Lugares para conhecer

O que fazer em Pirenópolis: cidade histórica e cachoeiras em Goiás

Com belos monumentos arquitetônicos e várias trilhas e cachoeiras, o município de Pirenópolis é um destino com atrações para todos os gostos. Carinhosamente chamada de “Piri”, atividades de lazer não faltam nessa cidade e algumas são imprescindíveis para montar o roteiro perfeito. Então, descubra com a 123Milhas o que fazer em Pirenópolis.

A cidade fica no estado de Goiás, a 120 quilômetros da capital. Fundada em 1727, Pirenópolis abriga diversos pontos turísticos e encantos. Cercada por cerca de 20 cachoeiras, a cidade é muito procurada nos feriados por moradores de Brasília e Goiânia. Recebe bem turistas o ano todo, mas tenha em mente que enche de visitantes nos dias mais quentes.

 

Cachoeiras

 

Reserva Ecológica Vargem Grande

A Reserva Ecológica Vargem Grande é um dos lugares favoritos pelos apaixonados por ecoturismo. Esse complexo natural tem três cachoeiras e várias trilhas de dificuldades variadas.

A Cachoeira Santa Maria, uma das mais famosas, é de fácil acesso. Escolha ideal para pessoas com dificuldades de mobilidade e idosos. O percurso tem apenas 500 metros e é todo plano e calçado.

Outra opção, que exige um pouco mais de esforço, é a Cachoeira do Lázaro. A trilha é de nível médio de dificuldade ao longo dos seus 1300 metros de extensão. Essa é bem popular entre os turistas que visitam a cidade.

A Cachoeira do Lázaro é muito procurada por turistas.

A Cachoeira do Lázaro é muito procurada por turistas.

A Cachoeira do Véu da Noiva tem a trilha mais longa e complicada, com 2 mil metros de extensão. É recomendada para pessoas que já têm o hábito de fazer caminhadas em locais com trechos desnivelados.

Independente de qual você escolher, será um passeio inesquecível! A Reserva Ecológica também conta com lanchonetes, banheiros, estacionamento e feira de artesanato aos fins de semana.

O complexo abre todos os dias, das 9h às 17h. É cobrado um valor de R$ 45 e tem meia-entrada para idosos. Menores de 10 anos não pagam.

 

Cachoeira do Rosário

Outra opção de passeio em Pirenópolis é a Cachoeira do Rosário. São 42 metros de queda d’água e é a maior da região. Tem várias piscinas naturais com águas cristalinas e é perfeita para mergulhos!

Para entrar nessa cachoeira é necessário comprar o ingresso através do site e com antecedência, pois há um limite diário de pessoas. A entrada custa R$ 50 para dias de semana e R$ 55 para sábados, domingos e feriados. Essa cachoeira fica aberta diariamente das 9h às 17h.

A Cachoeira do Rosário tem a maior queda.

A Cachoeira do Rosário tem a maior queda.

 

Cachoeira do Abade

Se você quer curtir várias cachoeiras em Pirenópolis, pode colocar mais uma na lista! A Cachoeira do Abade fica dentro de uma reserva particular localizada na Estrada dos Pirineus. A ótima estrutura atrai todo tipo de visitante, sendo também muito escolhida por praticantes de rapel e pessoas que gostam de caminhadas.

A Cachoeira do Abade é indicada para quem gosta de caminhadas e rapel.

Há duas opções de trilhas. A mais frequentada tem 400 metros, é toda calçada e muito tranquila de fazer. A segunda opção tem 2,5 quilômetros e trechos bem irregulares, mas passa por várias outras cachoeiras e mirantes. Depende de qual tipo de passeio você planeja fazer.

A Cachoeira do Abade abre todos os dias, das 9h às 16h e é necessário pagar R$ 40 pelo ingresso.

 

Cachoeira dos Dragões

Quer mais opções de cachoeiras para sua viagem? Não deixe de visitar a Cachoeira dos Dragões, a 40 quilômetros de Pirenópolis. Lugar ideal para quem busca paz e repor as energias, porque, além de muita vegetação natural e oito cachoeiras, tem até um mosteiro budista.

A trilha de acesso é longa, então é bom se planejar e ir acompanhado de um guia de turismo para conseguir curtir a água e não se perder. O trajeto tem 4,5 km e demora cerca de quatro horas. O percurso é tranquilo para os habituados em fazer caminhadas, porém não é recomendado para pessoas sem preparo físico.

O complexo fica aberto de quinta a domingo, das 9h às 17h. A entrada custa R$ 50.

 

Fazenda Bonsucesso

Outro refúgio natural é a Fazenda Bonsucesso, complexo formado por seis cachoeiras e várias piscinas naturais, um verdadeiro paraíso. Uma das mais famosas e que encanta pelas águas cristalinas é a Cachoeira Lagoa Azul.

A Cachoeira Lagoa Azul é a mais famosa da Fazenda Bonsucesso.

A Cachoeira Lagoa Azul é a mais famosa da Fazenda Bonsucesso.

A trilha para chegar até ela tem cerca de 1500 metros e você vai passar por outras cachoeiras no caminho. A última é a queridíssima Lagoa Azul, vale a pena ir até o fim para conhecer. Se quiser, pode fazer pausas no trajeto para aproveitar as outras quedas d’água.

O acesso à Fazenda Bonsucesso custa R$ 40 e pode ser feito todos os dias, das 8h às 16h. Para quem gosta de lembrancinhas de viagem, aqui vai uma ótima notícia: dentro do complexo há uma loja de artesanato, cheia de lindas peças de produção local.

 

Centro histórico

Claro que o centro histórico de Pirenópolis não pode ficar fora do seu roteiro! O conjunto arquitetônico foi tombado em 1989 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e é simplesmente apaixonante. As ruas de pedra e as construções nos estilos colonial e neoclássico são o verdadeiro paraíso para os amantes de história e arquitetura.

O centro histórico chama a atenção pela arquitetura colonial.

O centro histórico chama a atenção pela arquitetura colonial.

Tire pelo menos um dia para andar sem rumo por tantos casarões coloniais e igrejas. O Cine Pireneus é um dos pontos mais charmosos. Construído em estilo neoclássico em 1919 para ser um teatro, depois passou por algumas alterações em 1936 para passar filmes na telona. Nessa época, a fachada do cinema foi transformada em Art Déco.

Atualmente é um espaço múltiplo de lazer onde acontecem diversos eventos culturais. Às vezes opera como cinema, mas não é sua função principal.

O Cine Pireneus tem arquitetura no estilo Art Déco.

O Cine Pireneus tem arquitetura no estilo Art Déco.

O Teatro de Pirenópolis é outro lugar que chama a atenção. Data de 1899 e, por algumas décadas, foi palco de apresentações de danças, óperas e peças teatrais. Também já foi transformado em cinema, serraria, fábrica de móveis e até em bar. Voltou a ser um teatro desde 1979.

Conheça a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário e a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim. Passe pela Ponte do Carmo, outro cartão-postal da cidade, até chegar ao Museu do Divino Espírito Santo. Antigamente, ali era a Casa de Câmara e Cadeia.

 

Festa do Divino

A Festa do Divino Espírito Santo é uma das mais importantes manifestações culturais da cidade, sendo inclusive considerada patrimônio imaterial em 2010. Começa cinquenta dias após a Páscoa e conta com missas, procissão, coroação, apresentações folclóricas de dança e teatro, queima de fogos, congadas, cavalhadas e outras atividades religiosas.

Trajes típicos fazem parte da Festa do Divino.

Dura 12 dias e é uma das épocas mais animadas da cidade. Além das roupas e acessórios típicos, Pirenópolis também ganha novas cores com as bandeirinhas usadas para decorar os locais de apresentações.

A origem da celebração é portuguesa, mas incorpora tradições indígenas e africanas. A catira, por exemplo, é uma dança folclórica da cultura indígena, enquanto a dança do congo é uma manifestação religiosa africana.

O primeiro registro da Festa do Divino em Pirenópolis é de 1819 e até hoje é muito importante para a população local. A cidade recebe muitos turistas durante as celebrações, que se encantam pelas festividades e folias do povo.

A cidade recebe uma decoração especial na Festa do Divino.

O que você achou de Pirenópolis? Deu vontade de conhecer todas essas maravilhas de perto? Aproveite para descobrir quais são os melhores hotéis da cidade e saiba onde ficar em Pirenópolis!