Lifestyle

Lugares fantásticos no Brasil para viajar gastando pouco

Quer fazer uma viagem, mas está com o orçamento apertado? Não se preocupe! Existem diversos lugares fantásticos no Brasil para viajar gastando pouco. Alguns destinos têm o custo mais baixo, e você pode economizar mais ainda comprando passagens aéreas pelo melhor preço com a 123milhas. Partiu?!

Uma dica para gastar menos em uma viagem é escolher datas na baixa temporada que coincidam com algum feriado municipal em sua cidade. Dessa forma, o passeio ficará mais barato; e o destino, mais vazio. Além disso, para economizar, opte por viajar sem despachar bagagem.

Viajar somente com uma mala de mão é mais econômico.

Geralmente, a alta temporada inclui os meses de férias escolares (janeiro, julho e dezembro) e os feriados nacionais prolongados. Os preços também variam em alguns lugares conforme a estação do ano. As praias costumam ficar mais populares durante o verão. Já as regiões serranas, que se destacam pelo clima frio, chamam a atenção no inverno. 

 

Pirenópolis (GO)

Os apaixonados por ecoturismo e cidades históricas têm que ir a Pirenópolis, localizada a 120 km de Goiânia. Um dos grandes destaques é o Parque Estadual dos Pireneus, que garante o pôr do sol mais bonito da região. Ao fim da tarde, é possível enxergar Brasília (DF) do mirante! Aproveite para também conhecer o Morro Cabeludo, de 1.350 metros de altitude, que abriga várias espécies de orquídeas, bromélias e cactos.

O Parque dos Pirineus tem entrada gratuita e fica aberto diariamente, das 8h às 17h.

Outro lugar imperdível é a Reserva Ecológica Vargem Grande, um complexo com três quedas d’água e várias trilhas. Para quem não tem o hábito de fazer caminhadas ou está na companhia de crianças e idosos, a melhor opção é a Cachoeira Santa Maria, com acesso fácil e a apenas 500 metros de distância.

Quem prefere fazer um percurso mais longo pode ir à Cachoeira do Lázaro, com trajeto de 1.300 metros, ou à do Véu da Noiva, com o percurso de 2.000 metros.

A Cachoeira do Lázaro é a mais frequentada por moradores e turistas.

A Reserva Ecológica abre todos os dias, das 9h às 17h. A entrada custa R$ 45, com meia-entrada para idosos e gratuidade para menores de 10 anos.

Aproveite para conhecer o Refúgio Avalon, onde você encontra um jardim sensorial, que promete estimular os cinco sentidos do visitante (olfato, visão, paladar, tato e audição), por meio das plantas e das fontes d’água. Outros atrativos são hortas, espaços de meditação e trilhas.

Os visitantes caminham, em um trecho do jardim sensorial, usando vendas para estimular os outros sentidos.

O Refúgio abre todos os dias, exceto às quartas-feiras, das 9h às 16h. A visita é paga por tempo de permanência. A primeira hora custa R$ 20; na segunda é cobrado um adicional de R$ 10 e, da terceira hora em diante, o acréscimo é de R$ 5. Para mais informações, acesse o site.

O centro é o grande charme da cidade. O conjunto arquitetônico foi tombado em 1989 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e garante um passeio por ruas de pedra e construções do estilo colonial.

A fachada em art déco do Cine Pireneus é fascinante.

Não deixe de visitar o Cine Pireneus, prédio de arquitetura neoclássica construído em 1919. Inicialmente era um teatro, transformado em cinema em 1936. Nessa época, a fachada foi renovada e ganhou o estilo art déco. Atualmente funciona como um espaço de cultura e lazer.

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário também se destaca. É considerada o maior e mais antigo monumento histórico de Goiás, construído por volta de 1732. 

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário é a principal de Pirenópolis.

A agitação da cidade se concentra na rua do Lazer. Lá estão bares e restaurantes e é onde acontecem shows e eventos. Fica na região central em um trecho da rua do Rosário, a principal de Pirenópolis. Os estabelecimentos funcionam em casarões antigos, o que deixa o ambiente ainda mais encantador.

Aproveite os bares e os restaurantes da Rua do Lazer.

 

Ilha de Marajó (PA)

A Ilha de Marajó é um arquipélago rodeado pelos rios Amazonas e Tocantins e pelo oceano Atlântico. Tem 40.100 km² e é considerada a maior ilha fluviomarítima do mundo, isto é, banhada ao mesmo tempo por águas de rio e oceânicas.

A vegetação de manguezal é abundante na Ilha de Marajó.

Para chegar lá, você deve primeiro desembarcar em Belém, onde se encontra o aeroporto mais próximo. Depois basta pegar um barco, saindo do Terminal Hidroviário, até o seu destino. A Ilha de Marajó é composta de 17 municípios, sendo os maiores: Salvaterra e Soure. O ideal é providenciar um transporte que pare em alguma dessas cidades.

A lancha para Soure é a opção mais rápida, com trajeto de 2 horas. Apenas uma embarcação faz esse trajeto diariamente. Confira os horários:

  • Segunda, terça, quinta e sexta: às 8h15
  • Quarta e sábado: às 8h40
  • Guichê para comprar passagens: de segunda a sábado, das 6h às 14h

É bom comprar o bilhete com antecedência, pois os barcos costumam ficar lotados. A passagem custa R$ 50 e pode ser adquirida no guichê do Terminal.

A lancha que faz o caminho oposto, de Soure até Belém, sai às 5h30 da manhã, de segunda a sábado. Também custa R$ 50, e a passagem deve ser comprada antecipadamente.

  • Guichê: de segunda a sábado, das 8h às 12h e das 16h às 18h.

Para mais informações, acesse o perfil do Instagram da empresa

Um ponto bastante curioso sobre a Ilha de Marajó é o de abrigar o maior rebanho de búfalos do Brasil, com cerca de 520 mil cabeças. Os animais chegaram por acaso, quando um barco que vinha da Índia para a Guiana naufragou na foz do rio Amazonas. Os búfalos que sobreviveram nadaram até o arquipélago e lá se reproduziram. 

Você verá vários búfalos espalhados na Ilha de Marajó, mas não se preocupe, pois são animais tranquilos.

Os animais viraram símbolo da região e representam grande parte da movimentação econômica, com a venda de carne, couro, leite, queijo e chifres. Muitas criam búfalos no quintal de casa, e é comum que os policiais os usem como transporte. Você certamente verá vários durante a viagem.

O turismo em Soure é voltado para as praias e as belezas naturais. A mais famosa é a do Pesqueiro, de água salgada, que chama a atenção pelas dunas e pelos coqueiros. É a praia com maior infraestrutura para turistas e recebe bastante movimento. Outra opção é a da Barra Velha, conhecida pela vegetação de manguezal que se mistura com o mar.

O manguezal se mistura com o mar na Ilha de Marajó.

Inclua o município de Joanes em seu roteiro. Lá você encontra um sítio arqueológico com ruínas de construções do século XVII, incluindo uma igreja jesuítica, campanário e poços. Também estão disponíveis artefatos como cerâmica, ferramentas, moedas e louças. Aproveite para curtir a Praia de Joanes, um lugar bem movimentado e com vários bares. Perfeito para tomar uma cerveja gelada!

As Ruínas de Joanes são um passeio imperdível.

 

João Pessoa (PB)

João Pessoa, na Paraíba, é a terceira capital mais antiga do Brasil e garante vários passeios históricos e belas praias. É conhecida como “Porta do Sol” por ser o ponto mais oriental na América. É o lugar que recebe os primeiros raios solares no continente e por isso dizem que o dia começa mais cedo lá. 

O mar de Tambaú é um dos mais bonitos de João Pessoa.

Uma das praias mais famosas é a de Tambaú, com 8 km de extensão. O mar verde-azulado e a areia branca fina garantem o visual paradisíaco. A água é bem calma e atrai famílias com crianças, que podem nadar tranquilamente. Lá você encontra diversos hotéis, bares e restaurantes.

O Farol de Cabo Branco se destaca pelo formato triangular.

Para aproveitar as piscinas naturais, vá à Ponta do Seixas. Fica um pouco distante do centro da cidade, a 14 km, e é o local considerado oficialmente o extremo oriental, onde o “sol nasce mais cedo”. Fica próximo ao Farol de Cabo Branco, um dos cartões-postais de João Pessoa. Tem 19 metros de altura e garante uma visão panorâmica da região. Fica aberto de domingo a sexta-feira, das 9h às 20h, e tem entrada gratuita.

A Ponta do Seixas é o extremo oriental do continente americano.

Quem gosta de lugares tranquilos deve ir à Praia do Jacarapé, rodeada pela vegetação nativa. Também é uma ótima opção para crianças, já que o mar é tranquilo. Um dos melhores trechos é no encontro com o rio Mangabeiras, na região sul da praia. A areia fofinha também garante a diversão dos pequenos. É um lugar mais rústico, mas conta com alguns restaurantes próximos.

A Praça Antenor Navarro é um dos charmes de João Pessoa. É cercada por sobrados coloridos dos séculos XIX e XX e mistura art déco com diversos estilos arquitetônicos, com referências clássicas, barrocas e neogóticas. Quem gosta de tirar fotos tem que incluir este lugar no roteiro. A região abriga vários cafés, restaurantes e espaços culturais.

Tire fotos dos sobrados na Praça Antenor Navarro.

O turismo histórico também pode ser conferido nas diversas igrejas. A mais antiga é a de Nossa Senhora do Carmo, cujo complexo também reúne um convento e uma capela. A construção começou no século XVI e é uma ótima referência do estilo rococó. 

A Igreja de Nossa Senhora do Carmo é a mais antiga de João Pessoa.

A parte mais antiga da cidade também reúne a Igreja de São Francisco, a Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves, o Teatro Santa Roza e o Palácio da Justiça. Tire um dia para passear pelo Centro Histórico e se encantar com a riqueza arquitetônica. 

O Centro Histórico de João Pessoa foi tombado em 2007.

Encontrou seu próximo destino? Descubra outras viagens econômicas e saiba quais são os lugares para viajar na Bahia gastando pouco.