Lifestyle

Países que facilitam vistos para nômade digital

Você sabia que há diversos países que facilitam vistos para nômade digital? Essa tendência vem ganhando força e atraindo quem gosta de se reinventar, conhecer lugares novos e sair da rotina. O avanço do trabalho remoto permitiu que as pessoas trabalhassem em qualquer lugar do mundo e viajassem enquanto isso. 

Em razão da queda de viagens pela pandemia de Covid-19, muitas nações estão facilitando a estadia de trabalhadores independentes e têm ótimas oportunidades aos interessados. 

Cada lugar tem suas regras para a aquisição do visto, mas, de maneira geral, as exigências incluem um passaporte atualizado (confira os prazos de validade aqui), seguro-viagem e um comprovante de renda, isto é, que você tenha renda suficiente para se manter. 

Confira com a 123milhas os tipos de visto para nomadismo digital e como obter. 

Nômades digitais podem viajar enquanto trabalham

 

Tipos de visto

A maioria dos países permite que os turistas permaneçam por até três meses no local sem a necessidade de um visto. Na União Europeia, por exemplo, os visitantes precisam solicitar uma autorização chamada ETIAS (Sistema Europeu de Informações e Autorização de Viagem). O formulário deve ser preenchido on-line e é necessário pagar uma taxa de €7 (R$ 40). 

O ETIAS é válido por três anos, desde que o passaporte não expire nesse período. Saiba tudo sobre a permissão de viagem aqui

A modalidade de visto para nômade digital ou freelancers é indicada se você planeja ficar mais de 90 dias no país. Caso seja por um tempo menor, não precisa se preocupar com isso! Se você pretende estender sua estadia, porém, é bom se organizar com antecedência, já que alguns documentos devem ser providenciados. 

O passaporte atualizado é obrigatório para solicitar o visto

Lembre-se de levar em consideração a moeda do país e se você terá condições de se sustentar com seu faturamento. Na Europa ou nos Estados Unidos, por exemplo, o real é desvalorizado, e o rendimento será menor que estando no Brasil. Já na Argentina ou no Uruguai, a moeda brasileira vale mais. 

 

Estônia

A Estônia é uma referência em nomadismo digital e foi o primeiro país a criar um visto específico para essa modalidade. A solicitação é feita on-line, a partir do preenchimento de um formulário, e custa entre € 80 (cerca de R$ 480) e € 100 (cerca de R$ 600). Os interessados devem agendar um horário e ir à Embaixada ou ao Consulado Estoniano mais próximo. Como não há uma unidade estoniana em território brasileiro que ofereça vistos, a dica é fazer o processo já estando no país. Nesse caso, vá até uma unidade policial. 

A Estônia foi o primeiro país a criar um visto específico para nômades digitais

O visto tem um prazo de 30 dias para ser autorizado; então lembre-se de levar isso em consideração, pois você não pode estar ilegalmente no país. Como a permanência máxima para turistas é de três meses, é possível resolver a questão a tempo. Além do formulário de aplicação, leve também um passaporte válido, documentos que comprovem seu trabalho (como um contrato empresarial, por exemplo) e uma carta de motivação. Também é necessário certificar que você tenha condições financeiras para se sustentar no país. Atualmente, o interessado deve ter renda mínima mensal de € 3504 (cerca de R$ 21.033) nos últimos seis meses. 

Essa autorização também permite que você tenha conta em um banco local ou abra uma empresa na Europa.

 

Portugal

Portugal não tem um visto exclusivo para nômade digital, mas oferece um de estada temporária, que permite permanência de até 12 meses para exercer uma atividade profissional independente

Trabalhadores autônomos podem ficar até 12 meses em Portugal

O governo português recomenda que os interessados entrem com a solicitação com no máximo três meses de antecedência do início da viagem pretendida. Os documentos necessários são: passaporte atualizado, seguro-viagem com cobertura mínima de € 30 mil, atestado de trabalho, duas fotos biométricas atuais (3,5 cm x 4,5 cm com fundo claro), comprovante de residência e formulário de requerimento. Os candidatos devem ter um rendimento mensal mínimo de 665 (cerca de R$ 3.760).

A entrada no processo deve ser feita no site da VFS Global e é necessário pagar uma taxa de € 75 (aproximadamente R$ 426).

O clima e a natureza são atrativos para estadias em Ponta do Sol

Para atrair trabalhadores independentes, a região da Ilha da Madeira criou o Digital Nomads Madeira Islands, uma espécie de vila para nômades digitais na cidade de Ponta do Sol, em Portugal. A proposta é que os nômades fiquem em hotéis ou em acomodações e desfrutem de Wi-Fi gratuito, espaços de coworking e eventos. Desde fevereiro de 2021, mais de 4.500 pessoas passaram pela vila. 

 

Alemanha

A Alemanha oferece duas modalidades diferentes de vistos aplicáveis para nômades digitais: o Freiberufler, para freelancer ou trabalhador autônomo, e o para artistas. 

O Freiberufler deve ser solicitado para quem planeja ficar mais de três meses no país e pode ser prorrogado por até três anos. Você deve procurar o Consulado ou a Embaixada Alemã mais próxima e solicitar a autorização. A taxa do serviço é de € 75 (aproximadamente R$ 426).

Berlim oferece vistos a artistas

Documentos necessários (com tradução juramentada):

  • Passaporte cuja validade não expire antes da sua data de retorno.
  • Formulário de Requerimento de Autorização de Residência.
  • Comprovante de moradia.
  • Duas fotos biométricas atuais (3,5 x 4,5, com fundo claro).
  • Perfil detalhado da empresa (em alemão ou em inglês), que contenha: plano de negócios de implementação, plano de negócios e projeção de receita e previsão do capital necessário e dos lucros.
  • Currículo em alemão ou em inglês, que contenha qualificações e diplomas.
  • Comprovante que atesta a pessoa ter condições de se manter financeiramente e que informe rendimentos passados, como conta bancária ou contra-cheque.
  • Seguro-viagem com cobertura mínima de € 30 mil.

O governo alemão tem um sistema, chamado Sorted, que controla as atividades financeiras de trabalhadores autônomos. Você deve preencher seus ganhos e gastos básicos (como moradia e transporte). Os impostos serão calculados conforme o rendimento do seu trabalho. Confira mais informações sobre o Freiberufler

O visto para artista é válido para músicos, pintores, dançarinos, fotógrafos, escritores, DJ e outras atividades. No entanto, essa modalidade está disponível apenas para quem for morar em Berlim

Documentos necessários (com tradução juramentada):

  • Passaporte cuja validade não expire antes da sua data de retorno.
  • Formulário de Requerimento de Autorização de Residência.
  • Duas fotos biométricas atuais (3,5 x 4,5, com fundo claro).
  • Comprovante que consegue se manter financeiramente e que informe rendimentos passados, como conta bancária ou contra-cheque.
  • Seguro-viagem com cobertura mínima de € 30 mil.
  • Cartas ou contratos para futuros clientes, informando como é seu trabalho.
  • Formulário de Anmeldung (registro de residência em Berlim). 
  • Comprovante do trabalho como currículo, diploma, qualificação, registros de projetos anteriores, cartas de recomendação, portfólio, etc. 

Visando atestar que você possui condições financeiras para se manter no país, sua conta bancária deve ter, no mínimo, € 4 mil (aproximadamente R$ 22.763). O seguro-viagem deve cobrir 90 dias, que é o tempo máximo permitido para turistas. 

O visto para artistas em Berlim inclui fotógrafos, pintores, dançarinos, músicos e outros

 

Espanha

A Espanha disponibiliza um visto de trabalho autônomo, que permite trabalhar e morar no país durante um ano. A documentação deve ser entregue na Embaixada de Brasília. Caso planeje ficar mais de seis meses, o candidato deve solicitar também a Carteira de Identidade de Estrangeiro. 

Confira a documentação

  • Formulário de solicitação.
  • Passaporte com validade de pelo menos 6 meses depois da data de saída.
  • Duas fotografias 3×4 recentes, coloridas e de fundo branco.
  • Comprovante de residência e título de eleitor.
  • Registro geral (RG) ou Registro Nacional de Estrangeiros (RNE), com validade de 180 dias, depois do fim do período de visto solicitado.
  • Autorização de residência e trabalho expedida pela delegação ou pela subdelegação do governo. 
  • Comprovante de ter a qualificação profissional legalmente exigida ou a experiência comprovada no exercício da atividade profissional.
  • Comprovante relativos aos meios econômicos para se manter financeiramente no país. Na Espanha, não é exigida uma quantia, mas considere que o salário mínimo de lá é de € 1 mil (aproximadamente R$ 5.653).
  • Plano de negócios com indicação de investimento previsto, rentabilidade esperada e, se for o caso, relação de autorizações ou licenças exigidas para o funcionamento da atividade profissional.
  • Atestado médico que confirme que o candidato não possui nenhuma doença que possa afetar a saúde pública, conforme o Regulamento Sanitário Internacional de 2005. O documento deverá ser reconhecido no Consulado e no cartório.
  • Certidão de Antecedentes Criminais apostilado e em tradução juramentada para o espanhol. 

A solicitação do visto custa R$ 515; já o valor para a carteira de identidade estrangeira é de R$ 63. Confira outras taxas. 

A Espanha não exige renda mínima para morar lá, mas você precisa ter o necessário para se manter no país

 

México

Brasileiros podem ficar legalmente no México por até seis meses sem a necessidade de visto, desde que tenham visto para os Estados Unidos. Passando desse período, é preciso solicitar um para residência temporária. Essa modalidade permite que você fique um ano no país, podendo ser prorrogado por mais três anos. Antes de viajar, é obrigatório preencher a autorização eletrônica (gratuita).  

Uma das vantagens de ir ao México é a desvalorização da moeda em relação ao real

Para obter o visto, você deve comprovar renda de US$ 27 mil (aproximadamente R$ 137.446), nos últimos seis meses, ou de US$ 1.620 (aproximadamente R$ 8.246), por mês. 

Além da conta bancária, você deve apresentar o formulário de solicitação, passaporte original e uma cópia, uma foto recente 5×7, comprovante do tipo de trabalho que você fará e atestado de saúde. É cobrada uma taxa de US$ 298 (aproximadamente R$ 1.517). 

Por mais que as taxas sejam cobradas em dólar, o peso mexicano é desvalorizado em relação ao real. Portanto, pode ser vantajoso passar um tempo lá. 

 

Tradução juramentada

Muitas pessoas não sabem o que é tradução juramentada, mas é algo muito importante para solicitar um visto. Ela serve para atribuir autenticidade aos documentos, garantindo que tudo o que foi traduzido de uma língua para a outra é verdadeiro e não passou por nenhuma alteração.

A tradução juramentada confere a autenticidade do documento

Os tradutores são concursados e devem ter uma autorização da Junta Comercial do Estado. Cada profissional está habilitado para determinado idioma. Isso significa que os concursos são direcionados para cada língua; portanto, um qualificado para o inglês não pode traduzir um documento na língua italiana ou na alemã, por exemplo. 

Você pode encontrar a lista dos tradutores na Junta Comercial do seu estado para fazer o orçamento. O preço médio é de R$ 100 a R$ 250 para cada documento. 

 

Apostila de Haia

A Apostila de Haia é um acordo entre mais de 100 países que certifica a autenticidade de um documento. No Brasil, o processo é feito pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Confira os países que fazem parte da Convenção. 

A ideia é simplificar a legitimação de contratos, certificados, documentos, diplomas, pesquisas, declarações oficiais, etc. O valor da Apostila de Haia não é estabelecido pelo CNJ, mas geralmente os cartórios de cada estado têm o preço tabelado. Em São Paulo, por exemplo, custa R$ 136,56. Em Minas Gerais sai por R$ 156,10. Já no Ceará o valor é de R$ 65,89. 

Confira todos os cartórios autorizados a fazer o apostilamento

Planeje sua próxima aventura

Deu vontade de embarcar nessa aventura? Saiba como se tornar um nômade digital. Não se esqueça de verificar quais países exigem o seguro-viagem e a importância da cobertura para a Covid-19.