Lugares para conhecer

Tem que Conhecer na Estrada Real (Parte 2)

Os pontos turísticos das rotas de Diamantina e Tiradentes são muitos, e todos belíssimos. Hoje vamos explorar alguns deles aqui no nosso blog e te convencer de tudo que você tem que conhecer na Estrada Real – parte 2.  Releia a parte 1 aqui.

 

Diamantina

 

Nessa grande cidade que foi rota de diamantes na época colonial, as grandes atrações turísticas ficam concentradas no centro histórico. Você consegue conhecer museus, casarões históricos, igrejas barrocas e sobrados coloniais em pouco tempo, ao caminhar pelas ruas de paralelepípedo.

 

É claro que ao redor da cidade você também encontra outras atrações, como as belezas naturais de Minas Gerais a poucos minutos do centro. É um outro olhar pela região, tão rica, que trouxe muito prestígio para o estado.

 

 

Catedral Metropolitana de Diamantina

 

No coração do centro histórico, fica a belíssima Catedral Metropolitana de Diamantina, também conhecida como Igreja Matriz de Santo Antônio. Ela foi construída no  século XVIII e restaurada em 1933. Em seu interior, ela mantém pouquíssimos detalhes da época em que foi erguida, mas o lado de fora permanece no mesmo estilo colonial da época. Um bom ponto para começar o seu passeio pela história da cidade.

 

Catedral Metropolitana de Diamantina

 

Capela Imperial de Nossa Senhora do Amparo

 

Escondida entre as ruas apertadas da cidade, a pequena Capela Imperial de Nossa Senhora do Amparo possui uma fachada delicadamente decorada em tons de azul e branco. É a sede da Festa do Divino, uma das comemorações mais tradicionais de Diamantina. No interior da igreja o destaque é para o altar em estilo barroco-rococó, que infelizmente não pode ser fotografado. O presépio, composto por centenas de conchinhas das minas de salitre da região de Diamantina, é um charme a parte.

 

Capela Imperial de Nossa Senhora do Amparo

 

Casa da Chica da Silva

 

Um dos mais bem preservados casarões históricos da cidade é a Casa da Chica da Silva. A história da escrava alforriada casada com um contratador de diamantes é a mais famosa da cidade. Visitar a casa dessa mulher tão importante nos dá uma ideia do que era ser um dos ricos moradores da cidade na época da exploração de diamantes. Repleta de cômodos amplos, jardins e sacadas de madeira, o sobrado é uma construção incrível. No interior você pode ver de perto alguns móveis da época e obras de arte que lembram Chica da Silva.

 

Casa da Chica da Silva

 

Instituto Casa da Glória

 

O cartão postal de Diamantina, o Instituto Casa da Glória, está entre os melhores pontos turísticos da cidade. A construção é composta por dois casarões, ligados por um passadiço de madeira que sobrepõe a rua estreita abaixo. Construído no século XVIII, foi passado para as Irmãs de São Vicente de Paulo e começou a funcionar como um educandário e, tempos depois, o prédio em frente também foi adquirido e transformado em um orfanato. Para facilitar a passagem, foi construído o passadiço.

 

Instituto Casa da Glória

 

Hoje, os prédios, restaurados e abertos a visitação, abrigam o Instituto de Geociências da UFMG e possuem alguns objetos de época em exposição. Mobiliários e obras de arte sacra também fazem parte do acervo. Aproveite a visita para circular por esses cômodos cheios de história e atravessar pelo passadiço icônico todo em madeira.

 

Caminho dos Escravos

 

Perto de Diamantina existem pequenos caminhos de pedra que no passado serviram de passagem para os tropeiros que viajavam para explorar os diamantes da cidade. Esse caminho nada mais é do que um braço da Estrada Real. Para encontrar esse trajeto, você pode seguir a Rua Salto da Divisa até chegar na rodovia BR-367 e seguir as placas. Lá você tem uma linda vista da cidade depois de uma curta caminhada e poder ver de perto o trabalho árduo dos escravos, que construíram o caminho com as próprias mãos.

 

 

Tiradentes

 

Uma cidade pacata, parada no tempo e que convida a todos os visitantes a ter belos dias de descanso. Tiradentes é linda, tranquila e pequena. Ótimo destino para um fim de semana ou uma temporada curta. Você pode curtir momentos de puro relaxamento e se desconectar da cidade grande, curtindo tudo que a cidade tem para oferecer.

 

A primeira rota da Estrada Real foi criada passando por lá, uma região riquíssima em ouro que rendeu muito dinheiro para a Corte Portuguesa. Ela passou de um arraial pequeno para uma cidade que ostentava uma Matriz magnífica, cheia de ouro em seu interior.

 

Largo das Forras

 

Essa é a praça principal da cidade, sendo assim um bom ponto de partida para explorar o Centro Histórico. Apesar de ser um lugar super bacana para curtir a tarde nos cafés e lojinhas que circundam a praça, é a noite que ela realmente revela sua beleza. As luzes dão um verdadeiro charme ao anoitecer!

 

 

Igreja Matriz de Santo Antônio

 

Considerada uma das obras-primas do barroco mineiro, a Igreja se sobressai à paisagem de Tiradentes e pode ser vista de diversos pontos da cidade. Maior símbolo entre as igrejas de lá, a Matriz tem a escultura de fachada feita pelo mestre Aleijadinho.

 

Igreja Matriz de Santo Antônio

 

Seu interior é rico em detalhes em ouro, grandes lustres e belas pinturas. É uma das igrejas mais ricas e impressionantes de Minas Gerais. Um órgão de origem portuguesa, que data do século XVIII, decora o interior.

Em frente a Matriz de Santo Antônio, você pode ver o relógio de sol, que se tornou um dos símbolos da cidade e é reproduzido em peças de pedra sabão por artesãos locais.

 

Museu de Sant’Ana

 

No prédio da antiga cadeia pública de Tiradentes, o edifício à Rua Direita hoje abriga o belo e emocionante Museu de Sant’Ana. O acervo veio da coleção de Angela Gutierrez, que doou todas as peças para a montagem desse espaço dedicado à mãe de Maria. São 300 imagens que representam a santa. As obras são de origem brasileira, produzidas em grande parte por artistas anônimos entre os séculos XVII e XIX. A história do edifício também faz parte do museu, onde é possível ver as grades originais nas janelas e também o calabouço dos prisioneiros.

 

Rua Direita em Tiradentes

 

Capela de São Francisco de Paula

 

Do alto do morro, em frente a Capela de São Francisco de Paula, você tem uma das mais belas vistas de Tiradentes, de onde é possível ver de longe a Matriz de Santo Antônio cercada pelos casarões coloniais e pela paisagem da serra ao fundo. Uma boa opção para aproveitar um pôr do sol inesquecível!

 

Capela de São Francisco de Paula

 

Maria-Fumaça

 

Visitar Tiradentes e não passar o dia na vizinha São João del Rei é quase impossível. A cidade oferece belas atrações e o meio de transporte mais usado para chegar até lá é a boa e velha Maria Fumaça. O trem de antigamente, literalmente com fumaça saindo pela chaminé, te leva em uma viagem de 12 quilômetros entre as duas cidades. Você poderá ver a belíssima flora e fauna da região, com algumas casas no caminho que preservam a arquitetura do século XIX. E tudo isso a bordo da Maria-Fumaça mais antiga em operação no Brasil.

 

Maria-Fumaça

 

E aí, gostaram de conhecer mais um pouco sobre Tiradentes e Diamantina? Visite essas cidades e inspire-se com as riquezas culturais que você tem que conhecer na Estrada Real, com a 123Milhas!