

É possível realizar uma trilha de 6 km na região do complexo Cachoeira Congonhas, na Serra do Cipó.

É possível realizar uma trilha de 6 km na região do complexo Cachoeira Congonhas, na Serra do Cipó.

 

Cachoeira das Andorinhas

Também localizada na região do Parque Nacional da Serra do Cipó, a Cachoeira das Andorinhas é cercada por vegetação de transição, com forte presença de espécies típicas da mata atlântica e cerrado no campo rupestre. O poço tem profundidade média de 4 metros.

A quase 900 metros de altitude acima do mar, a vista cinematográfica de lá é circundada por córregos e um pequeno cânion. O local fica a 1 km da Cachoeira Congonhas de Baixo e a mais ou menos 2 horas de bicicleta vindo do centro do distrito.

A Cachoeira das Andorinhas está inserida na chamada Serra da Bocaina. Desse ponto se pode visualizar os afloramentos rochosos da Serra do Espinhaço. A entrada é gratuita.

As duchas naturais da Cachoeira das Andorinhas são indispensáveis no roteiro pela Serra do Cipó.

As duchas naturais da Cachoeira das Andorinhas são indispensáveis no roteiro pela Serra do Cipó.

 

Cachoeira do Gavião

Seguindo o percurso da Cachoeira das Andorinhas, 1 km adiante você vai se deparar com a beleza da Cachoeira do Gavião. O local que carrega esse nome pela semelhança do lago com o formato de uma das asas da ave não deve ser confundido com o Córrego do Gavião situado na mesma região.

Por lá, a trilha de quase 7 km até a cachoeira é margeada pelo Córrego Bocaina. O trajeto é considerado de nível moderado e não é cobrado pela entrada. O acesso é feito pela Portaria Retiro.

Além da queda d'água, a paisagem na trilha para a Cachoeira do Gavião é muito elogiada.

Além da queda d’água, a paisagem na trilha para a Cachoeira do Gavião é muito elogiada.

 

Cachoeira da Farofa

Com entrada gratuita pelo Parque Nacional da Serra do Cipó, a Cachoeira da Farofa é muito conhecida e apreciada pelos visitantes. O trajeto de cerca de 8 km até o lugar pode ser feito a pé, para quem é acostumado com percursos difíceis, de bicicleta ou por meio de charretes que podem ser alugadas no local.

De qualquer forma, os últimos 2 km são percorridos a pé. O poço tem águas muito geladas e escuras. Não há estrutura de comércio ou restaurantes por lá. Portanto, é recomendado levar lanches e bebidas, mas recolha todo o lixo ao final do passeio.

A Cachoeira da Farofa costuma encher bastante, principalmente aos fins de semana. Consulte sobre os horários de pico e mais informações sobre o espaço através do telefone de contato disponibilizado: (31) 3718-7151.

Existe estacionamento na região da Cachoeira da Farofa, na Serra do Cipó.

Existe estacionamento na região da Cachoeira da Farofa, na Serra do Cipó.

 

Cachoeira da Caverna

Mais ao norte, a Cachoeira da Caverna fica numa parte alta, a 18 km do centro urbano da Serra do Cipó. O espaço se diferencia dos demais pelas águas esverdeadas e por ser considerado um passeio curto, que dá para fazer em poucas horas.

O reflexo da luz na vegetação do entorno cria um efeito esverdeado nas águas da Cachoeira da Caverna, na Serra do Cipó.

O reflexo da luz na vegetação do entorno cria um efeito esverdeado nas águas da Cachoeira da Caverna, na Serra do Cipó.

O local fica numa propriedade particular e, por isso, a entrada custa cerca de R$ 20. A estrutura não possui pontos de alimentação, mas há uma boa área de camping por lá. O acesso se dá por uma estrada de terra de aproximadamente 10 km da ponte do Rio Cipó.

O Rio Cipó é uma atração com opções para passeio de caiaque na Serra do Cipó.

O Rio Cipó é uma atração com opções para passeio de caiaque na Serra do Cipó.

 

Serra Morena

Se a sua ideia é aproveitar as lindas cachoeiras da Serra do Cipó sem se afastar muito do centro urbano, uma ótima opção é visitar as duchas naturais da Serra Morena. O local abriga duas quedas d’água de cerca de 100 metros de altura.

Cercada por mata ciliar, a piscina natural de Serra Morena tem quase 300 metros quadrados. O espaço fica na estrada rural Vau da Lagoa, na bifurcação da MG-10, altura do km 104.

A entrada é paga, R$ 30, e o horário de funcionamento é das 8h às 17h todos os dias, incluindo feriados.

O acesso às cachoeiras de Serra Morena é considerado fácil na Serra do Cipó.

O acesso às cachoeiras de Serra Morena é considerado fácil na Serra do Cipó.

 

Cânion das Bandeirinhas

Mais adentro do Parque Nacional, o Cânion das Bandeirinhas, é uma das mais impactantes atividades de cicloturismo (passeio de bicicleta com paradas para apreciação) da região da Serra do Cipó.

No local com cerca de 6 km de extensão, além de diversas cascatas e piscinas naturais, a beleza do afunilamento com blocos de rocha a partir do Ribeirão Bandeirinhas pode ser contemplada!

A entrada se dá pela Portaria Areais, km 97 da Rodovia MG-10. O horário de funcionamento é das 8h às 16h, de segunda a segunda, sem exceções.

O Cânion das Bandeirinhas também atrai muitos turistas pela diversidade de espécies.

O Cânion das Bandeirinhas também atrai muitos turistas pela diversidade de espécies.

 

Vale do Travessão

Uma última opção de passeio na saída da Serra do Cipó é a região do Vale do Travessão. Há séculos utilizado como ponto de passagem das tropas, o local é um trecho de encostas íngremes na parte alta do parque Nacional da Serra do Cipó.

A beleza dos campos rupestres no Vale do Travessão, Serra do Cipó.

A beleza dos campos rupestres no Vale do Travessão, Serra do Cipó.

O Travessão, além de divisor de quatro dos municípios que compõem a unidade de proteção ambiental da região, também faz limite com o Vale do Rio do Peixe, na Bacia do Rio Doce, e com o Vale do Rio Bocaina, na Bacia do Rio São Francisco.

O trekking (caminhada esportiva) é uma das atividades mais realizadas por lá, que além de uma vista esplendorosa guarda importantes registros rupestres. A partir desse ponto costuma-se iniciar um roteiro pela região da Lapinha da Serra.

O tesouro escondido das pinturas rupestres no Vale do Travessão, Serra do Cipó.

O tesouro escondido das pinturas rupestres no Vale do Travessão, Serra do Cipó.

Demais todas essas cachoeiras e pontos de visitação na serra mineira, não é? O lugar pede tanta energia que até bateu aquela fome. Siga a leitura com as dicas da 123Milhas sobre o que comer na Serra do Cipó!