Guia turístico

3 Lugares para conhecer próximos à capital paulista

Quando falamos em São Paulo, de cara pensamos na megalópole que é a capital do estado, a maior cidade do Brasil e a 4ª maior do mundo em termos de população. Se for visitar o município, confira o nosso guia do que fazer por lá! Mas existem outros destinos por perto, para quem quer fugir do ambiente urbano. Neste post, descubra 3 lugares para conhecer próximos à capital paulista.

Separamos 3 cidades turísticas perto de São Paulo para quem deseja ter contato com a natureza e relaxar um pouco nas proximidades da metrópole. Existem opções para todos os tipos de turistas, dos mais aventureiros até os que estão à procura de uma viagem bem romântica. Confira:

 

Cunha

Bem na divisa de São Paulo com o estado do Rio de Janeiro, fica Cunha, uma cidadezinha a mais de mil metros de altitude, em uma área de serras e planaltos. O local está a 230 km da capital do estado, a pouco mais de três horas de viagem de carro em um dia sem trânsito. Dá para pegar a SP-070 até Taubaté e de lá seguir pela BR-116, que também é uma opção de via para quem sai direto da metrópole. O caminho conta com quatro pedágios, totalizando um valor de cerca de R$ 27.

A proximidade do Rio de Janeiro também torna o município uma excelente opção de destino perto do Rio. Se você estiver na “cidade maravilhosa”, precisará percorrer aproximadamente 300 km até Cunha, em cerca de quatro horas de carro. Já de Paraty, cidade histórica fluminense, cheia de praias incríveis, é bem mais pertinho: o vilarejo paulista fica a apenas 47 km de distância. Até mesmo a própria estrada Cunha-Paraty reúne alguns dos principais atrativos da cidade.

Cunha está no encontro das Serras da Quebra-Cangalha, Bocaina e do Mar.

Cunha tem aquele charme de cidade interiorana excelente para quem tem a intenção de fugir do agito urbano. Como fica em uma região de serras, é uma boa opção de destino para curtir o inverno em São Paulo. É nessa estação que o local fica mais movimentado e, por esse motivo, recebe seus principais festivais, como a Festa do Pinhão e a do Cordeiro, além do tradicional Festival de Inverno de Cunha. 

Trilhas são opções abundantes na localidade. O Parque Estadual da Serra do Mar, por exemplo, tem cinco alternativas diferentes de percursos pela floresta. O local conta com a maior porção contínua preservada de Mata Atlântica do Brasil. São mais de 1.300 espécies de animais e aproximadamente 1.200 tipos de plantas. A entrada, aberta das 8h às 16h, custa cerca de R$ 16 para visitantes de fora da cidade, e fica a 25 km do município. 

Outro trajeto imperdível é o da Pedra da Macela, que vai até ao ponto mais alto da região, com 1.840 m de altitude. Do pico é possível avistar Paraty, Angra dos Reis e até mesmo Ilha Grande. Para chegar até o topo, é preciso caminhar aproximadamente 2,4 km por uma estrada asfaltada. O tempo gasto gira em torno de 45 minutos de um percurso consideravelmente íngreme, mas que pode ser cumprido por toda a família de forma autoguiada. E a vista vale a pena!

A Pedra da Macela fica bem na divisa entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

A entrada para a trilha é gratuita e está a 27 km do centro de Cunha, sendo que 4 km são de estrada de terra. A melhor época para visitá-la é no inverno, fora da temporada de chuvas.

Um dos principais pontos turísticos da região é o Lavandário, que, como o próprio nome diz, é uma enorme plantação de lavandas, a 1.200 metros de altitude. O espaço reúne atualmente cerca de 40 mil pés da planta, e a floração se dá durante o ano inteiro. Já imaginou o cheirinho doce que circula pelo ambiente? 

Além do cenário, uma casa no estilo provençal integra a estrutura da atração, onde são vendidos óleos, velas, sabonetes e até mesmo chás e doces que usam a lavanda como um de seus ingredientes. Uma dica para quem vai fazer o passeio é tentar ir pela manhã, quando as flores estão mais roxinhas. O estabelecimento abre às 10h e fecha no pôr do sol, um dos horários mais concorridos, já que a vista é mesmo linda.

As paisagens do Lavandário remetem à região de Provença, na França.

As entradas para o Lavandário custam R$ 15 por pessoa e são gratuitas para menores de 12 anos. Os visitantes acima dos 60 anos pagam R$ 7. A 8 km do centro de Cunha, esse local fica do lado esquerdo da estrada SP-171 em direção a Paraty.

 

Brotas

Se está buscando opções de ecoturismo e passeios radicais perto de São Paulo, você vai encontrar o destino ideal em Brotas. Não à toa, a cidade, a aproximadamente 250 km da metrópole, se intitula a “capital da aventura” no estado. 

Para chegar até o município, passa-se por Campinas (por isso, se estiver saindo de outras regiões do Brasil, pode pegar um voo até o Aeroporto de Viracopos). A famosa cidade do interior paulista fica a cerca de 160 km de Brotas. De lá, seu destino pode ser acessado pela Rodovia Anhanguera-Washington Luís, totalizando um valor de R$ 32 em pedágios. Saindo da capital, a Rodovia dos Bandeirantes é o melhor percurso até a Washington Luís, e toda a rota terá seis pedágios, totalizando R$ 53.

Como a maioria das atrações da cidade envolve trilhas, passeios no Rio Jacaré Pepira e cachoeiras, a melhor época do ano para visitar Brotas é no verão. De novembro a março, as chuvas costumam elevar o volume de água, e consequentemente tudo fica mais verde e bonito, e o ar se torna ainda mais agradável.

Os parques de aventura se espalham ao redor da cidade, e opções de atividades não vão faltar. Alguns desses estabelecimentos oferecem aos visitantes o serviço de Day Use para que eles aproveitem suas dependências, e outros vendem pacotes com opções de passeios. Por exemplo, no Recanto das Cachoeiras, o ingresso para um dia de parque custa cerca de R$ 200. Por R$ 60 reais a mais, você pode adquirir o combinado, que inclui também o arvorismo. 

Piscinas luxuosas, cachoeiras e muitas opções de atividades em contato com a natureza fazem parte da estrutura dos parques de aventura. 

O Poção é outra instalação que inclui muitos programas radicais. Pacotes de tirolesa, rafting, slackline e até mesmo oficinas circenses custam a partir de R$ 65. Para quem está buscando o contato com a natureza, cachoeiras e mais opções de calmaria, o Ecoparque Cachoeira Cassorova é uma boa escolha, que também não deixa de ter atividades cheias de emoção, como tirolesa e arvorismo.

A ponte que atravessa a Cachoeira Cassorova faz o visitante sentir que está caminhando pela copa das árvores.

No centro de Brotas, você vai encontrar muitas agências de aventura que podem indicar os melhores parques e passeios pra você e sua família. 

No coração da cidade, também fica o Parque dos Saltos, um dos cartões-postais do município. Lá é possível passear, relaxar em bancos ou em pedras que formam pequenas praças às margens do rio, nadar na água fresca e limpa do Rio Jacaré Pepira, além de tirar belas fotos. O local fica aberto todos os dias e tem entrada gratuita.

Além das quedas d’água, o Parque dos Saltos conta com três pontes, dois mirantes e a casa das máquinas, que abrigava a antiga usina hidrelétrica do município.

Um pouco mais distante, a cerca de 23 km do centro de Brotas, a Represa do Patrimônio também não cobra entrada e é um dos pontos de encontro favoritos de moradores e turistas. O local tem uma área de mais de 14 hectares, onde é possível praticar diversas atividades de lazer, como pesca, passeios de barco e jetski, ou um piquenique à beira do lago. A represa fica aberta diariamente!

Se você quiser fugir um pouco dos passeios mais intensos, na região central de Brotas encontrará algumas alternativas. Os “cachaceiros de plantão” têm que conhecer a Casa da Cachaça, um empório com diversos tipos de doces, frios, massas e, claro, a famosa aguardente. 

Uma boa alternativa de atividade noturna é a visita à Fundação CEU – Centro de Estudos do Universo –, que conta com observatório astronômico, planetário digital, réplicas do Stonehenge (no Reino Unido) e de um Alossauro e outras atrações que vão encantar a criançada e toda a família. A casa costuma abrir às 21h, mas os dias e os horários de funcionamento podem variar conforme as condições climáticas. Por isso, é recomendado verificar no site se eles estarão abertos. A entrada custa R$ 70, e, para estudantes e idosos, há a meia-entrada, no valor de R$ 35. Menores de 4 anos não pagam.

 

Holambra

Com sua arquitetura charmosa que remonta ao estilo europeu do século passado e campos que florescem o ano inteiro, Holambra é um dos destinos mais românticos perto de São Paulo. Conhecido por sua tradição holandesa, o local é um verdadeiro reduto que preserva a cultura dos Países Baixos no Brasil.

Holambra foi fundada por imigrantes holandeses que fugiam da Segunda Guerra Mundial.

 A cerca de 130 km da capital paulista, o município pode ser acessado pela Rodovia dos Bandeirantes. De carro, o trajeto costuma durar menos de duas horas em um dia sem trânsito, passando por três pedágios, que devem totalizar um pouco menos de R$ 35. Saindo de Campinas, em menos de 40 minutos de viagem, você chegará a seu destino.

Sabe por que Holambra é conhecida como a “cidade das flores”? Porque a região é responsável pela produção de 45% de todas as flores do Brasil. Por isso, visitar o município durante a primavera tem todo um charme especial. É também nessa estação que ocorre um dos festivais mais aguardados da região, a Expoflora, reunindo produtores de todos os tipos de plantas. O encontro costuma ocorrer entre agosto e setembro e é acompanhado de uma série de atrações culturais.

Como não poderia deixar de ser, os campos de flores são alguns dos principais pontos turísticos do local. Para ter acesso à maioria deles, é necessário estar acompanhado de um guia autorizado. Seus serviços podem ser encontrados nas principais agências de turismo da cidade e custam de R$ 75 a R$ 90. Há também os campos abertos ao público, como é o caso da Fazenda Macena Flores e o Bloemen Park. A taxa de visitação para conhecê-los varia de R$ 20 a R$ 25.

Crisântemos são muito produzidos nas estufas de Holambra.

Os encantos da cultura holandesa também são uma atração à parte. Fundada por imigrantes que chegaram ao Brasil, durante a Segunda Guerra Mundial, Holambra guarda as tradições de seu povo em todos os cantos, das construções à gastronomia. 

O mais famoso cartão-postal da localidade é o Moinho dos Povos Unidos. A estrutura, com 38 metros, é uma réplica dos típicos moinhos dos Países Baixos. É permitido que o visitante suba até o quinto andar, nos fins de semana, e até o terceiro andar, durante a semana. O ingresso custa por volta de R$ 12. 

No topo do moinho, um mirante aberto permite ter uma visão privilegiada da área.

Bem ao lado, ainda na Alameda Maurício de Nassau, o Portal do Moinho dá boas-vindas aos visitantes. Caminhando pela via, os turistas ainda podem conhecer a área das sombrinhas coloridas, que ficam dispostas acima da cabeça dos que passam por lá. Os “pombinhos” podem seguir um pouco mais adiante e colocar um cadeado com suas iniciais no Deck do Amor. A ponte, que atravessa um pequeno lago, é inspirada na Pont des Arts de Paris (França).

Museus, restaurantes de comida típica holandesa e até mesmo uma exposição de réplicas de quadros de Van Gogh (que fica aberta, diariamente, das 9h às 17h, na Avenida das Tulipas) completam a experiência turística nessa cidade cheia de surpresas e clima de romance.

Há muitos passeios bacanas para se fazer num desses 3 lugares para conhecer próximos à capital paulista, não é mesmo? Só escolher o seu e a 123milhas tem várias opções de hospedagem!