Guia turístico

Teresina: dicas para conhecer a capital do Piauí

As ruas e as avenidas rodeadas de árvores deram à capital do Piauí o apelido de “cidade verde”. Cercada pelas águas dos rios Poti e Parnaíba, o maravilhoso destino também é muito conhecido pelos parques, lagos e as lindas peças de artesanato. Neste artigo, descubra as principais dicas para viajar para Teresina

A beleza dos rios e as áreas verdes são os grandes encantos para conhecer em Teresina, no Piauí

A cidade no interior do nordeste possui um dos melhores índices de qualidade de vida dessa região brasileira. É famosa pelos cursos fluviais e a culinária sertaneja com muita carne de bode e a bebida cajuína. Também possui as cerâmicas mais lindas fabricadas no bairro Poti Velho, um dos maiores patrimônios imaterial cultural da capital piauiense.

Para conhecer esse lugar vibrante e cheio de diversão, vale a pena se organizar com os melhores passeios e roteiros turísticos. A seguir, confira alguns aspectos importantes de Teresina e fique por dentro de onde ir na cidade. 

 

Quanto custa ir para Teresina?

A falta de praias em Teresina não diminui em nada os muitos encantos da cidade com um dos encontros de rios mais bonitos de todo o nordeste brasileiro. Além disso, a ausência do litoral torna o lugar ainda mais acessível quando o assunto são os custos de viagem. 

Para viajar para a capital do Piauí você consegue passagens aéreas promocionais e pode desembarcar em algum dos cinco aeroportos próximos da cidade. O principal deles é o Aeroporto Senador Petrônio Portella, localizado a cerca de 4 km do núcleo central de Teresina. 

São muitas opções para conhecer nessa área e as hospedagens apresentam preços razoáveis e muitas vantagens. Para ficar em um hotel padrão executivo e confortável você gastará em torno de R$ 119 a diária. Confira mais alternativas aqui. 

Na parte da alimentação, a cidade oferece o melhor da gastronomia piauiense em restaurantes tradicionais, mas também há muito o que provar com o melhor da comida de rua em quiosques e flutuantes. Por essa razão, os custos dependem muito do seu estilo e objetivo de viagem. 

Contudo, para se ter uma ideia, os almoços em estabelecimentos bem avaliados da cidade saem em média por R$ 45,60 o prato. As opções de baixo custo e econômica custam cerca de R$ 19,20 e R$ 28,80, respectivamente.

Já os passeios e roteiros populares também não estão entre os mais caros da região nordeste do Brasil. Para conhecer pontos turísticos, como o elevador da Ponte Estaiada, é necessário pagar uma quantia simbólica de R$ 4. O City Tour Teresina completo custa aproximadamente R$ 270 por pessoa. 

 

Qual a melhor época para visitar Teresina?

O clima tropical do Piauí apresenta altas temperaturas e pode ser desconfortável para quem não está acostumado. Dessa forma, e também por ser uma época com menos chuvas, o período de maio a agosto é o mais indicado para visitar Teresina. 

Entretanto, se as chuvas não forem um problema, o verão agitado da capital do estado pode te surpreender. Você vai aproveitar muitas atrações, incluindo os refrescantes banhos de rio, em meio a um clima com média de 27,6 ºC nessa estação do ano. 

Outra data muito vantajosa para conhecer Teresina é durante o mês de junho, quando acontecem os famosos “arraiás” dos festejos de São João.

 

Onde ir em Teresina?

Centro Histórico 

Ao conhecer Teresina é indispensável passar pelo belo Centro Histórico da cidade. A capital foi fundada em 1852, ainda durante o período do Brasil Império. Completamente planejada, conserva nas ruas do centro sul edificações importantes para a própria construção política e cultural. 

Dentre os prédios e monumentos principais, está o Marco Zero, situado na Praça da Bandeira e em frente a Igreja Nossa Senhora do Amparo. Todos são muito importantes para o estabelecimento da cidade, pois foram os primeiros a serem erguidos após a mudança da capital do Piauí de Oeiras para Teresina. 

Outro grande destaque dessa região é o acervo histórico do Museu do Piauí – Casa Odilon Nunes. Por lá, em um enorme casarão com janelas esverdeadas, você vai encontrar uma seção com os arquivos públicos do estado. 

Além disso, há uma coleção com aproximadamente 7 mil peças distribuídas em 12 salas de exposição. Conheça itens pré-históricos, como peixes e troncos fossilizados. Também visite ambientes de “raridades” com as louças da “Companhia das Índias”, porcelanas chinesas e inglesas, mobiliário e quadros dos séculos XIX.

O Museu do Piauí ainda tem uma agenda cultural repleta de eventos e festivais ligados à arte e cultura de Teresina. A entrada custa por volta de R$ 5 por pessoa. 

O incrível Museu do Piauí fica na Rua Areolino de Abreu, 900. Funciona de terça a sexta das 8h às 17h, e aos sábados e domingos das 8 às 12h Créditos: Reprodução / Agenda Cultural Teresina

Igualmente importante para a história da capital, o Palácio Karnak é a sede oficial do Governo do Piauí, em Teresina. A estrutura imponente apresenta fachada com inspiração na arquitetura clássica e chama atenção de quem passa pela Avenida Antonino Freire, 1450. 

Confira na parte externa um lindo jardim projetado pelo paisagista Burle Marx. Em datas comemorativas, o espaço costuma ficar todo enfeitado com luzes e enche os olhos dos visitantes. O interior tem decoração de tirar o fôlego com móveis de carvalho e jacarandá. 

Ainda fazem parte da ornamentação do Palácio Karnak poltronas no estilo Luís XVI, quadros do pintor ítalo-brasileiro Alfredo Volpi, um lustre de cristal, peças sacras do século XVI, entre outros detalhes luxuosos. 

Cartão postal do Piauí, o Palácio Karnak, em Teresina, tem o nome de um templo que existiu no Antigo Egito

Mais pontos no Centro Histórico de Teresina que valem a pena conhecer são: o Mercado Municipal, o velho relógio da Praça Rio Branco, a Casa da Dona Carlotinha, a Central de Artesanato Mestre Dezinho e o Centro Multicultural Stouradas. 

Este último, inclusive, é uma excelente opção para curtir a noite na cidade. Concentra diversas atrações e eventos celebrativos com muita música, shows e apresentações artísticas. Ainda, é um lugar com bares e ótima receptividade para a comunidade LGBTQIAP+ e demais diversidades em Teresina. 

 

Parque Ambiental Encontro dos Rios

Quem ama a natureza não pode deixar de conhecer o Parque Ambiental Encontro dos Rios, em Teresina. Ponto de referência turística na cidade, a região é muito relevante por ter sido o território para um dos primeiros povoados teresinenses, à beira do Rio Poti. 

É também dentro do parque que se consegue presenciar um dos fenômenos naturais mais emblemáticos do estado e de toda a região nordeste. O Rio Poti se encontrando com o Rio Parnaíba e a separação entre o Piauí e o Maranhão vista no choque contrastante das águas. 

O Rio Poti tem uma extensão de 538 km e banha 24 municípios nos estados do Piauí e do Ceará
Créditos: Reprodução / Olhares (Nelson Fernando)

Atente-se para a época de cheia se quiser visualizar o encontro dos rios. Geralmente no período de julho, agosto e setembro o local costuma ficar seco. 

Aproveite o espaço para frequentar quiosques com produtos de artesanato local e cachaças. O bar e restaurante flutuante também é uma atração à parte e vale a pena provar cervejas geladas e boas porções com petiscos para acompanhar.

A entrada no Parque Ambiental Encontro dos Rios é gratuita. Funciona na Rua Desembargador Flávio Furtado, a poucos metros do Pólo Cerâmico Artesanal Poti Velho. Abre diariamente das 9h às 19h. 

 Pólo Cerâmico Poti Velho

Muito tradicional em Teresina, o bairro Poti Velho é o mais frequentado da capital do Piauí. A principal razão é a busca pelas mandalas, jarros, esculturas, objetos de decoração para jardins, aparelhos de jantar e até jóias preparadas em argila típicas da região. 

As bonecas de argila “mulheres de Poti Velho” são o carro-chefe das vendas na região do pólo cerâmico em Teresina
Créditos: Reprodução / Portal G1

O polo comercial foi criado em 2006 e se tornou um centro com mais de 23 lojas reunidas. Mais do que os produtos, por lá estão os artesãos e a história sobre os hábitos da cultura local que perduram até hoje.

Visite o local com tempo para apreciar toda a beleza das cerâmicas autênticas do Piauí. É possível fazer bons negócios com os preços das peças que não são exorbitantes. 

O bairro Poti Velho fica na área onde se iniciou o processo de instalação da cidade de Teresina. A cultura de centenas de famílias na produção das cerâmicas começou na década de 1970. Hoje em dia, várias técnicas foram aprimoradas. 

Muito emblemático, os vasos de argila também são responsáveis por movimentar a economia, no Pólo Cerâmico Artesanal Poti Velho, em Teresina
Créditos: Reprodução / Cenários do Brasil

Não quer perder nenhuma das melhores atrações da capital do Piauí? Siga para a leitura do artigo com o que fazer em Teresina e conheça os melhores passeios da cidade com a 123milhas!