Dicas para o viajante

Tudo o que você precisa saber sobre viagem internacional com Pets

Quem é apaixonado por pet sabe como é difícil se distanciar dos bichinhos por um período. E se a viagem for internacional, a ausência mais longa faz aumentar a dor e a preocupação.

São muitas as dúvidas dos tutores sobre viagens com animais de estimação, principalmente para o Exterior. Este guia vai mostrar o que você precisa saber para viajar tranquilo com seu pet. Entenda as regras, fique atento aos alertas e confira as dicas para garantir um passeio seguro e confortável para o seu amigo de quatro patas e sem preocupações para você. 

 

Atenção às regras da companhia aérea

A boa notícia para quem está planejando uma viagem internacional com o pet é que as principais companhias aéreas permitem o transporte de cães e gatos em seus voos. Azul, Gol, Latam, Delta, United, AirFrance, American Airlines, TAP, KLM estão entre elas. 

Algumas companhias podem não oferecer o serviço em todas as categorias e trajetos. E a quantidade de animais permitida por aeronave costuma ser limitada: varia em torno de três por voo. Portanto, a dica é ligar para a companhia aérea e conferir a disponibilidade para o seu trajeto. Atenção: faça o contato com antecedência para garantir o lugar do seu pet. 

 

Condições de transporte do animal 

Para evitar surpresas, confira as regras definidas por cada companhia para esse tipo de serviço.

Em geral, o transporte do animal costuma ser permitido apenas para a classe econômica. A maioria das empresas limita o peso em até 10kg. O pet vai na cabine com o tutor. O formato é parecido com o de uma bagagem de mão. 

Animais de maior porte devem viajar no porão na aeronave. Em qualquer situação, o animal vai dentro de uma caixa de transporte resistente e em bom estado de conservação, que o dono do pet deve providenciar. O recipiente deve ser ventilado e sem rodinhas. Quanto às dimensões máximas do objeto, os critérios são estabelecidos por cada companhia.

Pessoas com deficiências ou algum transtorno podem tentar emitir a carteirinha de animal de suporte emocional, que atesta que a presença do pet é fundamental ao bem-estar do tutor. 

Dessa forma, o bichinho pode viajar gratuitamente na cabine, ao lado do seu dono. No entanto, é importante conferir se a companhia aérea escolhida para o seu trajeto presta esse tipo de serviço. Algumas empresas oferecem esse atendimento, mas apenas para alguns destinos. 

Para garantir um lugar para seu pet no voo internacional e economizar, garanta a sua passagem sempre com a maior antecedência

 

Taxa de transporte

A taxa cobrada pelas companhias aéreas para transportes de animais em viagens internacionais também varia. O custo médio é de US$ 250. As companhias europeias cobram em euros e por trecho. Para viagens com conexões, pode haver cobrança por cada trajeto percorrido. Até o tempo de espera entre um voo e outro pode gerar cobrança pela permanência no aeroporto. 

Resumindo: prepare o bolso, pois viajar com seu cachorro ou gato pode acabar tendo um custo bem alto. 

 

Documentação exigida

Planejamento é a chave para garantir que a sua viagem internacional com seu pet corra tranquilamente. Então fique atento aos documentos exigidos pelas companhias aéreas e certifique-se de reunir todos com antecedência. São eles: 

  • Atestado de saúde emitido por um médico veterinário até 10 dias antes da viagem;
  • Carteirinha de vacinação atualizada, incluindo antirrábica;
  • Comprovação de aplicação do microchip no animal; 
  • Certificado Veterinário Internacional (CVI) feito de acordo com as regras de cada destino 

 

Microchip implantado no animal 

O microchip é um número válido no mundo inteiro. Essa é a forma mais eficaz de identificar o seu pet. Exigido para a maior parte das viagens internacionais, o chip funciona como um RG do seu animal de estimação. 

O procedimento para aplicação subcutânea é feito por médicos veterinários. É bem simples, indolor e sem efeitos colaterais. Após a inserção do microchip, o tutor deve fazer um cadastro com os dados do pet.

Há diversas opções de microchips no mercado brasileiro, mas é preciso ter o cuidado de encontrar um que atenda às exigências dos padrões internacionais

 

Certificado Veterinário Internacional (CVI) 

O Certificado Veterinário Internacional (CVI) exigido para viagens internacionais com animais é emitido pelo Ministério da Agricultura do país de origem. Ele segue as regras para entrada de animais do país escolhido pelo viajante. O documento atesta as condições e o histórico de saúde do pet e indica que cumpre as exigências sanitárias do país de destino. 

Como cada país tem pré-requisitos bem distintos para autorizar a entrada de cães e gatos, a antecedência para preparar a papelada é fundamental. Há casos em que esse processo pode levar meses. Por isso, a dica é que o tutor busque se inteirar na embaixada ou no consulado do país de destino o quanto antes.

Dependendo do destino, a emissão do CVI deve ser feita entre 5 e 15 dias da data da viagem. Como o serviço está sujeito a agendamento, a recomendação é se programar

Animais que permanecerem no Exterior por um período máximo de 60 dias podem voltar para o território brasileiro tranquilamente. Se as vacinas estiverem em dia, não há documentação extra a ser exigida.

Caso o prazo da estada no Exterior ultrapasse dois meses, é preciso emitir um CVI no país estrangeiro, atualizar a carteira de vacinação e pegar um atestado.

 

Pet também tem bagagem

O seu amigo também precisa de uma mala! Entre os itens fundamentais para garantir o conforto dos pets estão brinquedos, coleiras, guias, ração e medicamentos. O ideal é consultar o veterinário para garantir o embarque dos acessórios indispensáveis. Os cuidados podem variar de acordo com a estação do ano e o clima no destino.

Então, se você pensa em se aventurar com seu animal de estimação no Exterior, já sabe por onde começar os preparativos. Os detalhes são inúmeros e o planejamento é fundamental. Evite transtornos.

 

Já decidiu para onde vai levar seu pet? Reserve a sua passagem com a 123milhas e aproveite!