Todos

O melhor de Dublin

Por Raphael Ursino

Dublin é aquele tipo de destino pra quem gosta de curtir um lugar bucólico e, ao mesmo tempo, agitado. Diversidade é a palavra que melhor define a capital da Irlanda, que é cortada pelo Rio Liffey. Dê o play e confira:

Um local superbadalado é a famosa Grafton Street, uma rua comercial lotada de bares, restaurantes, lojas, shoppings e museus. Esta rua é um dos principais pontos turísticos da cidade, e atrai milhares de visitantes todos os dias. Vale muito a pena acompanhar o intenso movimento da região sentado em um dos cafés da Grafton Street. 

Rio Liffey

Rio Liffey

A famosa Molly Malone 

É nesta rua que fica a estátua de bronze de Molly Malone. Diz a lenda que ela era uma famosa prostituta que também trabalhava como vendedora de peixes durante o dia. Ela virou até tema de uma música que fez sucesso na voz da banda The Dubliners. A canção, conhecida pelo refrão “Cockles and Mussels” (ouça aqui), acabou virando um hino de Dublin. Se você for a um tradicional pub irlandês, certamente ouvirá esta música. 

Diz a lenda que Molly Malone era uma famosa prostituta que também trabalhava como vendedora de peixes

Diz a lenda que Molly Malone era uma famosa prostituta que também trabalhava como vendedora de peixes

O´Connell Street  

Uma das principais avenidas de Dublin é a O’Connel Street. Nela, importantes edifícios e monumentos chamam a atenção de quem passa pelo local. É impossível passar por lá e não avistar o The Spire, uma gigante agulha de 120 metros de altura, três metros de diâmetro na sua base e 15 centímetros na ponta. 

O The Spire é uma gigante agulha de 120 metros de altura, três metros de diâmetro na sua base e 15 centímetros na ponta.

O The Spire é uma gigante agulha de 120 metros de altura, três metros de diâmetro na sua base e 15 centímetros na ponta.

Ainda na O’Connel Street, existe também diversas estátuas de personalidades históricas, e o prédio do Escritório Geral dos Correios de Dublin. Lá foi palco da Proclamação da República da Irlanda, que aconteceu depois da revolução de 1916. 

O prédio do Escritório Geral dos Correios de Dublin foi palco da Proclamação da República da Irlanda, que aconteceu depois da revolução de 1916.

O prédio do Escritório Geral dos Correios de Dublin foi palco da Proclamação da República da Irlanda, que aconteceu depois da revolução de 1916.

Phoenix Park  

Um pouco mais afastado do centro, existe um lugar bastante agradável e com muito verde, daqueles que você tem o prazer de gastar horas passeando. Estou falando do Phoenix Park, o maior parque urbano de toda a Europa, com mais de 700 hectares de extensão. 

Criado, inicialmente, para ser uma reserva de cervos, o lugar foi todo remodelado para abrir suas portas ao público. Ainda hoje, às vezes, é possível avistar algumas famílias de cervos por lá. 

Saint Patrick’s Cathedral (Catedral de São Patrício)  

Não tem como falar da Irlanda sem lembrar de São Patrício, o padroeiro do país. Afinal, quem nunca ouviu falar da tradicional St Patrick Day, um famoso festival que acontece anualmente no mundo inteiro, em homenagem ao santo.  

No centro de Dublin fica a Catedral de São Patrício, construída em 1191. Com a sua arquitetura gótica, ela chama bastante atenção pela sua beleza e imponência. 

A Catedral de São Patrício foi construída em 1191, em homenagem ao padroeiro da Irlanda

A Catedral de São Patrício foi construída em 1191, em homenagem ao padroeiro da Irlanda

Hard Rock Cafe 

Um lugar que eu gosto sempre de visitar em cada cidade que vou são as filiais do Hard Rock Café. O de Dublin é muito interessante, e tem no seu acervo diversos itens, como os óculos do Bono Vox, vocalista da banda de rock U2 e a correia da guitarra do Bob Dylan, por exemplo.

No Hard Rock Cafe de Dublin podemos ver os óculos do Bono Vox, vocalista do U2 e a correia da guitarra do Bob Dylan, dentre outros itens

No Hard Rock Cafe de Dublin podemos ver os óculos do Bono Vox, vocalista do U2 e a correia da guitarra do Bob Dylan, dentre outros itens

Meu cantinho favorito em Dublin 

Mas diante de tudo que a cidade oferece, o lugar que eu mais gostei foi a região do Temple Bar, que é, digamos, uma Dublin dentro da outra. Com suas ruazinhas de pedra, o lugar reúne diferentes espaços culturais, lojas de moda alternativa, galerias, mercado de livros. Além disso, a grande variedade de pubs garante uma agitada vida noturna. Inclusive, o mais famoso e antigo deles é o The Temple Bar, criado em 1840. 

Dentre todos os bares que eu já visitei, durante minhas viagens, este é, sem dúvida nenhuma, o que eu achei mais legal. O motivo? Ele é um legítimo pub irlandês, com mobiliário antigo e aconchegante, cerveja escura gelada, os melhores whiskeys e, claro, música ao vivo da melhor qualidade, diariamente, durante o dia e a noite. 

No Temple Bar, os shows garantem uma experiência incrível, principalmente para quem gosta de música tradicional, folk e rock. As bandas que se apresentam por lá usam instrumentos tipicamente irlandeses e não muito convencionais, como mandolim, banjo, acordeon, dentre outros. 

O The Temple Bar é o pub mais famoso de Dublin

O The Temple Bar é o pub mais famoso de Dublin

No repertório, o destaque vai para as músicas de bandas irlandesas, como U2, The Cramberries, The Dubliners, Sinead O’Connor. Eu gostei tanto desse pub que acabei indo lá durante todos os quatro dias em que fiquei em Dublin. O lugar é simplesmente fantástico e faz jus à fama de ser o melhor pub do mundo. 

Uma cidade alegre, com diversidade cultural e uma vida noturna recheada de opções para todos os gostos. Dublin me proporcionou ótimas experiências. Já quero voltar lá!