Guia turístico

Caraíva: saiba tudo sobre a paradisíaca praia na Bahia

Tem sensação mais gostosa do que tirar o calçado e sentir a areia fina ao caminhar descalço na praia? E quando esse caminho é feito diante de um mar azul e quentinho, em um dos destinos mais rústicos do litoral da Bahia? É exatamente isso que você sente em Caraíva, um dos locais mais charmosos da Costa do Descobrimento, na Bahia. 

Quer dar um tempo para a correria e o estresse da cidade? Então corre pra lá! Esse vilarejo à beira-mar no sul baiano pertence a outro lugar que inspira: Porto Seguro. A vila costuma ser refúgio dos turistas que buscam tranquilidade em uma praia quase deserta. E, ao mesmo tempo, atrai quem busca vida agitada, embalada por forró e praia deslumbrante. 

Com cerca de dois mil moradores, o movimento de pessoas chega a dobrar no verão. Independente da época do ano, carro não entra em Caraíva. As ruas são de areia e nem sinal de celular pega direito lá.

 

Onde fica Caraíva

Caraíva é um vilarejo que fica em Porto Seguro, na Bahia

Uma razão de Caraíva ser conhecida como um destino rústico e pitoresco é exatamente por causa da localização. Outros motivos são a simplicidade da antiga vila de pescadores e o clima de paz que se mantém no local. Caraíva está a 70 km do Aeroporto Internacional de Porto Seguro. Então, descer lá é o primeiro passo para quem quer conhecer esse paraíso. 

Depois de chegar em Porto Seguro, o deslocamento até Caraíva exige dois meios de transporte: carro e canoa. Contrate um serviço de transfer ou táxi para percorrer o trajeto de 70 km. Quem parte de Trancoso precisa pegar 36 km de estrada de terra. O percurso acaba nas margens do rio Caraíva, ponto final para carros. 

A partir dali, as canoas são o único transporte para atravessar o rio e chegar à vila. A travessia dura 2h30 e a passagem custa R$ 5 por pessoa. No desembarque, charretes levam as malas até as hospedagens – o transporte é conhecido como “Juber”. O povoado não permite a entrada de carros. Somente buggys podem circular em algumas áreas de Caraíva. 

A vida no vilarejo é muito pacata. Faz pouco tempo que a luz elétrica chegou às casinhas coloridas e ao comércio de lá. Mesmo assim, você pode contemplar mesas iluminadas por velas ao cair da noite. A experiência é mágica! Parecem cenas de um filme romântico. 

As casinhas coloridas fazem parte da construção histórica de Caraíva

 

História

A história de Caraíva remonta ao descobrimento do Brasil. Os portugueses chegaram ao litoral de Porto Seguro, na região que ficou conhecida como Costa do Descobrimento. 

Documentos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) dão conta de que Caraíva é o vilarejo mais antigo do Brasil. A comunidade foi fundada por volta de 1530, quando os primeiros portugueses vieram se instalar de forma definitiva. Antes a região era habitada por diversas tribos indígenas. 

Caminhe em Caraíva descalço, chinelo ou até tênis. As ruas da cidade são de terra batida ou areia

 

A vila 

Com um sinal de celular instável, a dica é ficar por conta de curtir o local. Mas se precisar mesmo usar internet, os restaurantes têm wi-fi com uma curiosidade: as senhas são mensagens motivacionais aos visitantes. Como se precisasse… A Rua Principal é o coração do povoado, onde se concentram restaurantes, lojas e pousadas. 

 Caraíva é famosa por suas casinhas antigas e coloridas. A principal delas é a casinha verde. A fachada é famosa pela frase pintada “Sorria, você está em Caraíva”. É um dos principais pontos turísticos de Caraíva e está localizada na Rua do Cruzeiro, que liga a orla do rio e a praia.


A casinha verde se tornou símbolo da vila.

A caminhada pela vila rende boas compras. Vale a pena conhecer lojas de artesanatos locais e de cosméticos artesanais Gahyia. O estabelecimento oferece produtos derivados da árvore almesca, nativa no sul da Bahia. Óleo essencial, perfume e shampoo são feitos com resina da espécie.

Shampoo sólido, hidratante corporal, máscaras e perfumes são alguns produtos de higiene pessoal e cosméticos elaborados com árvores almesca

 

Praias

Ninguém precisa fazer nada além de descansar com os pés na areia branca de Caraíva. Mas o vilarejo oferece mais atividades para quem quer curtir um destino completo. Sem dúvida, as praias são as atrações mais buscadas. Há várias opções para os mais diferentes gostos.

A mais frequentada é a Praia da Barra, onde os turistas podem aproveitar o mar, o rio e até os dois ao mesmo tempo. Lá acontece o encontro das águas escuras do rio Caraíva com as águas azuis e mornas do Oceano Atlântico. Ela é a mais próxima do centro do vilarejo, a apenas cinco minutinhos de caminhada. Na faixa de areia ficam barracas que vendem bebidas e comidas típicas, além de uma quadra de beach tênis. 

A praia da Barra é uma das mais visitadas pelo turista em Caraíva

A Praia de Caraíva também é uma excelente opção para quem não quer andar muito. Ela é a extensão da areia banhada apenas pela água do mar. A região é ótima para quem busca agito, já que conta com bares bem movimentados. Quem prefere relaxar alcança áreas mais solitárias com uma rápida caminhada. 

Inclua também no seu roteiro a Praia de Satu, dos Amores, da Lontra, do Camarão e a da Ponta do Corumbau. 

 

Prainha e Rio Caraíva

O Rio Caraíva deixa o vilarejo ainda mais reservado, além de oferecer ótimas atrações para os turistas

O Rio Caraíva tem atrativos para além da parte ribeirinha na extensão da Praia da Barra. Um dos mais visitados é a Prainha. Em um ponto mais distante do mar, a região é uma ótima opção para quem quer se banhar nas águas do rio em meio a um manguezal. E lá você pode mais do que nadar. Já pensou um belo cenário sendo apreciado a bordo de um caiaque, barco ou até descendo o fluente em uma boia? Pois é, dá para fazer isso tudo na bacia hidrográfica. 

Uma dica é desfrutar desse paraíso natural ao entardecer, quando o céu ganha tonalidades entre o rosa e o roxo que se refletem nas águas escuras do rio. Nas margens, aproveite o conforto proporcionado pelos serviços das barracas artesanais. 

 

Tribos indígenas

A vila é próxima ao Monte Pascoal – o primeiro sinal de terra à vista anunciado pelos tripulantes de Cabral. Lá também fica a reserva indígena Pataxó. A 6 km ao sul de Caraíva fica a aldeia Barra Velha. A área abriga cerca de cem famílias indígenas. 

A farinha é a base para a produção artesanal dos Pataxós. Eles preservam esse costume desde antes do descobrimento do Brasil. O passeio permite participar de uma vivência com indígenas pataxós e descobrir mais sobre a cultura da tribo. É um momento para conhecer as danças, a culinária e as histórias contadas pelos indígenas. 

Quem deseja comprar lembrancinhas para levar para casa, na aldeia há excelentes opções. Atenção para os tradicionais passarinhos de madeira com penas coloridas.  Há colares, pulseiras e adornos produzidos com sementes de jacarandá, macanaíba e maçaranduba. Além de utensílios de cozinha feitos de madeira. 

Quer vivenciar essa experiência única em um dos cenários mais paradisíacos do Brasil? Então descubra o que fazer em Caraíva com o guia da 123milhas. E boa viagem!