Todos

Tem que comer em Natal

Muita gente sabe que as pessoas nascidas no Rio Grande do Norte são chamadas de potiguares. Porém, o que pouco se conta é que o termo vem do tupi e significa “aquele que come camarão”. Assim, já dá para imaginar o quanto o alimento é popular na gastronomia local! Bora descobrir tudo o que você tem que comer em Natal!?

 

Camarão

Em quase todos os restaurantes, bares e quiosques de Natal você encontrará camarão. Seja frito, empanado, ao alho e óleo, entre outras diversas combinações, os pratos com esse protagonista potiguar são deliciosos. 

Um dos pratos mais queridinhos é o bobó de camarão! Essa clássica receita veio junto com os povos africanos e tomou espaço na culinária brasileira. A consistência cremosa combina perfeitamente com um arroz soltinho. Frequentemente o bobó de camarão vem acompanhado de farinha, batata palha e salada verde. É uma delícia! 

 

Bobó de camarão é um prato muito famoso em Natal.

Além do bobó, o camarão também pode aparecer nos pratos strogonoff, moqueca, risoto e com massas. 

Camarão combina muito com risoto.

 

Restaurante Camarões

O Restaurante Camarões é um dos mais tradicionais de Natal, com quatro unidades na cidade. Duas delas, o “Camarões Restaurante” e o “Camarões Potiguar”, ficam em Ponta Negra. 

O cardápio da casa é muito variado com opções de preparos que vão do camarão ao molho de quatro queijos, o camarão do sertão, empanado com tapioca, até o que acompanha jerimum assado. As porções são generosas e o preço para duas pessoas pode chegar a R$152. 

Para quem prefere buffet livre ao invés de à la carte, a unidade do Midway Mall é a mais ideal. 

 

Nau Frutos do Mar

O Nau Frutos do Mar, no bairro Cidade Jardim, é uma ótima opção para quem quer um lugar mais sofisticado. Além dos muitos pratos com camarão também há receitas com frutos do mar e carnes. O polvo e a lagosta são muito elogiados! 

Você pode optar pelo menu do chef. Esse combinado vem com entrada, prato principal e sobremesa pré-estabelecidos. 

 

Yuru

O Yuru é outra opção para quem quer comer camarão de qualidade em Natal. O restaurante fica no “Hotel Golden Tulip”, em Ponta Negra, e tem uma vista lindíssima para o mar. O menu é excelente, com ingredientes locais e sabores marcantes. Além de almoço e jantar também servem café da manhã. 

 

De forma requintada ou mais simples, o camarão de Natal é sempre delicioso! Créditos: Divulgação / Yuru Restaurante.

 

Caranguejo

O caranguejo é outro fruto do mar que faz parte da culinária natalense.

Tal como o camarão, o caranguejo é muito popular em Natal. Facilmente você encontra receitas variadas com essa iguaria em restaurantes, bares e quiosques da cidade. 

Uma das mais populares é a caranguejada, juntamente com a casquinha e o arroz de caranguejo. Você também pode comer caranguejo com massas, risotos, bolinhos ou em outros preparos. 

 

Barramares

O restaurante Barramares, na Praia do Cotovelo, chama a atenção à primeira vista. No topo da entrada há uma estátua enorme com o formato de um caranguejo. Com vista para o mar, o espaço tem menu variado e vários drinks. É um bom lugar para comer petiscos de caranguejo, camarão e peixe. 

Para quem viaja com crianças é um ótimo local, pois além da praia, que já é um atrativo, o restaurante possui um parquinho. É diversão garantida! 

 

Baião de Dois

O baião de dois é uma receita popular encontrada em várias partes do Brasil. Em Natal, o preparo do arroz é cozido no caldo do feijão e ingredientes como a carne seca e outros temperos regionais são adicionados para dar um sabor único para o prato.

A base do baião de dois são os populares arroz e feijão.

 

Marenosso

“Baião de dois de outro mundo”. É assim que muitos definem este prato no Marenosso Restaurante. O bolinho de macaxeira com carne de sol também é uma grande estrela por lá. Com comida boa, preços justos e porções generosas, essa casa é uma ótima opção para o seu almoço em Natal.

Carne de Sol

A carne de sol acompanha muitos pratos.

Carne de sol é um dos alimentos que você tem que comer em Natal! É feita com carne bovina  adicionada com uma fina camada de sal. Depois disso, basta colocar em um local coberto e ventilado para secar. Além de deliciosa, essa carne tem maior durabilidade. 

É saborosa tanto em pedaços quanto desfiada. Serve de recheio para bolinho ou escondidinho, por exemplo. 

 

Paçoca de Carne de Sol

Em Natal e região, paçoca nem sempre será o doce feito com amendoim.

Paçoca não é aquele doce de amendoim? Sim, mas se você estiver no nordeste a palavra paçoca remete primeiramente a um um tipo de farofa, prato típico da região. 

A paçoca nordestina é feita com farinha de mandioca. Em Natal, ela é preparada junto com a carne de sol, podendo ser estes ingredientes amassados juntos em um pilão. É um acompanhamento bem comum que pode ser servido com arroz, feijão, carnes, saladas e alimentos diversos. Em alguns lugares, também leva queijo coalho e pimenta. Muito saboroso!

 

Feijão verde 

O feijão verde faz parte da culinária natalense.

O feijão é típico do Brasil inteiro. Mas em Natal, o feijão verde é o mais usado e sempre conquista os turistas. Algumas receitas adicionam queijo coalho e requeijão para ficar cremoso. Geralmente, ele acompanha carne de sol, arroz de leite e vinagrete. Pode experimentar sem medo!


Arroz de leite

Não confunda o arroz de leite com arroz doce!

O arroz de leite é um dos “melhores amigos” da carne de sol. Apesar de levar leite na composição, e às vezes até lembrar a sobremesa arroz-doce, este prato é salgado. Fique atento para não confundir!

Por ser bem cremoso, ele costuma acompanhar alimentos mais secos, principalmente carne de sol. Também é comum com alguns tipos de peixes e camarão. 


Escondidinho

O escondidinho em Natal é feito com purê de macaxeira e algum recheio, como carne de sol.

Você irá ver muito escondidinho nos cardápios dos restaurantes natalenses. Um dos recheios mais comuns para este prato é a carne de sol. Mas você também pode encontrar preparos com camarão, frango ou outros ingredientes regionais. 

É bem simples! São duas camadas de purê de macaxeira (também chamado de mandioca ou aipim em outras regiões brasileiras), com bastante carne de sol no meio. Para ficar ainda mais gostoso, normalmente também acrescentam queijo por cima para, depois, levar ao forno para gratinar. 


Ginga com tapioca

Ginga é um nome regional para o peixe manjuba.

A tapioca é um ingrediente do cotidiano dos nordestinos. Em Natal, o jeito mais comum de comer é com ginga, um nome popular para o peixe manjuba. Este prato é tão famoso que foi reconhecido como patrimônio imaterial do estado do Rio Grande do Norte. 

A ginga é preparada assada, grelhada ou frita. A tapioca é feita do jeito mais conhecido. A  farinha vira uma espécie de panqueca na frigideira. Os dois são servidos juntos, com a ginga no meio do disco de tapioca dobrado. Apesar de simples, esta combinação é deliciosa e vale a pena experimentar!


Cuscuz 

O cuscuz pode ser comido em todas as refeições, do café da manhã ao jantar.

O cuscuz é muito consumido no nordeste do Brasil. Dessa forma, na culinária natalense ele também não fica de fora!

A receita mais comum é uma espécie de bolo feito com massa flocada de milho. Mas o cuscuz pode ser comido puro, com recheio ou como acompanhamento. Alguns locais oferecem  cuscuz doce, adicionando leite de coco  na mistura. 

É muito comum rechear com carne e frango, ou então comer junto com carne de sol, queijo coalho e outros alimentos. É um prato muito versátil, servido em todas as refeições, inclusive no café da manhã ainda leva ovos cozidos ou mexidos.

Vamos combinar que a gastronomia natalense é um motivo enorme para visitar a cidade. Quer saber mais sobre esse destino maravilhoso que é a capital do Rio Grande do Norte? Venha ver tudo o que você tem que conhecer em Natal