Guia turístico

Descubra o que fazer em Campo Grande

Campo Grande é a porta de entrada para alguns dos passeios ecológicos mais famosos do Brasil, como o Pantanal e Bonito. Mas a arborizada “Cidade Morena” vai muito além disso! Confira agora por que você tem que ir ao município e descubra o que fazer em Campo Grande.

Onde fica Campo Grande?

Campo Grande é a capital do Mato Grosso do Sul e está localizada na região central do estado, no Centro-Oeste brasileiro. A cidade foi fundada em 1872, quando o desbravador mineiro José Antônio Pereira descobriu as terras férteis do local, na confluência dos córregos Prosa e Segredo – onde atualmente fica o Horto Florestal.

Aliás, é por conta dessas mesmas terras que a capital recebeu o apelido de “Cidade Morena”. O solo apresenta coloração castanha, o que inspirou a nomenclatura.

Muito arborizada, a capital se encontra perto de destinos com belíssimas paisagens naturais do Brasil, como o Pantanal (a 220 quilômetros) e a cidade de Bonito (a pouco mais de 200 quilômetros). Por isso, é considerada a porta de entrada para esses passeios e atrai milhares de visitantes interessados em praticar turismo ecológico na região. 

As capivaras gostam de ambientes aquáticos (por isso são tão comuns no Pantanal) e também podem ser avistadas em Campo Grande

Além de ter recebido influência dos povos indígenas que viviam na região, o município atraiu imigrantes de diferentes partes do Brasil, e do mundo, durante o século XX. Por isso, exibe cultura extremamente diversa e miscigenada. Ainda nos dias de hoje, Campo Grande guarda forte relação com suas raízes indígenas.

 

Como chegar a Campo Grande?

Para quem está saindo de outras regiões do Brasil, a melhor forma de viajar ao município é de avião. O Aeroporto Internacional de Campo Grande, o principal do Mato Grosso do Sul, recebe voos diários de diversas partes do país e fica a apenas 7km do centro da cidade.

Mas qual o preço de uma passagem para Campo Grande? Isso vai depender da cidade de origem, da época do seu voo e da antecedência com que você programou sua viagem. 

Saindo do Sudeste, é possível encontrar tíquetes que variam de R$ 600 a R$ 2.000 (ida e volta). Uma boa dica para economizar na viagem é adquirir um pacote com voo + hospedagem. Na 123milhas o preço desse combo pode sair por pouco mais de R$ 1.000 para estadias de uma semana!

Clique aqui para conferir ofertas com até 50% de desconto

 

O que fazer em Campo Grande?

Muitos turistas conhecem Campo Grande apenas como ponto de partida para desbravar outros destinos do Pantanal e do Cerrado brasileiro. Mas vale a pena passar alguns dias na “Cidade Morena” e descobrir seus belos parques, cultura pulsante e culinária deliciosa. Veja a seguir nossas dicas do que visitar durante a sua viagem a Campo Grande.

Parque das Nações Indígenas

O Parque das Nações Indígenas é o maior parque da cidade e um dos maiores parques urbanos do Brasil. Ele tem quase 120 hectares, e, além de atrair centenas de visitantes, sua área verde reúne alguns dos principais pontos turísticos de Campo Grande no Mato Grosso do Sul.

Localizado às margens de um lago formado pelas águas do córrego Prosa, o parque oferece ampla infraestrutura de lazer. Dispõe de quadras de esportes, pista de skate, patins e bicicleta, sanitários, lanchonetes, pista para caminhada de quatro quilômetros e também diversos parquinhos infantis.

Vista aérea do lago do Parque das Nações Indígenas, fundado em 1993

Prepare-se para se deparar com dezenas de capivaras ao fazer uma caminhada por lá. O espaço é habitat de muitas famílias desses roedores, que convivem pacificamente com os visitantes. 

Durante o passeio, alguns dos pontos de destaque que você encontrará são o Monumento ao Índio e o Monumento “Cavaleiro Guaicuru”, que prestam homenagem à história e à cultura dos povos originários do local. 

Com o formato de uma zarabatana, o Monumento ao Índio tem aproximadamente 15 metros de altura

 Outro destaque é que o complexo ainda abriga alguns dos museus mais importantes da cidade, o MARCO – Museu de Arte Contemporânea e o Museu das Culturas Dom Bosco, sobre os quais vamos falar mais a seguir.

O Parque das Nações fica no início da Avenida Afonso Pena, a principal de Campo Grande. Ele abre todos os dias, das 6h (da manhã) às 20h.

 

MARCO – Museu da Arte Contemporânea

O MARCO é um museu dedicado à arte contemporânea, que fica dentro do Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande. O espaço dispõe de cinco salas, das quais quatro recebem exposições temporárias e uma exibe obras do acervo permanente do espaço. Nesta última, são mais de 1.600 peças, das mais diversas linguagens.

O museu abre de terça a domingo e tem entrada gratuita. Nos dias de semana, seu funcionamento é das 7h30 às 17h30. Aos sábados, domingos e feriados, é das 14h às 18h. Ele fica próximo à entrada pela Rua Antônio Maria Coelho.

Exposições de Arte de longa e curta duração integram a programação do MARCO

 

Museu das Culturas Dom Bosco 

Também localizado dentro do Parque das Nações Indígenas, o Museu das Culturas Dom Bosco reúne uma coleção de aproximadamente 40 mil peças de arqueologia, mineralogia, paleontologia, etnografia e zoologia. Dentre as principais atrações, destaca-se o acervo de animais do Pantanal empalhados, além da exposição de peças indígenas.

Próximo à entrada da Avenida Afonso Pena, o museu funciona no período vespertino (a partir das 14h), às terças, quartas e quintas. As visitas custam de R$ 10 a R$ 5 e devem ser agendadas previamente. Clique aqui para saber mais. 

O Museu Dom Bosco expõe mais de 5.000 artefatos de várias culturas indígenas

 

Horto Florestal de Campo Grande

Outra área bastante arborizada na capital sul-mato-grossense é a do Parque Horto Florestal. Localizada no centro da cidade, em um espaço de 6 hectares, com paisagismo, pistas de caminhada e muitos bancos à sombra.

Oficialmente chamado de Parque Florestal Antonio de Albuquerque, o espaço ecológico ainda promove ações educativas e recebe pequenos eventos no Teatro Arena. A entrada no complexo é gratuita e é liberada de terça a domingo, das 6h às 18h.

Entrada do Parque Florestal Antonio de Albuquerque, fundado em 1923

 

Mercadão Municipal

Para conhecer bem a cultura e a culinária de um povo, é essencial visitar o principal mercado da região. Em Campo Grande, não é diferente. O Mercadão Municipal reúne um pouco de tudo que é típico do local: temperos, doces, especiarias e ervas medicinais, além de peças de artesanato e outros utensílios.

É também um bom local para comer, especialmente os famosos pastéis do mercado e a Chipa, iguaria de origem paraguaia que lembra o pão de queijo. As lojas abrem de segunda a domingo, das 6h30 às 18h, com exceção dos domingos, quando fecham mais cedo, ao meio-dia. 

De comidas a produtos artesanais, artigos dos mais diversos são vendidos no grande galpão do Mercado Municipal

 

Feira Central de Campo Grande

Está buscando o que fazer à noite em Campo Grande? A Feira Central, carinhosamente chamada de “feirona” pelos moradores, pode ser o passeio ideal pra você.

Apesar de começar a funcionar à tarde (a partir das 16h, nas quartas, quintas e sextas; e a partir das 12h, nos fins de semana), é no período noturno que o complexo ganha vida. O local é como um conglomerado de pequenos restaurantes, com infraestrutura completa e área coberta.

Lá é possível comprar temperos, ervas, doces, produtos artesanais, e claro, o carro-chefe do local: os pratos típicos da cidade. A Feira Gastronômica conta com algumas das iguarias mais tradicionais da região, como o sobá (um tipo de yakisoba feito com ovo e carne), que, de tão popular, virou monumento na entrada do complexo. 

Um sobá gigante recepciona os visitantes na entrada da Feira Central de Campo Grande

Músicos locais também costumam se apresentar no local, tornando o ambiente ainda mais agradável e descontraído. A Feira Central fica próxima à antiga Estação Ferroviária, na Rua 14 de julho, no centro da cidade, e tem entrada gratuita.

 

Qual a melhor época para visitar Campo Grande?

É difícil fugir do calor em Campo Grande. As temperaturas por lá costumam ser altas durante o ano inteiro, mas, entre os meses de outubro e março, a região fica ainda mais quente, chegando a bater os 40ºC. 

Entre os meses de abril e setembro, a cidade pode ficar um pouco mais fresca, fazendo com que esse seja um bom período para visitar a região. Além disso, nessa época ocorrem menos precipitações, e as caminhadas para conhecer os pontos turísticos ao ar livre são mais garantidas.

E olha que existem opções de passeios ecológicos de sobra para visitar a natureza que cerca a cidade. De belas cachoeiras aos famosos destinos do Pantanal e de Bonito, confira aqui as nossas sugestões de destinos que você precisa ir nos arredores de Campo Grande