Guia turístico

Serra do Cipó: passeios imperdíveis nas montanhas, cachoeiras e vastidão verde

Distrito do município de Santana do Riacho, a Serra do Cipó fica a 100 km de Belo Horizonte e é um dos mais belos cenários para visitar em Minas Gerais. O recanto tem infraestrutura turística sustentável e atrações únicas na natureza. Venha logo descobrir onde ir na Serra do Cipó

Os atrativos nesse mar de serras incluem trilhas pelas cachoeiras e cavernas com pinturas rupestres, observação de espécies da fauna e da flora no bioma de transição entre mata atlântica e cerrado e, claro, um pôr-do-sol espetacular.  

A melhor época para visitar a Serra do Cipó é a temporada seca, entre os meses de maio a setembro. Nessa época ocorrem menos chuvas, o volume dos rios e das cachoeiras diminui, tornando as caminhadas menos perigosas. A vegetação ocupa lugar de destaque também, já que o colorido do jardim de cerrado toma conta da paisagem nesse período! 

Bom preparo físico é fundamental para aproveitar os passeios na Serra do Cipó, porque a maioria dos trajetos são feitos a pé, de bicicleta ou a cavalo. De qualquer modo, com todas essas dicas, você pode montar o roteiro seguindo as suas necessidades, tanto para viajar em grupo quanto sozinho. Partiu conhecer onde ir na Serra do Cipó!?  

 

Parque Nacional da Serra do Cipó

Vista panorâmica para a impressionante região do Parque Nacional da Serra do Cipó

O Parque Nacional da Serra do Cipó é uma unidade de proteção ambiental que abrange os municípios de Jaboticatubas, Morro do Pilar, Itambé do Mato Dentro e Santana do Riacho, onde fica o distrito de Serra do Cipó. Criado em 1984, o espaço tem mais de 33 mil hectares de área e abriga diversas espécies da fauna e da flora brasileira. 

Os mais sortudos conseguem ver  capivaras, diferentes espécies de pássaros, lobo-guará, tamanduá-bandeira e até onça-pintada no caminho. Cuidado com os animais peçonhentos, travessias de água e pedras escorregadias. 

Cerca de 1.600 variedades de plantas como orquídeas, bromélias, sempre-vivas e canelas-de-ema também colorem a vista desse belo recanto natural. Mais de 60 cachoeiras, com diferentes tamanhos de queda d ‘água,  compõem o cenário e oferecem banhos refrescantes nos dias mais quentes. 

A sempre-viva é uma planta do cerrado que enfeita a paisagem do Parque Nacional da Serra do Cipó

Para apreciar a vista de todo o Parque Nacional da Serra do Cipó, visite alguns dos mirantes com acesso gratuito na região. O Mirante do Bem e o Mirante da Lagoas ficam na região de Jaboticatubas, a pouco mais de 3,5 km do centro urbano de Serra do Cipó. Esses pontos costumam ficar abertos à visitação até as 16h, com entrada gratuita. 

Conheça outros atrativos e cachoeiras na área do Parque Nacional da Serra do Cipó no nosso guia sobre o que fazer na Serra do Cipó. 

 

Cachoeira Véu da noiva 

Cartão-postal da Serra do Cipó, a Cachoeira Véu da Noiva é uma queda d’água de 

inacreditáveis 70 metros de altura em um paredão rochoso. Localizada numa área particular, portaria ACM-MG, o acesso até o poço custa R$30 por dia ou R$11 por uma hora. 

Por lá, a estrutura para receber os turistas conta com estacionamento, restaurante, ducha, área de camping, entre outras comodidades. As trilhas são de nível fácil, mesmo quando os caminhos têm muitas pedras. 

Se você deseja conhecer a Cachoeira Véu da Noiva de cima, o recomendado é seguir a “Trilha dos Escravos”. Com um pouco mais de 2 km de extensão, esse percurso realizado no morro acima da cachoeira pode ser uma aventura e tanto.

Nessa região e em muitas outras da região da Serra do Cipó é expressamente proibido deixar lixo. Então, não esqueça de levar um saquinho e recolher o seu lixo. 

A Cachoeira Véu da Noiva é chamada assim por causa da longa queda d’água que se assemelha ao véu de uma noiva

 

Cachoeira Grande

Juntamente com a Cachoeira Véu da Noiva, um dos maiores destaques da Serra do Cipó é a Cachoeira Grande. Situada dentro do Parque Zareia, a entrada custa R$40 e é uma das mais procuradas na região. 

São 55 metros de extensão e aproximadamente nove metros de altura. Para chegar até lá é preciso fazer uma caminhada de mais ou menos 1 km da entrada da propriedade até a cachoeira.  

O espaço funciona de segunda-feira a domingo com limite de lotação. Por lá não há área de alimentação e existem restrições quanto a bebidas alcoólicas. Mais informações podem ser consultadas pelo contato disponibilizado: (31) 3718-7044.

Piscina natural e cenário deslumbrante na Cachoeira Grande, Serra do Cipó

 

Poço da Chica

Há quanto tempo você não sobe em árvores e não se diverte em balanços? A ideia é voltar à infância bem no meio da natureza no  Poço da Chica. Bem próximo da Cachoeira Grande, essa piscina natural é ponto de banho. 

Na trilha até o poço, árvores com vários troncos mais baixos convidam o visitante a subir, sentar e deitar nelas. Vários balanços também estão espalhados pelo caminho para completar a diversão.  

A área é coberta por pedras brancas e tem cascatas no local. O Poço da Chica é elogiado por ser um ótimo espaço para estender a toalha e passar o dia. O acesso custa cerca de R$10. 

 

Juquinha

Às margens da MG-10, a estátua do Juquinha dá boas-vindas aos visitantes da Serra do Cipó
Créditos: Reprodução / Sylvio Bazote.

Ir até a Serra do Cipó e não conhecer a estátua do Juquinha é quase como não visitar o município de Santana do Riacho. O monumento de três metros de altura, construído em homenagem a um andarilho que vivia na região, chama bastante a atenção. Sem contar a quantidade de causos que rondam a história da figura do Juquinha, que, na verdade, era chamado José Patrício. 

Uma das imagens mais icônicas de Minas Gerais, a obra em argila e gesso foi criada em 1987 pela artista plástica Virgínia Ferreira. O trabalho construído sobre um platô, com vista para as montanhas, demorou cerca de oito meses para ficar pronto. Bastou estar lá para a imagem do Juquinha, com seu sorriso, cair na admiração popular. 

O lendário Juquinha ficou conhecido na região por colher flores e mudas de plantas no Parque Nacional da Serra do Cipó e oferecer aos visitantes. Algumas espécies ele até vendia ou trocava por comida. Reza a lenda ainda que ele morreu e até se levantou do caixão. De qualquer forma, a visita até o espaço rende boas fotografias e histórias pra contar! 

A estátua do Juquinha fica no Km 117 da MG-10, em Santana do Riacho. Uma referência até o local é seguir o caminho para a Cachoeira da Capivara. 

Juquinha é patrimônio mineiro e a imagem esbanja simpatia no Parque Nacional Serra do Cipó
Créditos: Reprodução / Serra do Cipó Tur.

Visitar a Serra do Cipó é realmente uma experiência que proporciona participar da natureza mais exuberante de Minas Gerais. Faltam ainda muitos atrativos para explorar nesse paraíso das cachoeiras e grutas. Confira agora mesmo os melhores roteiros e o que fazer na Serra do Cipó!