Tem que ir para Floripa - Dicas de Viagem e Turismo - Conexão123 Dicas de Viagem e Turismo - Conexão123
Tem que ir para Floripa

Tem que ir para Floripa

15 de janeiro de 2022

Florianópolis, carinhosamente chamada de Floripa, é uma cidade com duas realidades: a do continente e a de 42 praias na parte insular. Três pontes fazem a ligação entre as duas partes. A cidade é também uma mistura de arquitetura colonial e de construções modernas. Construções históricas ou pé na areia? A capital de Santa Catarina é destino para ambas as experiências. Descubra mais sobre esse destino e saiba porque você tem que ir para Floripa. Partiu?!

Vista aérea de Florianópolis.

Praias

Na área litorânea, as praias com maior movimento são as de Jurerê, Canasvieiras e Ingleses. Mas, entre as mais de 40 opções, estão também a Praia Mole, Praia Brava e Campeche. A verdade é que, em Florianópolis, há uma praia para cada gosto, um gosto para cada praia.

 

Praia de Jurerê

Jurerê é uma típica praia paradisíaca, com mar calmo, esverdeado, morno e de areia fina e fofa. A vegetação nativa deixa tudo ainda mais bonito e complementa o aspecto edênico do local.

Praia de Jurerê é um paraíso na Terra.

O bairro onde está localizada, que leva o mesmo nome da praia, também é extremamente encantador. Projetado pelo famoso arquiteto Oscar Niemeyer, possui alamedas largas, de 15 metros, que facilitam e direcionam o caminho para a praia.

Apesar de não haver uma divisão formal, existem duas Jurerê. Ambas são ao norte da cidade e sem limitação física, é possível notar claramente a diferença entre elas, a Jurerê e a Jurerê Internacional.

A Jurerê Velha ou Tradicional, é a mais antiga. Os arredores contam com muitas casas de veraneio e pousadas, e é frequentada principalmente por moradores. A gastronomia da região é mais local e o comércio é menor. Para quem busca relaxar, é uma das melhores opções. Costuma ser a mais escolhida por famílias com crianças e pessoas idosas.

A Jurerê Tradicional é a parte mais tranquila e sossegada.

Já a Jurerê Internacional é a mais badalada e agitada. As baladas diurnas nos beach clubs, como P12 e Café de La Musique, e as festas noturnas em casas como Milk, Posh e Pacha, tornam o movimento constante, principalmente na alta temporada. Com restaurantes mais sofisticados e shoppings, é uma área mais cara tanto para morar quanto para se hospedar. Geralmente é o lugar favorito do público jovem e de vários artistas, principalmente os internacionais.

Créditos: Café de La Musique
As festas de Jurerê Internacional atraem principalmente o público jovem.

 

Praia de Canavieiras

Canavieiras é a praia preferida de muitos turistas, por suas águas calmas e infraestrutura completa, ideal para passear em família ou com amigos. É frequentada por argentinos, uruguaios e paraguaios, por isso, muitos estabelecimentos oferecem atendimento na língua espanhola.

Para quem quer passeios de barco, caiaque, banana-boat e praticar mergulho, é uma das melhores opções. Também há quadras de areia para jogos de futebol e vôlei.

Canavieiras é a praia favorita de estrangeiros sul-americanos

Uma atração interessante na Praia de Canavieiras é o passeio no Barco Pirata. O trajeto dura cerca de quatro horas e é bem animado. Dá para conhecer outras ilhas e, se tiver sorte, ver golfinhos na Baía dos Golfinhos.

O ingresso custa R$100* para compra antecipada e R$125* para quem adquirir logo antes do passeio, então é bom se planejar. Crianças menores de 5 anos têm entrada gratuita, e as entre 6 e 10 anos pagam metade do valor. As saídas acontecem de terça-feira a domingo com check-in a partir das 9 horas. Para adquirir os ingressos ou obter mais informações, basta acessar o site.

Agência Escuna Martin
O Barco Pirata é diversão para toda a família.

 

Praia Brava

Na Praia Brava, a água fria e agitada atrai os amantes do surf e bodyboarding com ondas que propiciam a prática de ambas as atividades. É um local animado, sempre com música tocando e, às vezes, conta com show de DJs e bandas. Costuma ser muito procurada pelos jovens, mas o ambiente descontraído também cativa famílias.

Ainda que as ondas sejam mais fortes, há sinalização de quais lugares representam perigo para os banhistas e os salva-vidas estão sempre em alerta para tornar o local mais seguro.

O bairro é mais residencial e com menos opções de hotel, mas compensa muito fazer uma visita na região.

Ondas da Praia Brava são propícias ao surf.

 

Ilha do Campeche

Água cristalina, areia branca e muitas espécies de peixe fazem da Ilha do Campeche um passeio imperdível. É considerada uma das melhores do país, e até chamada de Caribe Brasileiro.

Ilha do Campeche tem águas cristalinas

Para chegar à ilha é necessário pegar um barco autorizado para embarque e desembarque, pois há um limite de visitantes por dia, já que foi tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional, por ter inscrições rupestres que datam 3.500 a.C. O número de pessoas não pode ultrapassar a 800 por dia, então é melhor se programar. Outro detalhe importante é o tempo de permanência máximo de quatro horas, planeje bem tudo o que você quer fazer.

As embarcações saem da Barra da Lagoa e das praias da Armação e do Campeche. Da Barra, o barco sai às 10h e demora uma hora para chegar até a ilha. O transporte varia entre R$110 e R$160*, dependendo da época do ano. Na Armação, as saídas acontecem das 9h às 12h, com trajeto de 40 minutos. O valor é entre R$70 e R$120*. A Campeche é a mais próxima, ficando a apenas cinco minutos e, por isso, não há limite de permanência. As saídas acontecem a partir das 9h, com ingressos de R$150*.

Para chegar à ilha, é necessário pegar uma embarcação autorizada.

Além de nadar e curtir a praia, a visita à ilha tem duas atividades muito populares. Pela riquíssima e bela mata, muitos turistas optam por fazer trilhas e explorar a região. Contudo, por ser um arquipélago tombado, esse passeio só pode ser feito com monitores credenciados. É cobrada uma taxa entre R$10 e R$25*, para manutenção e preservação da natureza.

Outra opção é o mergulho, perfeito para observar a vida marinha da região. Se você tiver um snorkel (aparelho de mergulho), é recomendado levar. Caso não tenha, pode facilmente alugar na ilha.

Explore a vida marinha na ilha do Campeche.

 

Praia Lagoinha do Leste

Lagoa, cachoeira, mar e mata. Florianópolis tem tudo isso em um só lugar: Praia Lagoinha do Leste. Para chegar, há duas possibilidades: andando ou de barco.

Para os aventureiros, a trilha dura aproximadamente uma hora e sai da Praia do Pântano do Sul. A dificuldade é média, mas a camisa suada e o esforço são recomendados quando se chega ao local paradisíaco. Há outra opção de trilha, saindo da Praia do Matadeiro, é menos usada, pois o trajeto é mais difícil e dura cerca de três horas, mas há quem prefira encarar o desafio!

De barco, também saindo do Pântano do Sul, o trajeto dura 15 minutos e custa em média R$35*.

Não há estradas para chegar de carro e é proibido fazer construções na praia, e é aí que mora o segredo, pois é limpíssima e muito preservada, fugindo de qualquer aspecto urbano da capital.

A água do mar é mais agitada e forma ondas médias, atraindo alguns surfistas. No ponto de encontro com a lagoa, a água é mais tranquila, e chama a atenção principalmente das crianças.

Por ser um lugar mais afastado, há poucos quiosques e nem sempre estão abertos, principalmente na baixa temporada. É indicado colocar lanche e bastante água na mochila para passar o dia com tranquilidade, e não se esqueça de levar o lixo de volta quando for embora!

Outro ponto imperdível é o mirante Morro da Coroa. A subida dura cerca de 30 minutos e é um pouco cansativa, mas oferece a melhor vista de Floripa.

A rica natureza da Praia de Lagoinha do Leste.

 

Praia da Galheta

Uma praia bem escondida em Floripa é a da Galheta. O acesso é feito somente por trilhas, saindo das praias Mole ou da Barra da Lagoa. Lá acontece a prática de nudismo opcional, o que atrai alguns curiosos. O naturalismo não é obrigatório, então você pode ficar com suas roupas de banho se quiser.

Ela é cercada pelo Parque Natural Municipal da Galheta, uma área de preservação ambiental permanente. Uma boa opção para fazer trilhas e aproveitar a natureza.

É bem deserta e sem estrutura para turistas, então lembre-se de levar na mochila o que for consumir.

A Praia da Galheta é conhecida pelo nudismo opcional

A Praia da Galheta é conhecida pelo nudismo opcional

 

Centro Histórico

Apesar de chamar a atenção pelas belas praias, Floripa também é rica em arte, história e cultura. No centro histórico da cidade, a arquitetura colonial chama a atenção e convida os turistas a conhecer os monumentos, museus e espaços de convivência.

No centro histórico você encontra a belíssima arquitetura colonial.

Os principais pontos turísticos da região, e que valem muito a visita, são a Praça XV de Novembro, Museu Victor Meirelles, Palácio Cruz e Sousa, Catedral Metropolitana de Florianópolis, Mercado Público de Florianópolis, Largo da Alfândega, Ponte Hercílio Luz e Escadaria do Rosário.

Praça XV de Novembro

 

A Praça XV de Novembro é a mais importante da cidade, pois foi onde surgiu a Vila Nossa Senhora do Desterro, que hoje é Florianópolis. Além da praça em si, que chama atenção pelo valor histórico e por ser um ambiente tranquilo e muito arborizado, diversos outros elementos são atrativos para conhecer melhor a história da cidade.

No centro há a Velha Figueira, que surgiu em 1871 em um jardim em frente à atual Catedral Metropolitana, e foi transferida para o lugar atual em 1891. A árvore é um cartão postal da cidade, e muitas pessoas vão até lá para ver sua grandeza. Pelo crescimento dos galhos, há algumas hastes de sustentação para preservar a estrutura. Reza a lenda que os turistas devem dar três voltas ao redor da árvore no sentido anti-horário e de mãos dadas para ter sorte. Quem sabe não dá certo?

A Figueira é um dos cartões postais da cidade.

O local também abriga o Monumento em Honra aos Heróis Mortos na Guerra do Paraguai e bustos do artista Victor Meirelles, do poeta Cruz e Sousa, do patrono do ensino superior José Boiteux e do fundador da imprensa do estado, Jerônimo Coelho.

 

Casa Natal de Victor Meirelles

A Florianópolis histórica está presente, dentre outros monumentos, na Casa Natal de Victor Meirelles, um sobrado luso-brasileiro, típico do final do século XVIII até início do século XIX. A construção é um dos poucos exemplares da arquitetura oitocentista e foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1950. E desde 1952 abriga o Museu Victor Meirelles como forma de preservar a memória do artista catarinense que dá nome ao local e de divulgar a arte contemporânea local.

O museu tem uma exposição permanente, das obras e vida de Victor Meirelles, um pintor e professor importante do Brasil Colonial, e também recebe acervos temporários de artistas nacionais e internacionais que dialoguem com as obras de Victor. A entrada é gratuita e acontece de terça a sexta-feira, exceto em feriados, das 10h às 16h.

Créditos: Museu de Victor Meirelles.
A entrada do museu é gratuita.

 

Palácio Cruz e Sousa

Também tombado como patrimônio histórico, o Palácio Cruz e Sousa, vale uma visita. Já abrigou o Palácio do Governo mas é onde hoje fica o Museu Histórico de Santa Catarina. O acervo é riquíssimo, com móveis ao estilo Dom João V (segundo filho de D. Pedro II), uma cópia do quadro “A Primeira Missa do Brasil”, de Victor Meirelles, a primeira lâmpada elétrica residencial do estado, um violino e uma caixa de música alemã do estilo art nouveau, um piano da marca francesa Pleyel (uma das mais antigas fabricantes do instrumento no mundo), a urna com os restos mortais de Cruz e Sousa, dentre outros objetos.

O museu fica aberto das 9h às 17h de terça a sexta-feira e das 10h às 16h aos sábados, domingos e feriados. O ingresso custa R$5*. Alunos e professores das escolas particulares pagam R$2*. Menores de 5 anos, idosos, guias de turismo, alunos e professores da rede pública de ensino têm entrada gratuita. Aos domingos, o ingresso é grátis para todos os públicos.

O nome do museu é em homenagem ao poeta João Cruz e Sousa, nascido na atual Florianópolis, um dos principais representantes do simbolismo no Brasil.

Palácio Cruz e Souza.

 

Catedral Metropolitana de Florianópolis

No circuito cultural e religioso, destaque para a Catedral Metropolitana de Florianópolis, dotada de rico acervo de arte sacra. O templo é dedicado à Nossa Senhora do Desterro, um nome dado à Virgem Maria.

É nessa igreja que está, desde 1902, a escultura “Fuga para o Egito”, do artista tirolês Demetz Groeden. Também fazem parte do acervo o órgão de tubos alemão, de 1924, o carrilhão principal com cinco sinos, de 1922, e os vitrais feitos em São Paulo em 1949.

A catedral fica aberta de segunda a sexta, das 6h15 às 20h, aos sábados das 8h às 12h e das 14h às 20h, aos domingos das 7h às 12h e das 16h às 21 e nos feriados das 6h15 às 12h e das 16h às 20h.

Arte sacra da Catedral Metropolitana de Florianópolis.

 

Mercado Público de Florianópolis

O Mercado Público de Florianópolis é um dos melhores locais para comprar lembrancinhas de viagem, souvenirs e artigos regionais. Para quem busca pratos típicos de qualidade, com direito a muito peixe e frutos do mar, é uma boa opção para o almoço.

O Mercado Público de Florianópolis é um passeio para compras, alimentação e para conhecer melhor a cultura local.

Costuma ser um local bem movimentado, pois as peixarias, hortifrutis e lojas de grãos são muito frequentadas pelos moradores, além de ser um espaço turístico. Mas não deixe isso te assustar! Seja para dar uma volta pelos corredores, para conhecer os produtos ou sentar em um bar para beber uma cerveja, a visita compensa.

Um ponto bem atrativo do mercado é o artesanato. Você irá encontrar lindos produtos feitos à mão e que fazem parte da cultura da cidade. Um exemplo é o Armazém da Renda, onde há artesãs de renda de bilro, uma tradição vinda dos colonizadores da cidade.

A renda de bilro é uma tradição que veio junto com os colonizadores de Floripa.

 

Largo da Alfândega

O Largo da Alfândega é uma praça localizada em frente à antiga Casa da Alfândega. O espaço abriga uma série de barracas que vendem produtos diversos, como artesanato, lembrancinhas, frutas, queijos, salames, flores, dentre outros itens. É um bom passeio para fazer compras, principalmente de peças típicas do folclore santacatarinense.

 

Ponte Hercílio Luz

A Ponte Hercílio Luz, cuja construção foi finalizada em 1926, foi a primeira ligação entre a ilha Florianópolis com o continente do estado de Santa Catarina, e a firmou definitivamente como a capital. Antes da construção, o acesso à ilha acontecia somente pelo serviço de balsas, que era precário e com travessia difícil principalmente em dias chuvosos ou quando o mar estava agitado.

É um dos grandes charmes da Floripa, e recebe muitos cliques dos visitantes. É uma das representações mais importantes tanto da cidade quanto do estado, sendo usada para situar a locação em filmes e novelas, como Insensato Coração.

Ponte Hercílio Luz com a Florianópolis ao fundo

 

Próximo à ponte, há outros espaços que valem a visita. A Praça Hercílio Luz tem uma estátua do ex-governador, Hercílio Luz, que ocupou a função executiva na época da construção da ponte. O local também serve de mirante, dando uma ótima vista das baías norte e sul da ilha.

Em frente à praça, está o Parque da Luz, com uma extensa área verde e muitas árvores frutíferas. É um espaço agradável e tranquilo, com parquinho para crianças e trilhas para caminhadas.

Vista aérea do Parque da Luz.

 

Escadaria do Rosário

A Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, mais conhecida como Igreja da Escadaria, possui estilo barroco e foi construída entre 1787 e 1830 por homens negros e alguns brancos das classes baixas.

Ficou famosa especialmente por uma obra de Victor Meirelles, chamada “Uma Visão de Nossa Senhora do Desterro”, que foi pintada do topo da escadaria.

Créditos: Museu Victor Meirelles
Quadro “Uma Visão de Nossa Senhora do Desterro”, pintado por Victor Meirelles do topo da escadaria.

Aos pés das escadas, acontecem diversas feiras e atividades culturais, como o Samba de Terreiro Florianópolis, um projeto que propõe preservar o samba de terreiro e proteger um dos principais elementos da cultura afro-brasileira do estado.

A igreja é simples, mas muito bonita, e está em ótimo estado de conservação. Do chão até o topo da escadaria são 15 degraus, que rendem uma bela vista e ótimas fotos.

Créditos: Arquidiocese de Florianópolis.
A Igreja da Escadaria tem 15 degraus do chão até a entrada.

 

Santo Antônio de Lisboa

Santo Antônio de Lisboa é um bairro antigo de Florianópolis que chama a atenção pelo valor histórico. Foi um núcleo de imigração dos açorianos (povos vindos das ilhas dos Açores de Portugal) no século XVIII.

O local ainda preserva a arquitetura açoriana, com ruas estreitas e casas com fachadas coloridas, que dão um grande charme ao lugar. Lá você encontra a primeira rua calçada de Santa Catarina, feita em homenagem à uma visita de Dom Pedro II em 1845. Atualmente, nessa rua, acontece uma feira de produtos locais aos sábados e domingos.

No bairro você também encontra a Igreja Nossa Senhora das Necessidades, construída entre 1750 e 1756. Pequena, simples e bem charmosa, tem traços tanto da arquitetura barroca quanto do rococó.

Igreja Nossa Senhora das Necessidades, no bairro Santo Antônio de Lisboa

A Praia Santa Antônio de Lisboa também chama a atenção pelo belo pôr do sol. Por ter uma faixa de areia muito estreita, não é tão atrativa para esticar cangas e toalhas, mas é um bom lugar para descansar e apreciar a vista.

Aprecie o pôr do sol na Praia Santo Antônio de Lisboa.

 

Costa da Lagoa

Outro bairro imperdível em Floripa é a Costa do Lago, que fica na Lagoa da Conceição e só é possível acessar por trilha ou de barco. Há duas opções de trilha, uma de três e outra de oito quilômetros.

A região é conhecida pelos núcleos de pescadores, que ainda sobrevivem da pesca e do turismo. Por isso, uma boa dica é separar um dia para almoçar na Costa da Lagoa, onde há diversos restaurantes especializados em pescados e com bom preço.

Além da lagoa, outro atrativo é uma cachoeira, então não se esqueça de levar roupa de banho!

A visita é uma boa oportunidade para conhecer aspectos culturais bem diferentes das áreas centrais de Florianópolis, não deixe de conhecer.

Travessia de barco.

 

Dunas da Joaquina

Uma atividade bem popular em Florianópolis é o sandboard, uma espécie de surf na areia em áreas de dunas. Um dos melhores locais para praticar é nas Dunas da Joaquina, localizadas na Praia da Joaquina.

Você pode alugar as pranchas por aproximadamente R$35 reais* para praticar o esporte, e contar com a ajuda de instrutores para surfar. É uma diversão tanto para adultos quanto crianças!

Divirta-se nas Dunas da Joaquina surfando na areia!

 

Projeto TAMAR

O Projeto TAMAR, que atua na preservação das tartarugas marinhas, tem uma unidade em Florianópolis. O Centro de Visitação tem como objetivo conscientizar as pessoas, e oferece diversas atrações e atividades.

Há tanques com quatro espécies de tartarugas marinhas encontradas no litoral brasileiro em diferentes estágios de vida, exposições, atividades interativas com as tartarugas, réplicas, etc.

Os ingressos custam R$24*, com opção de meia entrada para estudantes, idosos e crianças até 12 anos. Pessoas com menos de 1,20m não pagam.

Crédito: Projeto TAMAR
Visitantes podem ver espécies de tartarugas marinhas nos tanques.

Praias de águas calmas ou para o surf. Muita história. Natureza exuberante. Tudo que falamos sobre Florianópolis é pouco para as riquezas que a capital catarinense oferece. Por isso, para fazer justiça a esse destino tão completo e encantador, só nos resta fazer um convite: venha com a 123Milhas e conheça de perto tudo que a cidade tem a oferecer.

 

*Valores em 18 de outubro de 2021.

Drones

inscreva-se para receber ofertas exclusivas!

inscreva-se para receber ofertas exclusivas!